Práticas educativas no cuidado integral à saúde mental na Atenção Básica

caminhos e obstáculos com base em uma experiência

Autores

  • Philipe Meneses Benevides Universidade Federal da Paraíba
  • Pedro José Santos Carneiro Cruz Universidade Federal da Paraíba
  • Renan Soares de Araújo Universidade Federal da Paraíba https://orcid.org/0000-0002-3477-638X
  • Iris de Souza Abílio Universidade Federal da Paraíba

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2021-58128

Palavras-chave:

Saúde Mental, Sistemas de Apoio Psicossocial, Educação em Saúde, Integração Comunitária, Promoção da Saúde

Resumo

Este estudo tem por objetivo desvelar possibilidades e obstáculos das práticas educativas no cuidado integral em saúde mental na Atenção Básica (AB), tendo como base a experiência de um grupo de encontro comunitário. Trata-se de estudo qualitativo com abordagem descritiva, caracterizado como sistematização de experiência, na qual foram utilizadas observação participante e relatos produzidos em diário de campo. Detalhou-se o grupo “Brincando com a Mente” e suas práticas educativas, com ênfase nas atitudes e procedimentos significativos no início da construção, bem como desafios e oportunidades na mobilização de redes de apoio para seu desenvolvimento. Constatou-se que as práticas educativas na AB configuram possibilidades para o desenvolvimento e consolidação da Rede de Atenção Psicossocial. O trabalho educativo orientado pela perspectiva freiriana da Educação Popular ofereceu, em nossa experiência, horizontes criativos para um cuidado integral em saúde mental. Houve dificuldades, como a falta de apoio matricial e o frágil aporte teórico-técnico da equipe no que tange às práticas educativas coletivas e comunitárias na AB. Contudo, foi possível valorizar abordagens em saúde mental que reconhecem a dinâmica da vida das pessoas, suas complexidades e lutas, bem como seus processos territoriais, incluindo as dimensões da política, da sociabilidade e da cultura popular.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Philipe Meneses Benevides, Universidade Federal da Paraíba

Mestrando em Saúde da Família na Universidade Federal da Paraíba, Brasil; médico preceptor da Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade, vinculado à Secretaria de Saúde Municipal de João Pessoa, Paraíba, Brasil.

Pedro José Santos Carneiro Cruz, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Educação pela Universidade Federal da Paraíba, Brasil; professor do Departamento de Promoção da Saúde do Centro de Ciências Médicas na mesma instituição; líder do Grupo de Pesquisa em Extensão Popular (EXTELAR/CNPq/UFPB); membro do Grupo Temático (GT) de Educação Popular em Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO).

Renan Soares de Araújo, Universidade Federal da Paraíba

Mestre em Educação na Universidade Federal da Paraíba, Brasil; membro do Grupo de Pesquisa em Extensão Popular (EXTELAR/CNPq/UFPB).

Iris de Souza Abílio, Universidade Federal da Paraíba

Especialista em Saúde da Família e Atenção Básica pela Residência Multiprofissional de Jaboatão dos Guararapes, Pernambuco, Brasil.

Referências

ALBUQUERQUE, M. A. C.; DIAS, L. C. Abordagem em saúde mental pelo médico de família. In: GUSSO, G.; LOPES, J. M. C. (org.). Tratado de Medicina da Família e Comunidade. Porto Alegre: Artmed, 2012. p. 233-240.

BATISTA, M. F. S.; ALBUQUERQUE, P. C. A produção da saúde e a população do campo: uma experiência no assentamento de reforma agrária em Pernambuco-Brasil. Tempus: Actas de Saúde Coletiva, Brasília, v. 8, n. 2, p. 173-194, 2014. Doi: 10.18569/tempus.v8i2.1518. Disponível em: https://www.tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/1518. Acesso em: 12 maio 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas, Saúde Mental. Cadernos de Atenção Básica, n. 34. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_34_saude_mental.pdf. Acesso em: 18 fev. 2020.

CAMATTA, M. W.; TOCANTINS, F. R.; SCHNEIDER, J. F. Ações de saúde mental na Estratégia Saúde da Família: expectativas de familiares. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 20, n. 2, p. 281-288, abr.-jun. 2016. Doi: 10.5935/1414-8145.20160038. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ean/a/p6z3GBJv4VhnJ4GFS5PKrXG/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2020.

CAMPOS JUNIOR, A.; AMARANTE, P. D. C. Estudo sobre práticas de cuidado em saúde mental na Atenção Primária: o caso de um município do interior do estado do Rio de Janeiro. Caderno Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 4, p. 425-435, out.-dez. 2015. Doi: 10.1590/1414-462X201500040226. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cadsc/a/9jyCvb7PzTGW3c8sLwMRgfB/abstract/?lang=pt. Acesso em: 17 maio 2020.

CARDOSO, A. J. C. et al. Reforma psiquiátrica e a política nacional de saúde mental. Tempus: Actas de Saúde Coletiva, Brasília, v. 8, n. 1, p. 57-63, 2014. Doi: 10.18569/tempus.v8i1.1453. Disponível em: https://www.tempusactas.unb.br/index.php/tempus/article/view/1453. Acesso em: 16 maio 2020.

CARVALHO, L.; SANTANA, C. Visão geral sobre saúde mental. In: SANTANA, C. L. A.; ROSA, A. S. (org.). Saúde mental das pessoas em situação de rua: conceitos e práticas para profissionais da assistência social. São Paulo: Epidaurus Medicina e Arte, 2016. p. 39-44.

CASANOVA, F.; OSORIO, L. C.; DIAS, L. C. Abordagem comunitária: grupos na atenção primária à saúde. In: GUSSO, G.; LOPES, J. M. C. (org.). Tratado de Medicina da Família e Comunidade. Porto Alegre: Artmed, 2012. p. 265-273.

FAGUNDES JÚNIOR, H. M.; DESVIAT, M.; SILVA, P. R. F. Reforma psiquiátrica no Rio de Janeiro: situação atual e perspectivas futuras. Ciência Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 21, n. 5, 2016. Doi: 10.1590/1413-81232015215.00872016. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/Pd5MjNsgyn6XZsmpg67fGyz/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2020.

FERNANDES, F. M. B.; MOREIRA, M. R. Considerações metodológicas sobre as possibilidades de aplicação da técnica de observação participante na Saúde Coletiva. Physis, Rio de Janeiro, v. 23, n. 2, 2013. Doi: 10.1590/S0103-73312013000200010. Disponível em: https://www.scielo.br/j/physis/a/xPxyWfgpxy9Dq6kgq6knnRc/abstract/?lang=pt. Acesso em: 16 maio 2020.

FIGUEIREDO, M. D.; CAMPOS, G. W. S. O apoio Paideia como metodologia para processos de formação em saúde. Interface, Botucatu, v. 18, 2014. Doi: 10.1590/1807-57622013.0323. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/5jR4yDtHVmVDGB3QFKw79Hd/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2020.

FREIRE, P. Cartas à Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. 5. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2012.

FREIRE, P. Educação e mudança. Tradução de Moacir Gadotti e Lílian Lopes Martins. 34. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011.

GRYSCHEK, G.; PINTO, A. A. M. Saúde Mental: como as equipes de Saúde da Família podem integrar esse cuidado na Atenção Básica. Ciência Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 10, 2015. Doi: 10.1590/1413-812320152010.13572014. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/YF4znJCJgZfbgTnGtRrwGpN/?lang=pt. Acesso em: 13 maio 2020.

JARA, O. H. A sistematização de experiências: prática e teoria para outros mundos possíveis. Tradução de Luciana Gafrée e Sílvia Pinevro. Brasília: CONTAG, 2012.

JUSTO, L. G. et al. A territorialização na atenção básica: um relato de experiência na formação médica. Interface, Botucatu, v. 21, 2017. Doi: 10.1590/1807-57622016.0512. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/G4rRVvny64R7HM9zfHkHQcc/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2020.

LANCETTI, A.; AMARANTE, P. Saúde mental e saúde coletiva. In: CAMPOS, G. W. S. et al. (org.). Tratado de Saúde Coletiva. 2. ed. São Paulo: Hucitec, 2012. p. 615-634.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 13ª ed. São Paulo: Hucitec, 2013.

OLIVEIRA, E. C. et al. O cuidado em saúde mental no território: concepções de profissionais da atenção básica. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, 2017. Doi: 10.1590/2177-9465-EAN-2017-0040. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ean/a/z5XwdsmszGVFBdGKZnNGtCf/abstract/?lang=pt. Acesso em: 10 maio 2020.

OLIVEIRA, L. C. et al. Participação popular nas ações de educação em saúde: desafios para os profissionais da atenção primária. Interface, Botucatu, v. 18, 2014. Doi: 10.1590/1807-57622013.0357. Disponível em: https://www.scielo.br/j/icse/a/SM8D3ZLV9XQnhBrMp9T5pTr/abstract/?lang=pt. Acesso em: 15 maio 2020.

OLIVEIRA, M. M.; CAMPOS, G. W. S. Formação para o apoio matricial: percepção dos profissionais sobre processos de formação. Physis, Rio de Janeiro, v. 27, n. 2, 2017. Doi: 10.1590/S0103-73312017000200002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/physis/a/pnCPdtDKdTjTHLvzgQ8kkrS/abstract/?lang=pt. Acesso em: 16 maio 2020.

PASQUIM, H. M.; ARRUDA, M. S. B. Núcleo de Apoio à Saúde da Família: revisão narrativa sobre o apoio matricial na atenção básica. Corpus et Scientia, Niterói, v. 9, n. 2, p. 34-44, 2013.

TRINCA, W. (org.). Procedimento de desenhos-estórias: formas derivativas, desenvolvimentos e expansões. São Paulo: Vetor; 2013.

VASCONCELOS, E. M. Educação popular e atenção à saúde da família. 6. ed. São Paulo: Hucitec, 2015.

VIEIRA, S. S.; NEVES, C. A. B. Cuidado em saúde no território na interface entre saúde mental e estratégia de saúde da família. Fractal: Revista de Psicologia, Niterói, v. 29, n. 1, 2017. Doi: 10.22409/1984-0292/v29i1/1375. Disponível em: https://periodicos.uff.br/fractal/article/view/5115/4966. Acesso em: 12 maio 2020.

Downloads

Publicado

31-08-2021

Como Citar

BENEVIDES, P. M. .; CRUZ, P. J. S. C.; ARAÚJO, R. S. de .; ABÍLIO, I. de S. . Práticas educativas no cuidado integral à saúde mental na Atenção Básica: caminhos e obstáculos com base em uma experiência . Revista de Educação Popular, Uberlândia, v. 20, n. 2, p. 36–56, 2021. DOI: 10.14393/REP-2021-58128. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/58128. Acesso em: 19 jul. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>