Diferentes expressões da prática extensionista orientada pelo referencial da concepção freiriana de educação popular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REP-2022-67196

Palavras-chave:

Extensão universitária, Educação popular, Paulo Freire, Extensão popular, Conversidade

Resumo

As atividades extensionistas configuram um amplo e variado universo que revela a coexistência de uma série diversificada de concepções, práticas e intencionalidades em sua concretização. Nesse multifacetado cenário da extensão universitária, há um conjunto de iniciativas que pautam suas ações com base nos aportes teórico-metodológicos e ético-políticos da concepção freiriana de educação popular, tendo como princípio fundante a valorização das diferentes formas de saberes e no seu horizonte contribuir com práticas e processos emancipatórios e de transformação social. Diante disso, no presente ensaio, caracteriza-se duas concepções, que mesmo possuindo suas particularidades, são complementares e manifestam contribuições significativas para a ressignificação e reorientação das ações de extensão sob um ponto de vista dialógico, problematizador e crítico-propositivo. Nessa acepção, delineia-se a concepção da extensão popular, a qual afirma-se como trabalho social útil que se orienta com base nos pressupostos da educação popular e, em seguida, apresenta-se o conceito de Conversidade, que designa o processo de construção compartilhada do conhecimento e da ação social que se dá a partir da relação entre a universidade e os movimentos sociais populares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renan Soares de Araújo, Escola de Saúde Pública da Paraíba

Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba, Brasil; apoiador institucional da Escola de Saúde Pública da Paraíba, Brasil; integrante do Grupo de Pesquisa em Extensão Popular (EXTELAR).

Referências

CRUZ, P. J. S. C. A conversidade como conceito central na reorientação do fazer universitário e sua construção compartilhada com os grupos populares, as práticas comunitárias e os movimentos sociais. In: FLEURI, R. M. Conversidade: diálogo entre universidade e movimentos sociais. João Pessoa: Editora do CCTA, 2019. p. 9-13.

CRUZ, P. J. S. C. Universidade popular: fundamentos, aprendizados e caminhos pela extensão. In: CRUZ, P. J. S. C. et al. (org.). Extensão popular: caminhos em construção. João Pessoa: Editora do CCTA, 2017a. p. 53-82.

CRUZ, P. J. S. C. Produções e construções de conhecimentos em diálogo com movimentos sociais populares e práticas comunitárias: o que Reinaldo Fleuri e o Mover nos ensinam. In: FLEURI, R. M. Educação intercultural e movimentos sociais: trajetória de pesquisas da Rede Mover. João Pessoa: Editora do CCTA, 2017b. p. 9-18.

CRUZ, P. J. S. C. Extensão popular: um jeito diferente de conduzir o trabalho social da universidade. In: CRUZ, P. J. S. C. et al. (org.). Educação popular na universidade: reflexões e vivências da Articulação Nacional de Extensão Popular (ANEPOP). São Paulo: Hucitec; João Pessoa: UFPB, 2013. p. 181-201.

DANTAS, V. L. A. Dialogismo e arte na gestão em saúde: a perspectiva popular nas Cirandas da Vida em Fortaleza-CE. 2009. 323 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

FLEURI, R. M. Conversidade: diálogo entre universidade e movimentos sociais. João Pessoa: Editora do CCTA, 2019.

FLEURI, R. M. Extensão universitária em educação popular. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 3, n. 6, p. 59-73, 1989.

FÓRUM DE PRÓ-REITORES DE EXTENSÃO DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS

BRASILEIRAS – FORPROEX. I Encontro de Pró-Reitores de Extensão das universidades públicas brasileiras. Conceito de extensão, institucionalização e financiamento. Brasília,

Disponível em: https://www.ufmg.br/proex/renex/images/documentos/1987-I-

Encontro-Nacional-do-FORPROEX.pdf. Acesso em: 17 set. 2022.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2015.

FREIRE, P. Educação e mudança. 34. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, P.; NOGUEIRA, A. Que fazer: teoria e prática em educação popular. 4. ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

GADOTTI, M. Extensão universitária: para quê? Instituto Paulo Freire. 2017. Disponível em: https://www.paulofreire.org/images/pdfs/Extens%C3%A3o_Universit%C3%A1ria_-_Moacir_Gadotti_fevereiro_2017.pdf. Acesso em: 20 set. 2022.

GAVIRAGHI, F. J.; GOERCK, C.; FRANTZ, W. As incubadoras sociais do Rio Grande do Sul na base de fomento da práxis emancipatória: algumas problematizações. Interações, Campo Grande, v. 20, n. 2, p. 461-473, abr./jun. 2019. DOI: https://doi.org/10.20435/inter.v0i0.1834. Disponível em: https://www.scielo.br/j/inter/a/Zk8w9hTcFtQpj8SDv9g5qdm/?lang=pt. Acesso em: 24 out. 2022.

JEZINE, E. A crise da universidade e o compromisso social da extensão universitária. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, 1., 2006, João Pessoa. Anais [...] João Pessoa: Editora da UFPB, 2006. Disponível em: http://www.prac.ufpb.br/anais/Icbeu_anais/anais/institucionalizacao/acrisedauniversidade.pdf. Acesso em: 24 out. 2022.

LEITE, I. A educação popular perante a questão das drogas: uma incursão no tema e um marco conceitual. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 17, n. 3, p. 10-27, set./dez. 2018. Doi: 10.14393/REP-v17n32018-art01. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/43120. Acesso em: 15 set. 2022.

MELO NETO, J. F. Extensão popular. 2. ed. João Pessoa: Editora da UFPB, 2014.

MELO NETO, J. F. Universidade popular: texto para debate. João Pessoa: Editora da UFPB, 2012.

MELO NETO, J. F. Extensão universitária é trabalho. João Pessoa: Editora da UFPB, 2004.

MELO NETO, J. F. Extensão universitária e produção do conhecimento. Conceitos, João

Pessoa, v. 5, n. 9, p. 13-19, 2003.

MELO NETO, J. F. Extensão universitária: bases ontológicas. In: MELO NETO, J. F. (org.).

Extensão universitária: diálogos populares. João Pessoa: Editora da UFPB, 2002. p. 7-22.

MELO NETO, J. F. Extensão universitária: em busca de outra hegemonia. Revista de Extensão, João Pessoa, Ano 1, n. 1, p. 9-21, jul. 1996.

PAULA, J. A. A extensão universitária: história, conceito e propostas. Interfaces, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 5-23, jul./nov. 2013. Disponível em: https://periodicos.ufmg.br/index.php/revistainterfaces/article/view/18930. Acesso em: 24 out. 2022.

RIBEIRO, K. S. Q. S. A experiência na extensão popular e a formação acadêmica em fisioterapia. Cad. Cedes, Campinas, v. 29, n. 79, p. 335-346, dez. 2009. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-32622009000300004. Disponível em: https://www.scielo.br/j/ccedes/a/pm9WRFZZJBs6qLc4FZ3c5Tv/abstract/?lang=pt. Acesso em: 24 out. 2022.

RIGOTTO, R. M.; LEÃO, F. A. F.; MELO, R. D. A pedagogia do território: desobediências epistêmicas e insurgências acadêmicas na práxis do Núcleo Tramas. In: RIGOTTO, R. M.; AGUIAR, A. C. P.; RIBEIRO, L. A. D. (org.). Tramas para a justiça ambiental: diálogo de saberes e práxis emancipatórias. Fortaleza: UFC, 2018. p. 345-396.

SANTOS, B. S. La universidad en el siglo XXI: para una reforma democrática y emancipatoria de la universidad. La Paz: Plural Editores, 2007.

SANTOS, B. S. Introdução a uma ciência pós-moderna. Rio de Janeiro: Graal, 1989.

SOUZA, T. Z. A extensão popular e a produção de conhecimento conversitário. Cad. Pesq., São Luís, v. 26, n. 2, p. 237-256, abr./jun. 2019. Doi: 10.18764/2178-2229.v26n2p237-256. Disponível em: https://periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/11895. Acesso em: 15 set. 2022.

TOMMASINO, H. et al. Extensión crítica: los aportes de Paulo Freire. In: CRUZ, P. J. S. C. et al. (org.). Educação popular na universidade: reflexões e vivências da Articulação Nacional de Extensão Popular (ANEPOP). São Paulo: Hucitec; João Pessoa: UFPB, 2013. p. 216-237.

VASCONCELOS, V. O.; OLIVEIRA, M. W. Educação popular: uma história, um que-fazer. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 13, n. 2, p. 135-146, mai./ago. 2009. DOI: https://doi.org/10.4013/edu.2009.132.4939. Disponível em: https://revistas.unisinos.br/index.php/educacao/article/view/4939. Acesso em: 24 out. 2022.

Downloads

Publicado

2022-11-05

Como Citar

ARAÚJO, R. S. de. Diferentes expressões da prática extensionista orientada pelo referencial da concepção freiriana de educação popular. Revista de Educação Popular, Uberlândia, MG, p. 65–86, 2022. DOI: 10.14393/REP-2022-67196. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/67196. Acesso em: 10 dez. 2022.