Manoel Antônio de Almeida, Rubem Fonseca e a Rio de Janeiro dos nossos tempos: picardia, malandragem, miséria e extrema

Autores

  • Francisco Afrânio Câmara-Pereira UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.14393/LL64-v31n1a2015-17

Palavras-chave:

Cidade, Literatura brasileira contemporânea, Manuel Antônio de Almeida, Rubem Fonseca

Resumo

O presente artigo discute com brevidade a relação da literatura brasileira com o urbano. O texto se baseia em ideias e conceitos de Candido no seu já clássico ensaio "Dialética da aprendizagem" (2010), em que ele emite, em primeira instância, algumas impressões sobre o romance Memórias de um sargento de milícias, de Manuel Antônio de Almeida (1941). A partir dessa base teórica, o artigo tematiza sobre influências do urbano na ficção realista de Almeida e contemporânea de Fonseca, particularmente no que se vê em contos deste último, enfatizando contrapontos entre as ficções citadas desses dois escritores. A intenção final do texto é ressaltar semelhanças e diferenças de composição ficcional, destacando-se a literatura socialmente mais contundente e vibrante de Rubem Fonseca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Afrânio Câmara-Pereira, UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte

Professor de Teoria da Literatura e Literatura Brasileira

Departamento de Letras Vernáculas da UERN - Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Campus de Açu

Doutor em Estudos da Linguagem pela UFRN, área de concentração em Literatura Comparada

Downloads

Publicado

2015-07-10

Como Citar

CÂMARA-PEREIRA, F. A. Manoel Antônio de Almeida, Rubem Fonseca e a Rio de Janeiro dos nossos tempos: picardia, malandragem, miséria e extrema. Letras & Letras, [S. l.], v. 31, n. 1, p. 239–254, 2015. DOI: 10.14393/LL64-v31n1a2015-17. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/29228. Acesso em: 5 dez. 2022.