“Autismo” e “autista”

um estudo lexicográfico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DLv17a2023-18

Palavras-chave:

Microestrutura, Autismo, Autista, Lexicografia

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar uma análise da microestrutura dos verbetes “autismo” e “autista” em dicionários da Língua Portuguesa. Para tanto, foram utilizados cinco dicionários disponíveis online. A microestrutura das palavras-entrada “autismo” e “autista” foi analisada de forma descritiva e quantitativa, por meio de quadros comparativos, nos quais distribuímos as informações conforme registro nos dicionários. Pautamo-nos nos pressupostos teóricos de Biderman (2001), Garriga Escribano (2003), Medina Guerra (2003), Porto Dapena (2002), Welker (2004); bem como consideramos as contribuições advindas das produções científicas existentes no tocante ao Transtorno do Espectro Autista (TEA). Foi possível constatar que os verbetes “autismo” e “autista” em geral não apresentam suas definições conforme os conhecimentos mais recentes sobre o transtorno, bem como nem sempre mencionam a nomenclatura vigente “TEA”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aneilza de Carvalho Ferreira, UFMS

Mestranda, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Bruno Oliveira Maroneze, Universidade Federal da Grande Dourados

Professor Adjunto da Faculdade de Comunicação, Artes e Letras da Universidade Federal da Grande Dourados.

Referências

BERTAGLIA, B. Uma a cada 44 crianças é autista. Autismo e Realidade. Disponível em: https://autismoerealidade.org.br/2022/02/04/uma-a-cada-44-criancas-e-autista-segundo-cdc. Acesso em : 15 jul. 2022.

BIDERMAN, M. T. C. A ciência da Lexicografia. In: BIDERMAN, M. T. C. Lexicologia e Lexicografia. Alfa, 28 (Suplemento), p. 1-26, 1984.

BIDERMAN, M. T. C. Os dicionários na contemporaneidade: arquitetura, métodos e técnicas. In: Oliveira, A. M. P. P.; ISQUERDO, A. N (ed.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia e terminologia. Vol. I. Campo Grande: UFMS, 1998. p. 129-142.

BIDERMAN, M. T. C. As Ciências do Léxico. In: OLIVEIRA, A. M. P. P.; ISQUERDO, A. N. As Ciências do Léxico: Lexicologia, Lexicografia, Terminologia. 2 ed. Campo Grande: Editora UFMS, 2001. p. 13-22.

BORBA, F. S. Organização de dicionários: uma introdução à Lexicografia. São Paulo: UNESP, 2003.

COUTINHO, A. A. et al. Do DSM-I ao DSM-5: efeitos do diagnóstico psiquiátrico “espectro autista” sobre pais e crianças. Movimento Psicanálise, Autismo e Saúde Pública. 2013. Disponível em: http://psicanaliseautismoesaudepublica.wordpress.com/2013/04/11/do-dsm-i-ao-dsm-5-efeitos-do-diagnostico-psiquiatrico-espectro-autista-sobre-pais-e-criancas. Acesso em: 06 jun. 2021.

CUNHA. A. G. Dicionário etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1982.

EVANS, B. How autism became autism. The radical transformation of a central concept of child development in Britain. History of the Human Sciences, vol. 26, n. 3, 2013. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3757918.

Acesso em: 15 jul. 2022. DOI https://doi.org/10.1177/0952695113484320

FERNANDEZ-SEVILLA, J. Problemas de lexicografía actual. Bogotá: Instituto Caro e Cuervo, 1974.

GARRIGA ESCRIBANO, C. La microestructura del diccionario: las informaciones lexicográficas. MEDINA GUERRA, Antonia, M. (coord.). Lexicografía española. Barcelona: Ariel Lingüística, 2003. p. 103-126.

MEDINA GUERRA, A. M. La microestructura del diccionario: la definición. In: MEDINA GUERRA, A. M. (coord.). Lexicografía española. Barcelona: Ariel Lingüística, 2003. p. 127-146.

OLIVEIRA, A. M. P. P.; ISQUERDO, A. N. (org.). As ciências do léxico: lexicologia, lexicografia, terminologia. Campo Grande (MS): Ed. UFMS, 1998.

PAIVA JUNIOR, F. O que é o autismo? Canal Autismo, vol. V, n. 04, março/abril/maio 2019. Disponível em: https://www.canalautismo.com.br/o-que-e-autismo. Acesso em: 15 jul. 2022.

PAIVA JUNIOR, F. Novo estudo indica prevalência: 1 em cada 30 crianças nos EUA é autista. Canal Autismo, 2022. Disponível em: https://www.canalautismo.com.br/noticia/novo-estudo-indica-prevalencia-1-em-cada-30-criancas-nos-eua-e-autista. Acesso em: 15 jul. 2022.

PEREIRA, R. R. O dicionário pedagógico e a homonímia: em busca de parâmetros didáticos. 2018b, p. 209. Tese (Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa). Universidade Estadual Paulista (Unesp). Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/153693. Acesso em: 30 set. 2022.

PORTO DAPENA, J.-A. Lexicografía y Diccionario. In: PORTO DAPENA, J.-A. Manual de técnica lexicográfica. Madrid: ARCO/LIBROS, S. A., 2002. p. 15-41.

PORTO DAPENA, J.-A. Tipos de diccionarios. In: PORTO DAPENA, J.-A. Manual de técnica lexicográfica. Madrid: ARCO/LIBROS, S. A., 2002.

REY-DEBOVE, J. Le dictionnaire comme discours sur la chose et discours sur le signe. Semiotica, v. 1-2. p. 185-195, 1969. DOI https://doi.org/10.1515/semi.1969.1.2.185

RODRIGUES-PEREIRA, R. Parâmetros para a organização lexicográfica de formas homônimas homófonas não homógrafas destinadas a dicionários pedagógicos. In: RODRIGUES-PEREIRA, R.; COSTA, D. S. S. (org.). Estudos em lexicografia: aspectos teóricos e práticos. Campinas, SP: Pontes Editores, 2020. p. 137-159.

TAMANAHA, A. C.; PERISSINOTO, J.; CHIARI, B. M. Uma breve revisão histórica sobre a construção dos conceitos do Autismo Infantil e da síndrome de Asperger. Rev. soc. bras. fonoaudiol., São Paulo, v. 13, n. 3, 2008. Acesso em: 15 jul. 2022. DOI https://doi.org/10.1590/S1516-80342008000300015

TOMASINI, M. E. A. Expatriação Social e a segregação institucional da diferença: Reflexões. In: BIANCHETTI, L.; FREIRE, I. M. Um olhar sobre a diferença: Interação, trabalho e cidadania. 12. ed. Campinas: Papirus, 2012. Cap. 3, p. 111-34.

WELKER, H. A. Dicionários: Uma pequena introdução à Lexicografia. 2. ed. revista e ampliada. Brasília: Thesaurus, 2004.

WERNER, R. Léxico y teoría general del lenguaje. In: HAENSCH, G. et al. La Lexicografia. De la Lingüística teórica a la Lexicografia práctica. Madrid: Editorial Gredos, 1982. p. 20-94.

WIEGAND, H. E. On the structure and contents of a general theory of lexicography. 1984. Disponível em: https://euralex.org/elx_proceedings/Euralex1983/007_Herbert%20E.%20Wiegand%20(Heidelberg)%20-%20On%20the%20structure%20and%20contents%20of%20a%20general%20theory%20of%20lexico.pdf. Acesso em: 16 nov. 2022.

ZAVAGLIA, C. Metodologia em ciências da linguagem: lexicografia In: GONÇALVES, A. V.; GÓIS, M. L. S. (org.). Ciências da Linguagem: o fazer científico? Campinas: Mercado de Letras, 2012, v. 1. p. 163-177.

Downloads

Publicado

17.03.2023

Como Citar

FERREIRA, A. de C.; MARONEZE, B. O. “Autismo” e “autista”: um estudo lexicográfico. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 17, p. e1718, 2023. DOI: 10.14393/DLv17a2023-18. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/67713. Acesso em: 13 jun. 2024.