Prenomes e sobrenomes no Brasil

uma revisão sistemática de literatura

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DLv17a2023-4

Palavras-chave:

Revisão sistemática de literatura, Antroponomástica, Nome oficial primário, Brasil

Resumo

Este artigo apresenta uma revisão sistemática de literatura que visa revelar a constituição dos nomes de pessoa oficiais primários na língua portuguesa no Brasil e identificar as características epistemológicas das pesquisas desenvolvidas. Para tanto, foi feita uma seleção de 15 artigos extraídos de uma lista bibliográfica contendo 44 artigos sobre Onomástica publicados de 2011 a 2021. Os resultados mostram que há grande diversidade etimológica tanto nos sobrenomes quanto nos prenomes. Com exceção dos povos nativos e dos descendentes de escravos, há correlação entre a etnia dos antepassados e a etimologia dos sobrenomes em uso no Brasil. Foram evidenciados dois tipos de nomes: convencionais, que estão integrados no repertório onomástico do Brasil em determinado período, são escolhidos em harmonia com costumes locais e estão conectados a tradições religiosas ou nacionais; e não convencionais, que destoam da categoria anterior e são avaliados como nomes diferentes e singulares. Mais de 25% das pesquisas abrangem mais de um nível linguístico de análise, uma vez que abordam os níveis etimológico, ortográfico e/ou morfológico. Constatou-se também que predominam as pesquisas de abrangência local e que, em todos os estudos, os dados foram analisados levando-se em consideração, para além do aspecto linguístico, o contexto histórico e social da fonte dos dados analisados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia SipaviciuS Seide, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Doutora em Língua Portuguesa e Filologia pela USP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UNIOESTE. Membro efetivo do GT da ANPOLL Lexicologia, Lexicografia e Terminologia.

Referências

AMARAL, E. T. R. Onomastics and Law Interface: contributions to the studies of Brazilian anthroponomy. Domínios de Lingu@gem, v. 15, n. 2, p. 446-473, 2021. DOI https://doi.org/10.14393/DL46-v15n2a2021-7

AMARAL, E. T. R; SEIDE, M. S. Nomes próprios de pessoa: introdução à antroponímia brasileira. São Paulo: Ed. Blucher, 2020. DOI https://doi.org/10.5151/9786555500011

CHOLEVA-DIMITROVA, A.; DANCHEVA, N.; VLAHOVA-ANGELOVA, M.; PETKOVA, G. Are contemporary Bulgarian personal names still indicative of a Bulgarian identity? Onoma, 55, Uppsala – Suécia p. 247–266, 2020. DOI https://doi.org/10.34158/ONOMA.55/2020/14

CARVALHINHOS, P.de J.; NERI, C. A. N.(ed.).A busca pela interdisciplinaridade na Onomástica brasileira. Domínios da Lingu@gem, v.15, Uberlândia, v. 15, n. 2, p. 258-611, 2021. Acesso em 03 mar. 2022. DOI https://doi.org/10.14393/DL46-v15n2a2021-1

FELECAN, O. Unconventional First Names: Between Onomastic Innovations and Illustrious Models. In: Unconventional anthroponyms: Formation patterns and discursive function. FELECAN O.; FELECAN D. (org). Newcastle upon Tyne: Cambridge Scholars Publishing, 2014. p.133–155.

FILGUEIRAS, Z. Italianos em Belo Horizonte: estudo léxico-social e proposta de dicionário [tese, UFMG]. Zuleide Ferreira Filgueiras. Belo Horizonte, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/MGSS-AAPJ5Y. Acesso em: 03 nov. 2022.

FROSI, V. M. Sobrenomes italianos: um estudo onomástico. Signum: Estudos da Linguagem, [S.l.], v. 17, n. 2, p. 389-412, dez. 2014. DOI https://doi.org/10.5433/2237-4876.2014v17n2p389

FRÄNDÉN, M. Surnames in the Melting Pot: presentation of a project on surnames and immigration. In: INTERNATIONAL CONGRESS OF ONOMASTIC SCIENCES, 25, Glasgow, 25-29 August, 2014. HOUGH, C.; IZDEBSKC, D. (ed.). Proceedings Names and their environment […]. Glasgow: University of Glasgow, 2016. p.233-237.

FERNÁNDEZ JUNCAL, C.; SEIDE, M. S. Convergencia y divergencia de los repertorios antroponímicos brasileño y español. Fórum Linguístico, Florianópolis, v. 18, n. 2, p. 6101-6123, 2021. DOI https://doi.org/10.5007/1984-8412.2021.e73809

GRESPAN, T., SEIDE, M. S. Mais Wellicas Samaras e Hendryas Nicoles, menos Marias Luísas e Joões Pedros: os novos nomes duplos do sistema antroponímico brasileiro. Recorte (UninCor), Três Corações, v. 10, n. 2 p. 1, 2013. Disponível em: https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&ved=2ahUKEwjWsI6YjPP1AhUkqpUCHZ6YBZQQFnoECAQQAQ&url=https%3A%2F%2Fdialnet.unirioja.es%2Fdescarga%2Farticulo%2F4791983.pdf&usg=AOvVaw1AXFx4YlajHia8pIFxdhH8 . Acesso em: 03 mar. 2022.

GUÉRIOS, R. F. M. Dicionário Etimológico de nomes e sobrenomes. 2ed. São Paulo: Ave Maria, 1981.

HÉBRARD, J. Esclavage et dénomination: imposition et appropriation d’un nom chez les esclaves de la Bahia au XIXe siècle. Cahiers du Brésil Contemporain, Paris, n. 53/54, p. 31-92, 2003.

ICOS. Onomastic Bibliographic Anthology. Disponível em: Onomastic Bibliographic Anthology – ICOS (icosweb.net). 2022. Acesso em: 31 mar. 2022.

MARIANO, V. C. A antroponímia dos matriculados na sociedade protetora dos desvalidos durante a segunda década do século XX, Entre Palavras, Fortaleza, v.3, n.1, p. 191-217, 2013.DOI

MARTINS, A. M. S, SOUZA, N. M., CATÃO, H. V., CONCIANZA, F. Nomes e sobrenomes dos Guarani e Kaiowá de Mato Grosso do Sul. Onomástica desde América Latina, Cascavel, v. 1, n. 1, p. 46-66, 2020. DOI https://doi.org/10.48075/odal.v1i2.25490

MONTEIRO, J. L. Regras de produtividade dos hipocorísticos. Revista de Letras, Fortaleza, v. 5, n. 2, p. 47-60, 1981.

OLIVER, N. Dicionário de nomes: todos os nomes do mundo. Rio de Janeiro: Bestbolso, 2010.

RUSU, M. S. Street naming practices: A systematic review of urban toponymic scholarship. Onoma v. 56, p. 269–292. DOI https://doi.org/10.34158/ONOMA.56/2021/14

SAMPAIO, R. F.; MANCINI, M. C. Estudos de revisão sistemática: um guia para síntese criteriosa da evidência científica. Revista brasileira de fisioterapia, São Carlos, v. 11, n. 1, p. 83-89, jan./fev. 2007. DOI https://doi.org/10.1590/S1413-35552007000100013

SEABRA, M. C. T; ISQUERDO, A. N. (ed.). Onomastics. Revista Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 993-1350, 2018. Acesso em: 03 mar. 2022.

SIMÕES, N.; SOLEDADE, J. Nomes masculinos X-son na antroponímia brasileira: uma abordagem morfológica, histórica e construcional. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 26, n. 3, p. 1295-1335, 2018. DOI https://doi.org/10.17851/2237-2083.26.3.1295-1350

SEIDE, M. S. Nome próprio e identidade em Marechal Cândido Rondon. Estudos Linguísticos, São Paulo, v. 43, n. 1, p. 212-225, 2015. Disponível em: https://revistas.gel.org.br/estudos-linguisticos/article/view/432. Acesso em: 03 mar. 2022.

SEIDE, M. S. Métodos de pesquisa em Antroponomástica. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 10, n. 3, p. 1146-1171, 2016. DOI https://doi.org/10.14393/DL23-v10n3a2016-19

SEIDE, M. S. Antroponimia, diáspora y migración: los descendientes de lituanos en Brasil. Onomástica desde América Latina, Cascavel, v. 1, n. 1 p. 97-117, 2020a. DOI https://doi.org/10.48075/odal.v1i1.24156

SEIDE, M. S. A antroponomástica comparada. Onomástica desde América Latina, Cascavel, v.1 n. 2, p. 83-102, 2020b. DOI https://doi.org/10.48075/odal.v1i2.25488

SEIDE, M. S. Do nome direito ao direito ao nome: as políticas linguísticas sob o viés antroponímico”. In: BERGER,I.S.; REDEL.L. (org.). Políticas de gestão do multilinguismo: práticas e debates. Campinas: Pontes, 2020c. p. 231-252.

SEIDE, M. S. Prenomes cristãos: constituição, etimologia, motivação para a escolha antroponímica e conhecimento onomástico. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 29, n. 1 p. 49-76, 2021. DOI https://doi.org/10.17851/2237-2083.29.1.49-76

SEIDE, M. S.; FRAI, P. H. Antroponímia comparada: um estudo sobre os nomes inovadores na antroponímia da Espanha e do Brasil. Afluente, Bacabal, v. 4, n. 12, p. 64-86, 2019. Disponível em: http://www.peridicoseletronicos.ufma.br/index.php/afluente/article/view/11443/6843Acesso em: 03 mar. 2022.

SEIDE, M. S.; PETRULIONĖ, L. Between Languages and Cultures: an Exploratory Comparative Study of Usage of Lithuanian and Brazilian Masculine Anthroponyms. Revista de Estudos da Linguagem, Belo Horizonte, v. 26, n. 3 p. 1201-1226, 2018. DOI https://doi.org/10.17851/2237-2083.26.3.1201-1226

SEIDE, M. S.; PETRULIONĖ, L. Formation and usage of hypocoristic forms in Brazilian Portuguese and Lithuanian. Alfa: Revista de Linguística, São Paulo, v. 64, p. 1-25, 2020. DOI https://doi.org/10.1590/1981-5794-e11611

SEIDE, M. S. Proposta de definição interdisciplinar de nome próprio. Onomástica desde América Latina, Cascavel, v. 2., n. 5, p 154-175, 2021. DOI https://doi.org/10.48075/odal.v0i0.27562

SOLEDADE, J. A hipótese da prevalência de construções biformativas em processos concatenativos e não concatenativos na formação de antropônimos neológicos no Brasil. Estudos linguísticos e literários, Salvador, n. 61, p. 30-48, 2019a. DOI https://doi.org/10.9771/ell.v0i61.27588

SOLEDADE, J. Origens e estruturação histórica do léxico antroponímico do português brasileiro. Macabéa-revista eletrônica do Netlli, Crato, v. 8, n. 2, p. 372-410, 2019b. DOI https://doi.org/10.47295/mren.v8i2.1954

SOLEDADE, J.; SANTOS RODRIGUES, L. S.; SIMÕES NETO, N. A. A inovação antroponímica na Bahia dos séculos XIX, XX e XXI: uma interface entre Antroponomástica e Morfologia Histórica. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v.15, n. 2, p., 371–404, 2020. DOI https://doi.org/10.14393/DL46-v15n2a2021-5

SOUZA, A. M.; SILVA-OLIVEIRA, G. C.; GONÇALVES FILHO, J. S. T.; QUADROS, R. M. Antroponímia em língua de sinais: os sinais-nome em Florianópolis. Humanidades & Inovação, Palmas, v. 7, n. 26. p.112-124, 2020. Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/2598. Acesso em: 03 mar. 2022.

VAN LANGENDONK, W. Theory and typology of proper names. Berlin: Walter de Gruyter, 2007. DOI https://doi.org/10.1515/9783110197853

TAVARES DE BARROS, F. H.; SANTOS HEIDMANN, G. V. dos; PHILIPPSEN , N. I. Nomes de famílias de origens portuguesa e espanhola em lápides do cemitério de Iguatu- PR. Domínios de Lingu@gem, v. 14, n. 4, p. 1245–1272, 2020. DOI https://doi.org/10.14393/DL44-v14n4a2020-7

VESCOVI, J. P. Eventos históricos e os impactos antroponímicos: a influência da Era do hortelã na antroponímia de Palotina-PR. Onomástica desde América Latina, Cascavel, v. 2, n. 3, p. 30-58, 2021. DOI https://doi.org/10.48075/odal.v0i0.25970

Publicado

05.11.2022

Como Citar

SEIDE, M. S. Prenomes e sobrenomes no Brasil: uma revisão sistemática de literatura. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 17, p. e1704, 2022. DOI: 10.14393/DLv17a2023-4. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/65296. Acesso em: 7 dez. 2022.

Edição

Seção

Artigos - Revisão de Literatura