Influências do Paradigma Tradicional de Gramatização no ensino

as classes substantivo e adjetivo nos livros didáticos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL50-v16n2a2022-14

Palavras-chave:

Paradigma Tradicional de Gramatização, Classes de Palavras, Livros Didáticos

Resumo

O presente estudo parte da hipótese de que o Paradigma Tradicional de Gramatização (PTG) influencia diretamente na abordagem dos fatos linguísticos com fins pedagógicos e busca desenvolver uma análise das classes substantivo e adjetivo em manuais didáticos contemporâneos. Em um primeiro momento, apresenta-se o surgimento e a evolução do PTG no contexto brasileiro; depois, discutem-se os principais problemas evidenciados no ensino das classes de palavras da Língua Portuguesa; e, por fim, desenvolve-se a análise da abordagem dos substantivos e adjetivos em um manual didático de 6º ano do Ensino Fundamental II, sob a ótica das postulações Neves (2017). Para isso, será realizada uma pesquisa inicialmente bibliográfica e qualitativa, no que tange à análise tecida. Como conclusões, constatou-se que os livros didáticos ainda apresentam definições incipientes para as classes dos substantivos e adjetivos, com problemas relativos à confusão de critérios e fluidez de categorias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriene Ferreira de Mello, UERJ

Mestranda em Língua Portuguesa, pelo Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Referências

ANTUNES, I. Aula de Português: encontro & interação. São Paulo: Parábola, 2003.

ANTUNES, I. Muito além da gramática: por um ensino de línguas sem pedras no caminho. São Paulo: Parábola, 2007.

AZEREDO, J. C. de. Classe de Palavras: um percurso crítico com vista a uma meta didática. Confluência, Rio de Janeiro: Liceu Literário Português, v. especial 30 anos, p. 296-323, jun./2021. DOI: https://doi.org/10.18364/rc.2021nEsp.500

AZEREDO, J. C. de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. 4.ed. São Paulo: Publifolha, 2018.

BAGNO, M. Gramática pedagógica do português brasileiro. São Paulo: Parábola, 2012.

BAGNO, M. Preconceito Linguístico: o que é, como se faz. 48 ed. São Paulo: Loyola, 2007.

BASÍLIO, M. Teoria Lexical. São Paulo: Ática, 1987.

BECHARA, E. Moderna Gramática Portuguesa. 38.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2015.

BORGES NETO, J. A naturalização da gramática tradicional e seu uso protocolar. Texto de conferência proferida no VIII Congresso da ABRALIN, Natal, RN, 02 fev. 2013. Disponível em: https://docs.ufpr.br/~borges/publicacoes/para_download/naturalizacao.pdf. Acesso em: 25 jun. 2021.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: a educação é a base. MEC: 2018.

CÂMARA JR., J. M. Estrutura da Língua Portuguesa. 21.ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1992.

CASTILHO, A. T. de. Nova gramática do português brasileiro. São Paulo: Contexto, 2014.

CUNHA, C.; CINTRA, L. Nova gramática do português contemporâneo. 6.ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2013.

DELMANTO, D.; CARVALHO, L. B. Português: conexão e uso, 6º ano: ensino fundamental, anos finais. São Paulo: Saraiva, 2018.

FRANCHI, C. Criatividade e Gramática. Trabalhos em Linguística Aplicada, n. 9, p. 5-45, 1987.

GERALDI, J. W. Unidades básicas do ensino de português. In: GERALDI, J. W. O texto na sala de aula. Versão ePUB. São Paulo: Ática, 2011.

GERALDI, J. W. Linguagem e ensino: exercícios de militância e divulgação. São Paulo: Mercado das Letras, 1996.

NEVES, M. H. de M. A gramática passa a limpo: conceitos, análises e parâmetros. São Paulo: Parábola, 2012.

NEVES, M. H. de M.. A gramática: história, teoria e análise, ensino. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

NEVES, M. H. de M. Categorias gramaticais em materiais didáticos. In: CASSEB-GALVÃO, V.; NEVES, M. H. de M. (org.). O todo da língua: teoria e prática do ensino de português. São Paulo: Parábola, 2017, p. 123-140.

NEVES, M. H. de M. Gramática de usos de português. 2.ed. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

NEVES, M. H. de M. Gramática na escola. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2001.

PERINI, M. A Gramática Descritiva do Português. 4.ed. São Paulo: Ática, 2005.

PERINI, M. Sofrendo a gramática: ensaios sobre a linguagem. 3 ed. São Paulo: Ática, 2000.

PINILLA, M. da A. de. Classes de palavras. In: VIEIRA, S. R.; BRANDÃO, S. F. (org.). Ensino de gramática: descrição e uso. 2.ed. São Paulo: Contexto, 2013. p. 169-184.

SILVA, J. R.. Tradição gramatical vs. virada linguística no arcabouço descritivo de uma gramática escolar contemporânea. In: Anais do II Congresso Internacional de Linguística e Filologia e do XX Congresso Nacional de Linguística e Filologia, Rio de Janeiro: CiFEFiL, 2016. p. 491-515. Disponível em: http://www.filologia.org.br/xx_cnlf/cnlf/cnlf_03/034.pdf. Acesso em: 25 jun. 2021.

VIEIRA, F. E. A gramática tradicional: história crítica. São Paulo: Parábola, 2018.

Downloads

Publicado

07-01-2022

Como Citar

MELLO, A. F. de. Influências do Paradigma Tradicional de Gramatização no ensino: as classes substantivo e adjetivo nos livros didáticos. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 16, n. 2, p. 766–793, 2022. DOI: 10.14393/DL50-v16n2a2022-14. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/62080. Acesso em: 21 maio. 2022.