Aula de português

uma proposta enunciativa para um ensino reflexivo de gramática

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL51-v16n3a2022-5

Palavras-chave:

Língua, Gramática, Ensino reflexivo, Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas

Resumo

Este trabalho busca apresentar algumas discussões acerca da relação entre língua e gramática e seu ensino nas aulas de língua materna. Tem-se como objetivo apresentar formas de trabalhar conteúdos gramaticais, abordando um ensino reflexivo. Considera-se a capacidade dos estudantes de refletir sobre o funcionamento da língua, buscando apresentar alternativas para explorar a atividade de linguagem em sala de aula. Autores como Antunes (2003), Bagno (2002) e Travaglia (2006), Franchi (1991) nos auxiliam na discussão sobre o ensino de língua materna. Na perspectiva enunciativa, o estudo da atividade de linguagem é um conceito básico da Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas (TOPE) e será embasado por Culioli (1990), Romero (2019), Rezende (2011). Estes autores veem a linguagem como uma atividade criativa de construção de experiências e que se deve, portanto, buscar desenvolver, em sala de aula, métodos eficientes de exploração da língua sem se deter em elementos classificatórios e regras normativas. Parte-se de uma atividade tradicional realizada em sala de aula e, em seguida, propõe-se formas de trabalhar o mesmo conteúdo proposto na atividade, porém tendo como suporte os autores supracitados. Esse tipo de atividade resulta em um aluno muito mais independente que manipula a língua sem se preocupar em aprender classificações e, em resposta, há um nível de compreensão muito maior bem como um rendimento interessante em termos de participação, aprendizagem e produção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andreana Carvalho de Barros Araújo, Universidade Federal do Piauí

Doutoranda em Letras pela Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Referências

ANTUNES, I. Aula de português: encontro e interação. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

BAGNO, M. A inevitável travessia: da prescrição gramatical à educação linguística. In. BAGNO, M. GAGNÉ, G. STUBBS, M. Língua materna: letramento, variação e ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2002. p. 13-82

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37 ed. rev. e ampl. Rio de Janeiro: Lucerna, 2006.

CULIOLI, A. Pour une linguistique de l’énonciation. Tome 1. Paris: Ophrys, 1990.

FRANCHI, C. Criatividade e gramática. São Paulo: Secretaria da Educação, Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas, 1991.

TRAVAGLIA, L. C. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. 11. ed. São Paulo: Cortez, 2006.

REZENDE, L. M. A indeterminação da linguagem e o conceito de atividade no ensino de língua materna. Estudos Linguísticos, São Paulo, 40 (2): p. 707-714, mai-ago. 2011.

Downloads

Publicado

17.06.2022

Como Citar

ARAÚJO, A. C. de B. Aula de português: uma proposta enunciativa para um ensino reflexivo de gramática. Domínios de Lingu@gem, Uberlândia, v. 16, n. 3, p. 1026–1046, 2022. DOI: 10.14393/DL51-v16n3a2022-5. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/62038. Acesso em: 9 dez. 2022.