O mapeamento fonético-fonológico das vogais postônicas finais no português brasileiro

Autores

  • Carmen Lúcia Matzenauer Universidade Católica de Pelotas - UCPEL

DOI:

https://doi.org/10.14393/DL22-v10n2a2016-3

Palavras-chave:

Vogais átonas finais, Percepção e produção, Níveis fonético e fonológico, Fonologia do português

Resumo

O funcionamento das vogais átonas é, no dizer de Câmara Jr. (1977), “um dos problemas mais intrincados da fonêmica portuguesa no Brasil”. Em sílaba átona final, a mais débil da palavra, o triângulo de sete vogais tônicas do sistema fonológico da língua fica reduzido às três vogais periféricas /a, i, u/ (CÂMARA JR., 1970, 1977; BISOL, 1981, 2002, 2003). Essas vogais que se mantêm nas sílabas com maior grau de atonicidade no português brasileiro (PB) são as mais frequentes nos inventários fonológicos das línguas (MADDIESON, 1984) e as primeiras a emergir no processo de aquisição da linguagem pelas crianças (RANGEL, 2002). As formas fonéticas que tais vogais assumem no PB tendem a ser centralizadas ([I, U, ]), havendo variação, no sul do país, entre altas e médias (golp[I] ~ golp[e]; camp[U] ~ camp[o]). Diante da possível assimetria ao se considerarem as vogais átonas finais do PB, o mapeamento entre os níveis fonético e fonológico da língua é o foco do presente estudo. Na discussão, retoma-se pesquisa realizada com quatro informantes do sul do Brasil, submetidos a testes de percepção e de produção linguísticas, cujos dados foram interpretados por meio de restrições com o suporte do Modelo BiPhon (BOERSMA, 2007, 2011). Os resultados foram formalizados de modo a representar a gramática responsável pela representação das vogais átonas finais de falantes nativos de PB.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AZEVEDO, R. Q.; PEDONE, M.; KOHLS-RIBEIRO, D. O processo de aquisição do sistema vocálico tônico do PB: estudo de caso. Salão Universitário da UCPEL. Pelotas: UCPEL, 2014.

BISOL, L. Harmonização vocálica: uma regra variável. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1981.

BISOL, L. Epílogo. In: BISOL,L.; BRESCANCINI,CR. (Eds.): Fonologia e Variação. Recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. p.303-312.

BISOL, L. Neutralização das átonas. D.E.L.T.A. São Paulo: v.19, n.2, 2003.

BISOL, L. A Simetria no Sistema Vocálico do Português Brasileiro. Linguística - Revista de Estudos Linguísticos da Universidade do Porto. Porto: v. 5, p.45-52, 2010.

BOERSMA, P. Prototypicality judgments as inverted perception. In: FANSELOW, G., FÉRY, C.; SCHLESEWSKY, M. and VOGEL, R. (eds.) Gradience in grammar. Oxford: Oxford University Press, 2006. http://dx.doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199274796.003.0009

BOERSMA, P. Cue constraints and their interactions in phonological perception and production. Rutgers Optimality Archive 944, 2007.

BOERSMA, P. Emergent ranking of faithfulness explains markedness and licensing by cue. Rutgers Optimality Archive 954, 2008.

BOERSMA, P. A programme for bidirectional phonology and phonetics and their acquisition and evolution. 2009. http://dx.doi.org/10.1075/la.180.02boe

BOERSMA, P. A programme for bidirectional phonology and phonetics and their acquisition and evolution. In: BENZ, A. & MATTAUSCH, J. (eds.) Bidirectional Optimality Theory, 33-72. Amsterdam: John Benjamins, 2011.

BOERSMA, P.; ESCUDERO, P.; HAYES, R. Learning Abstract Phonological from Auditory Phonetic Categories: An Integrated Model for the Acquisition of Language-Specific Sound Categories. Rutgers Optimality Archive 585, 2003.

BOERSMA, P.; ESCUDERO, P. Modelling the perceptual development of phonological contrasts with Optimality Theory and the Gradual Learning Algorithm. In: ARUNACHALAM, S.; KAISER, E.; WILLIAMS, A. (eds.) Proceedings of the 25th Annual Penn Linguistics Colloquium. (Penn Working Papers in Linguistics 8.1), 2003.

BOERSMA, P.; HAMANN, S. In: CALABRESE, A.; WETZELS, W. L. (eds.) Loanword phonology. Amsterdam: John Benjamins, 2009.

BOERSMA, P.; CHLÁDKOVÁ, K. Asymmetries between speech perception and production reveal phonological structure. In: ICPhS XVII - Proceedings. Hong Kong: 2011.

BOERSMA, P.; HAYES, B. Empirical Tests of the Gradual Learning Algorithm. Linguistic Inquiry 32, p. 45-86, 2001. http://dx.doi.org/10.1162/002438901554586

BOERSMA, P.; WEENINK, D. PRAAT: doing phonetics by computer [computer program], 2012. Disponível em http://www.praat.org/.

CALABRESE, A. A constraint-based theory of phonological markedness and simplification procedures. Linguistic Inquiry, v. 26, n.3, p.373-463, 1995.

CALABRESE, A. Markedness and economy in a derivational model of phonology. New York: Mouton de Gruyter, 2005. http://dx.doi.org/10.1515/9783110197600

CÂMARA JR, J. M. Estrutura da Língua Portuguesa. Petrópolis: Vozes, 1970.

CÂMARA JR, J. M. Para o estudo da fonêmica portuguesa. Rio de Janeiro: Padrão, 1977.

CLEMENTS, G. N. Representational economy in constraint-based phonology. In: HALL, A. (ed.) Distinctive Feature Theory. Berlin: Mouton de Gruyter, 2001. http://dx.doi.org/10.1515/9783110886672.71

CROSSWHITE, K. Vowel Reduction. In: HAYES, B.; KIRCHNER, R.; STERIADE, D. (eds.) Phonetically Based Phonology. Cambridge: Cambridge University Press. 2001. p. 191-232

GUY, G. As Vogais: Perspectivas Analíticas e Teóricas. In: II SIS-Vogais – conferência de encerramento. Belo Horizonte: UFMG, 2009.

LINDBLOMB, B. Phonetic universals in vowel systems. In: OHALA, J. J. & JAEGER, J. J. (eds.) Experimental Phonology, Orlando, Florida: Academic Press, 1986, p.13-44.

MADDIESON, I. Patterns of Sounds. Cambridge: Cambridge University Press, 1984. http://dx.doi.org/10.1017/CBO9780511753459

MATZENAUER-HERNANDORENA, C. L. Aquisição da fonologia do Português: estabelecimento de padrões com base em traços distintivos. Tese (Doutorado em Letras). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1990.

MATZENAUER, C. L. B. Aquisição das vogais do "PB" e tipologias de línguas. In: LEE, S. H. (org.). Vogais além de Belo Horizonte. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais, 2012.

MATZENAUER, C. L. B.; MIRANDA, A. R. M. Traços distintivos e a aquisição das vogais do PB. I SIS-VOGAIS. João Pessoa: UFPB, 2007.

MATZENAUER, C. L. B.; MIRANDA, A. R. M. Traços distintivos e a aquisição das vogais do PB. In: HORA, D. da. (org.). Vogais no Ponto mais Oriental das Américas. João Pessoa: Ideia, 2009, p. 45-63.

MATZENAUER, C. L. B.; NEUSCHRANK, A.; CARNIATO, M. C.; AZEVEDO, R. Q. Vogais em posição postônica final: percepção e produção (no Sul do Brasil). Revista da ABRALIN, v. 14, n.1, p.17-42, 2015.

PATER, J. Bridging the gap between receptive and productive development with minimally violable constraints. In: KAGER, R.; PATER, J.; ZONNEVELD, W. (eds.) Constraints in Phonological Acquisition. Cambridge: Cambridge University Press. 2004. p.219-244.

RANGEL, G. de A. Aquisição do sistema vocálico no português brasileiro. Tese (Doutorado em Letras). Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

RAUBER, A. et al. TP: perception tests and perceptual training with immediate feedback, versão 3.1. 2012. Disponível em: http://www.worken.com.br/tp_regfree.php. Último acesso em 28 fev. 2015.

SANTOS, G. R.dos. Percepção e produção das vogais médias do espanhol por falantes do português brasileiro. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Católica de Pelotas, Pelotas, 2014.

STERIADE, D. Complex Onsets as Single Segments. In: COLE, J. & KISSEBERTH, C. (eds) Perspectives in Phonology, Stanford: CSLI. 1994. p. 203-291.

STEVENS, K. On the quantal nature of speech. Journal of Phonetics. v.17, p. 3-45, 1989.

SCHWARTZ, J. L.; BOË, L. J.; VALLÉE, N.; ABRY, C. The Dispersion-Focalization Theory of vowel systems. Journal of Phonetics. v.25, n.3, p. 255-286, 1997. http://dx.doi.org/10.1006/jpho.1997.0043

VIEIRA, M. J. B. As vogais médias postônicas. Uma análise variacionista. In: BISOL, L.; BRESCANCINI, C. R. (eds.): Fonologia e Variação. Recortes do português brasileiro. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2002. p.127-159.

VIEIRA, M. J. B. As vogais médias átonas nas três capitais do sul do País In: BISOL, L.; COLLISCHONN, G. (orgs) Português do Sul do Brasil: variação fonológica. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009. p.50-72.

WANROOIJ, K.; BOERSMA, P.; VAN ZUIJEN, T. L. Fast phonetic learning occurs already in 2-to-3-month old infants: an ERP study. Frontiers in Psychology, 2014. http://dx.doi.org/10.3389/fpsyg.2014.00077

Downloads

Publicado

27-06-2016

Como Citar

MATZENAUER, C. L. O mapeamento fonético-fonológico das vogais postônicas finais no português brasileiro. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 10, n. 2, p. 466–493, 2016. DOI: 10.14393/DL22-v10n2a2016-3. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/31586. Acesso em: 18 ago. 2022.