Preferência por discordância em casos de auto-depreciação: analisando conversas de pessoas com afasia

Autores

  • Lívia Miranda de Oliveira PUC/Rio
  • Mônika Miranda de Oliveira

Palavras-chave:

Afasia, Conversa, Preferência, Discordância

Resumo

O objetivo deste trabalho é verificar se a organização da preferência nas conversas, focalizando a preferência por discordância em casos de auto-depreciação, apresentaria-se conforme a descrição de Pomerantz publicada em 1984 sob o título "Concordando e discordando de avaliações: algumas características dos formatos de turno preferidos/despreferidos". Com tal intuito, foram analisadas conversas gravadas em audio e video, envolvendo pessoas com afasia, segundo a perspectiva da Análise da Conversa Etnometodológica. As análises realizadas neste estudo corroboram a tese de Pomerantz sobre a preferência por discordância em casos de auto-depreciação, chamando a atenção para o fato de que a proposta de organização da preferência da autora também procede em conversas que envolvem pessoas com afasia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lívia Miranda de Oliveira, PUC/Rio

Possui graduação em Fonoaudiologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2005) e mestrado em Lingüística pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2008). Atualmente é estudante de doutorado da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Desenvolve pesquisa sobre afasia, a partir das perspectivas da Sociolinguística Interacional e da Análise da Conversa Etnometodológica, tendo como atuais interesses narrativa, performance e identidade. Tem experiência na área de Fonoaudiologia, com ênfase no atendimento clínico de pessoas com transtornos da linguagem.

Mônika Miranda de Oliveira

Mestranda em Lingüística da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Downloads

Publicado

02-02-2011

Como Citar

OLIVEIRA, L. M. de; OLIVEIRA, M. M. de. Preferência por discordância em casos de auto-depreciação: analisando conversas de pessoas com afasia. Domínios de Lingu@gem, [S. l.], v. 3, n. 1, p. 61–89, 2011. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/view/11497. Acesso em: 25 maio. 2022.