A escolarização urbana e as rupturas e ressignificações simbólicas na estrutura familiar camponesa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT195471449

Palavras-chave:

movimentos sociais, campesinato, juventude rural, Antropologia Rural

Resumo

O presente artigo é fruto de uma pesquisa desenvolvida no Projeto de Assentamento (PA) Salvador Allende, localizado no município de Porangatu-GO, Norte do estado, durante os anos de 2019 e 2020, que analisou os reflexos dos processos urbanos de escolarização de adolescentes e jovens residentes nos espaços rurais. Tendo como objetivo refletir como a escolarização urbana desses atores sociais, egressos das escolas, realizaram rupturas culturais nas produções de sentidos, em decorrência da vivência urbana. Tal ruptura, por sua vez, produziu um esvaziamento de adolescentes e jovens dos espaços rurais, interferindo nos sistemas de vivências do campesinato, substituindo-a por uma racionalidade urbana, impactando diretamente na reprodução social familiar destes assentados. Como herdeiros que se negam a herdar a terra, os adolescentes e jovens egressos, em sua grande maioria, não desejam viver no campo, ampliando o histórico êxodo do campo, impactando desde os sistemas de produção camponeses aos movimentos sociais de lutas do campo. Essa disjunção simbólica geracional tem na escolarização urbana, o seu locus de produção. A metodologia de pesquisa percorreu dois caminhos: revisão de literatura e aplicação de questionários com jovens egressos das escolas urbanas, que atende à população rural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Paulo Pietrafesa, Universidade Federal de Goiás

Graduação em Ciências Sociais (Bacharelado e Licenciatura) pela Universidade Federal de Goiás (1985), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Goiás – UFG (1995), Doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília – UnB (2002), Pós-doutor pelo Programa de Pós-graduação em Geografia (Instituto de Estudos Socioambientais – IESA (2011) da UFG. Professor Associado da Universidade Federal de Goiás – Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE-UFG). Coordena o Núcleo de Estudos Rurais e Educação do Campo.

Downloads

Publicado

12-04-2024

Como Citar

SILVA, M. L. dos R.; PIETRAFESA, J. P. A escolarização urbana e as rupturas e ressignificações simbólicas na estrutura familiar camponesa. Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 19, n. 54, p. 57–79, 2024. DOI: 10.14393/RCT195471449. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/71449. Acesso em: 24 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos