Geografia da luta de classe no campo brasileiro

do protagonismo do agronegócio ao proto-agonismo do campesinato

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT164307

Resumo

O presente trabalho tem por proposta analisar as lutas de classes presentes no cenário rural brasileiro, bem como seus distintos interesses que se desdobram em conflitos e confrontos socioterritoriais e socioespaciais, explicitando as contradições entre a classe trabalhadora, que denominamos camponeses, e a classes “dominante”, composta pela burguesia rural, que empregam o agronegócio como mecanismo de dominação. Desta forma, pretendemos compreender como as classes socias do campo, coexistem dentro do sistema capitalista, suas relações e dualidades, onde as desigualdades, sejam elas em razão do acesso aos recursos financeiros ou da composição de representatividade política que se evidencia cotidianamente no país, visto que os representantes do agronegócio utiliza-se do Estado como forma de manutenção da hegemonia no campo, uma vez que para apropriar dos territórios que estão de posse dos campesinos, necessitam do aparato institucional para legitimar aquilo a classe dominante considera direito genuíno enquanto que o seu par dialético, o campesinato  reputa com violência e injustiça.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eliezer Henrique da Silva Sousa, Universidade Estadual do Maranhão

Graduando em Geografia Licenciatura pela Universidade Estadual do Maranhão - UEMA, campus São Luís/MA. Foi integrante do Parlamento Jovem Brasileiro-PJB (2017). Bolsista de Iniciação Científica pela Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão-FAPEMA e Universidade Estadual do Maranhão - UEMA (2019/2020). Desenvolve pesquisas na microrregião de Codó, no Leste maranhense, sobre Conflitos Socioterritoriais, Comunidades Tradicionais, e Movimentos Sociais. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas Sobre a Questão Agrária e Movimentos Sociais - GEPQAM. 

Vanderson Viana Rodrigues, Universidade Estadual do Maranhão

Universidade Estadual do Maranhão – UEMA, Departamento de Geografia, São Luís – MA, Brasil.

Ademir Terra, Universidade Estadual do Maranhão

Doutorado em Geografia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2009) e mestrado em Geografia pela Universidade Estadual de Maringá (2004). Coordenador do Grupo de Estudos e Pesquisa sobre a Questão Agrária e Movimentos Sociais - GEPQAM. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Agrária, Epistemologia da Geografia, Evolução do Pensamento Geográfico, Teoria e Método da Geografia e Análise Territorial atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de Geografia, Questão Agrária, Campesinato, Território, Movimentos Sociais e Comunidades Tradicionais.

Downloads

Publicado

22-02-2022

Como Citar

SOUSA, E. H. da S. .; VIANA RODRIGUES, V.; TERRA, A. . Geografia da luta de classe no campo brasileiro: do protagonismo do agronegócio ao proto-agonismo do campesinato . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 16, n. 43 Dez., p. 150–169, 2022. DOI: 10.14393/RCT164307. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/59882. Acesso em: 18 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos