O Assentamento Itamarati no contexto dos megaempreendimentos em território sul-matogrossense

Autores

  • Ademir Terra Unesp

DOI:

https://doi.org/10.14393/RCT5911962

Palavras-chave:

Assentamento Rural, Assentamento Itamarati, Fazenda Itamarati, Reforma Agrária, Megaprojetos

Resumo

A elaboração e implementação de políticas públicas direcionadas ao agrário e ao agrícola no Brasil possuem caráter ambíguo e contraditório, em decorrência das disputas entre as forças políticas e sociais que portam distintas estratégias e interesses. A despeito dos avanços e conquistas obtidos com a "política de assentamentos rurais", ela ainda constitui apenas resposta do Estado às pressões exercidas pelos movimentos sociais que demandam a realização da reforma agrária. A complexa trama de interesses que conduziu a transformação da antiga Fazenda Itamarati em assentamento rural constitui uma manifestação clara desses diferentes interesses. Apesar do Assentamento possuir mais de duas mil e oitocentas famílias (Assentamentos Itamarati e Itamarati II) e ter viabilizado o acesso a recursos e serviços de que anteriormente as pessoas não dispunham, melhorando a qualidade de vida, acreditamos que tal transformação segue um circulo vicioso que tem marcado esta porção do território brasileiro como se fosse um estigma: o de ser o palco de grandes empreendimentos, nos quais estão incluídos os pequenos proprietários e os trabalhadores sem-terra, como elementos fundamentais, porém de forma subserviente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

26-02-2010

Como Citar

TERRA, A. O Assentamento Itamarati no contexto dos megaempreendimentos em território sul-matogrossense . Revista Campo-Território, Uberlândia, v. 5, n. 9 Fev., p. 166–202, 2010. DOI: 10.14393/RCT5911962. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/campoterritorio/article/view/11962. Acesso em: 23 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)