A Marca da Água

Presença, Representação e Simbologia

Autores

  • Ana Paula Silva Universidade Estadual de Londrina (UEL)

DOI:

https://doi.org/10.14393/AM-v18n2-2021-62611

Palavras-chave:

A marca da água, simbologia, água, Armazém Companhia de Teatro, signos teatrais

Resumo

O presente ensaio visa fazer uma breve discussão e análise sobre a presença da água, como materialidade e como sugestão, no espetáculo A Marca da Água, direção de Paulo de Moraes e dramaturgia de Maurício Arruda Mendonça e Paulo de Moraes. Além disso, têm-se em vista relacionar as simbologias referentes à água já presentes e estabelecidas historicamente por mitos e pela literatura e as suas representações utilizadas para compor a peça. Para a constituição deste trabalho, foi realizado um estudo de caráter bibliográfico que se baseia majoritariamente na perspectiva de Bachelard (1997), Chevalier e Gheerbrant (2020) e Sarrazac (2012). Dessa forma, busca-se entender as ligações da simbologia da água com os acontecimentos físicos, psicológicos e neurológicos da peça, mais especificamente de Laura, personagem protagonista e que se relaciona intimamente com as representações apresentadas, sendo modificada por elas, em sua relação com as outras personagens mas, principalmente, em sua relação consigo mesma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AEPPLI, Ernest. Les Rêves et Leur Interprétation. Paris, 1951.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaio sobre a imaginação da matéria. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de Símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 2020.

SARRAZAC, J.P. Léxico do drama moderno contemporâneo.São Paulo: Cosac Naif, 2012.

Downloads

Publicado

02.11.2021