A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem <p>A MARgem (ISSN: 2175-2516) é uma <strong>revista da graduação</strong>, semestral, acessível em meio eletrônico, que veicula textos elaborados por <strong>graduandos</strong> em Ciências Humanas, Letras e Artes em parceria com seus orientadores. O periódico oportuniza a circulação do conhecimento produzido nos cursos de graduação.</p> pt-BR <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <p>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<a href="http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/" target="_blank" rel="noopener">Creative Commons Attribution License</a>, permitindo o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria do trabalho e publicação inicial nesta revista.</p> <p>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</p> valeskasouza@ufu.br (Valeska Virgínia Soares Souza) revistaamargem@gmail.com (Revista A MARgem) Thu, 25 Apr 2024 15:06:03 -0300 OJS 3.3.0.13 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 O CASO NÚMERO 42605 https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/69286 Thallyson Pinheiro Copyright (c) 2024 A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/69286 Thu, 21 Mar 2024 00:00:00 -0300 EU NÃO QUERO VER-TE EM ALTA DEFINIÇÃO https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/68005 Júlia Alves Copyright (c) 2024 A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/68005 Thu, 21 Mar 2024 00:00:00 -0300 DO CÉU AO SERTÃO https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/69310 <p>Os dois poemas exploram elementos celestiais e narrativas envolvendo seres da natureza, proporcionando uma conexão entre os temas. O primeiro poema aborda a estrela Sirius, exaltando seu brilho intenso e radiante, enquanto o segundo poema conta a história do João de Barro, um pássaro astuto e habilidoso em suas construções. Embora os temas sejam distintos, é possível identificar pontos de conexão entre os dois textos.</p> <p>Em ambos os poemas, há uma ênfase na habilidade e na dedicação dos personagens centrais. Sirius é apresentada como uma estrela guia, cuja luminosidade intensa serve como farol para os navegantes. Da mesma forma, João de Barro é elogiado por sua habilidade em construir mansões com engenho e dedicação singular. Ambos os personagens são exemplos de trabalho árduo e cuidado em suas respectivas esferas de atuação.</p> <p>Além disso, a poética explora o poder da luz e do brilho. Sirius é descrita como a estrela mais cintilante e radiante, cujo brilho intenso emociona e engrandece. Por sua vez, João de Barro cria casas resistentes e harmoniosas, utilizando sua habilidade e criatividade para trazer luz e aconchego aos ambientes. Ademais, um ponto de conexão entre os poemas é a presença de elementos figurativos e metafóricos. Sirius é associada a figuras de linguagem, como metonímia e metáfora, ressaltando seu brilho azul intenso e sua luminosidade que toca os corações. Da mesma forma, João de Barro é apresentado como um artesão da natureza, que utiliza galhos e folhas para criar decorações criativas, trazendo harmonia e beleza aos seus lares.</p> <p>Em suma, ambos poesias compartilham elementos como habilidade, dedicação, luz e elementos figurativos, estabelecendo uma conexão entre a estrela Sirius e o pássaro João de Barro. Essa união de ideias ressalta a importância do trabalho árduo, da criatividade e do brilho que cada ser pode trazer ao mundo, seja no céu (luz no espaço sideral) ou na natureza terrestre (segurança do espaço lar).</p> Marcelo Calderari Miguel Copyright (c) 2024 A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/69310 Thu, 21 Mar 2024 00:00:00 -0300 PAUSA CARDÍACA https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/68006 Júlia Alves Copyright (c) 2024 A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/68006 Fri, 01 Mar 2024 00:00:00 -0300 O PAREDÃO MARIANO https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/67529 <p>Neste poema, o autor presta uma homenagem lírica a todos os que foram perseguidos pelas ditaduras e lutaram pela liberdade.</p> José D'Assunção Barros Copyright (c) 2024 A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/67529 Thu, 25 Apr 2024 00:00:00 -0300 SEMENTEIRA TRANSFORMAÇÃO, MELODIOSA EDUCAÇÃO https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/69311 <div>A poesia, ou texto lírico, é uma das sete artes tradicionais, pela qual a linguagem humana é utilizada com fins estéticos ou críticos, ou seja, ela retrata uma mensagem.&nbsp;&nbsp;</div> Marcelo Calderari Miguel Copyright (c) 2024 A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/69311 Thu, 21 Mar 2024 00:00:00 -0300 LA LITERATURA POPULAR AMAZÓNICA EN EL CONTEXTO DE LA ENSEÑANZA Y APRENDIZAJE DE ESPAÑOL COMO LENGUA EXTRANJERA (ELE): PAUTAS PARA TRABAJAR LA OBRA LEYENDAS DE LA AMAZONIA BRASILEÑA (2011), DE LAS AUTORAS ANA MARÍA GÓMEZ PLATERO Y VICTORIA PALMA EHRICHS https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/67507 <p>El presente trabajo pretende ser una breve reflexión sobre la literatura de tradición oral, teniendo en cuenta la importancia de llevar las leyendas al aula. En base a esta perspectiva, presentamos algunas pautas para trabajar en la clase de ELE en el contexto amazónico universitario. Se trata de algunas actividades centradas en la obra <em>Leyendas de la Amazonía Brasileña</em> (2011), de Ana María Gómez Platero y Victoria Palma Ehrichs. Para ello, partimos de la idea de que la literatura oral, especialmente las leyendas, forma parte de la cotidianidad de los estudiantes de la enigmática y fascinante Amazonía, hecho que puede jugar a su favor en lo que se refiere a la enseñanza y aprendizaje de la lengua extranjera en cuestión. Así, al mismo tiempo que desarrollen diferentes habilidades en ELE, como la oralidad y la escritura en español, puedan, a través de las actividades propuestas, ampliar y perfeccionar los conocimientos de su propio mundo, de su cultura.</p> Gracineia dos Santos Araújo, Caroline Oliveira Farias, Maria Eliene Oliveira da Mota Copyright (c) 2024 A MARgem - Revista Eletrônica de Ciências Humanas, Letras e Artes https://seer.ufu.br/index.php/amargem/article/view/67507 Thu, 21 Mar 2024 00:00:00 -0300