Política educacional rural

exigências e postulações

Autores

  • Sérgio Celani Leite FAFI de Patos de Minas

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v10n19a1996-975

Palavras-chave:

Ruralismo, Educação, Política educacional rural

Resumo

A ausência de planificação educacional para as escolas rurais, a despeito de algumas iniciativas públicas e privadas em décadas anteriores, não possibilitou um processo que fortalecesse e garantisse o desenvolvimento sociocultural das populações campesinas.

Excetuando o Ruralismo Pedagógico da década de 30, que pretendia uma educação rural desconexada da realidade, e as parcas manifestações do Ministério da Educação nos anos 40/50 sobre a escolaridade rural, as primeiras intenções e/ou propostas para uma política educacional direcionada aos centros não-urbanos, somente aconteceram a partir dos Planos Setoriais de Educação na década 70/80.

Com base nas questões econômicas internas, o I e II Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) têm, na educação como um todo, apenas um referencial para análise do subdesenvolvimento em que se encontrava o país. Dada a ênfase urbano-industrial do ideário da época, a educação rural é incorporada aos programas de desenvolvimento global (assim como a educação urbana), não se levando em consideração, desse modo, suas necessidades e realidades próprias. Educação, nesse momento, significa condições para aceleração da produção e cristalização do modelo liberal-capitalista. [...]

Palavras-chave: Ruralismo; Educação; Política educacional rural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sérgio Celani Leite, FAFI de Patos de Minas

Professor da FAFI de Patos de Minas.

Referências

AMMANN, Safira Bezerra. Ideologia do desenvolvimento de comunidades no Brasil. 72 ed. São Paulo, Cortez, 1991.

ARROYO, Miguel G. Escola, Cidadania e Participação no Campo. Em Aberto. Brasília, INEP, 1 (19), set. 1982.

CALAZANS, Maria Julieta Costa. Para compreender a educação do Estado no meio Rural (Traços de uma trajetória) In: THERRIEN, Jacques & DAMASCENO, Maria Nobre (coord). Educação e escola no campo. Campinas, Editora Papirus, 1993.

FONSECA, Maria Tereza Lousa. A extensão rural no Brasil - um projeto educativo para o capital. São Paulo, Loyola, 1985.

GADOITI, Moacir. Poder local e educação. São Paulo, Cortez, 1992.

GRZYBOWSKI, Cândido. Esboço de uma alternativa para pensar a educação no meio rural. Rio de Janeiro, IESAE/FGV, 1983.

MARTINS, José de Souza. A valorização da Escola e do Trabalho no meio rural. Em Aberto. Brasília, INEP, 1 (9), set, 1983.

MELLO, Guiomar Namo de. Políticas Públicas de Educação. Revista Estudos Avançados. São Paulo, 5(1 3), 1991. https://doi.org/10.1590/S0103-40141991000300002

MOREIRA, J. Roberto. Educação rural e educação de base. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Brasília 65(149):100-32, jan/abril, 1984.

QUEDA, Oriowaldo. Extensão rural: pra que e para quem serve? Cademos da ANPED. Rio de Janeiro, 1 (17-22), janeiro 1982.

ROMÃO, José Eustáquio. Poder local e educação. São Paulo, Editora Cortez, 1992.

SORJ, Bemard & WILKINSON, John. Sociedade e política no Brasil pós 64. São Paulo, Editora Brasiliense, 1984.

SPAYER, Anne Marie. Educação e campesinato - Uma educação para o homem do meio rural. São Paulo, Loyola, 1983.

Downloads

Publicado

2008-10-22

Como Citar

LEITE, S. C. Política educacional rural: exigências e postulações. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 10, n. 19, p. 163–174, 2008. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v10n19a1996-975. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/975. Acesso em: 1 mar. 2024.