A FILOSOFIA COMO MODO DE VIDA EM FOUCAULT

Autores

  • Thiago Canonenco Naldinho Universidade Estadual de Londrina (UEL)
  • Hélio Rebello Cardoso Jr. Universidade Estadual Paulista (UNESP)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v26n51a2012-p185a206

Palavras-chave:

Foucault, filosofia, estética da existência, ética, amizade.

Resumo

O artigo desenvolve a tese de que no cerne da estratégia foucaultiana de enfrentamento à sujeição imposta pelo biopoder - caracterizada pela possibilidade de reabilitação da estética da existência na atualidade -situa-se a prática constante da filosofia. Para tanto, descreve como Foucault entende que a consideração fundamental, similar àquela presente entre os antigos greco-helenístico-romanos, da filosofia como um amálgama constituído por um discurso teórico e seu imprescindível modo de vida respectivo, envolve diretamente a ética com a política e noções relacionadas, como poder, liberdade, autonomia e crítica. Isso posto, o texto define, a partir da conexão de pontos dispersos pela obra de Foucault, qual seria o trabalho específico da filosofia em uma estética da existência, como também descreve o modo de vida respectivo que a filosofia foucaultiana buscava construir, ou seja, a amizade.

Referências

ADORNO, F. P. A tarefa do intelectual: o modelo socrático. In: GROS, F. (Org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

ARTIÈRES, P. Dizer a atualidade: o trabalho de diagnóstico em Michel Foucault. In: GROS, F. (Org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

BRANCO, G. C. As lutas pela autonomia em Michel Foucault. In: RAGO, M. e ORLANDI, L. B. L.; VEIGA-NETO, A. (Org.). Imagens de Foucault e Deleuze: ressonâncias nietzschianas. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

BRANCO, G. C. Considerações sobre ética e política. In: BRANCO, G. C.; PORTOCARRERO, V. Retratos de Foucault. Rio de Janeiro: Nau, 2000.

CARDOSO JR., H. R; NALDINHO, T. C. A amizade para Foucault: resistências criativas face ao biopoder. Fractal: Revista de Psicologia, Niterói, v. 21, n. 1, p. 43-56, jan./abr. 2009. Disponível em:<http://www.uff.br/periodicoshumanas/index.php/Fractal/article/view/194/268>. Acesso em: 11 Out. 2010.

DELEUZE, G. A vida como obra de arte. In: ______. Conversações. Rio de Janeiro: 34, 1992.

______; FOUCAULT, M. Un diálogo sobre el poder. In: MOREY, M. (Org.). Un diálogo sobre el poder y outras conversaciones. Madrid: Alianza Editorial, 2001.

FOUCAULT, M. Le Philosophe masqué. Le Monde, n. 10945, p. 1, 6 avril. 1980. Disponível em: <http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/mascarado.html>. Acesso em: 10 Nov. 2006.

______. De l'amitié comme mode de vie. Gai Pied, 25, p. 38-39, Abr. 1981. Disponível em: <http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/amitie.html>. Acesso em: 10 Nov. 2006.

______. Est-il donc important de penser? Libération, n. 15, p. 21, 30-31, Maio. 1981a. Disponível em: <http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/importantepensar.html>. Acesso em: 10 Nov. 2006.

______. História da sexualidade, 2: o uso dos prazeres. Rio de Janeiro: Graal, 1984.

______. O cuidado com a verdade. In: ESCOBAR, C. H. (Org.). M. Foucault, 1926/1984. O dossier: últimas entrevistas. Rio de Janeiro: Taurus, 1984a.

______. O que é o Iluminismo. In: ESCOBAR, C. H. (Org.). M. Foucault, 1926/1984. O dossier: últimas entrevistas. Rio de Janeiro: Taurus, 1984b.

______. Sex, power and the politics of identity. The Advocate, p. 26-30, Ago.1984b. Disponível em: <http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/sexpodident.html>. Acesso em: 10 Nov. 2006.

______. Foucault passe-frontières de la philosophie. Le Monde, Set. 1986. Disponível em: <http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/frontieres.html Acesso em: 10 Nov. 2006.

______. História da sexualidade, 1: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

______. Qu'est-ce que la critique? critique et Aufklärung. Bulletin de la Société française de philosophie, v. 82, n. 2, p. 35-63, abr./jun. 1990. Disponível em: <http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/critique.html>. Acesso em: 10 Nov. 2006.

______. "Omnes et singulatim": vers une critique de la raison politique. In: DEFERT, D.; EWALD, F. Dits et Écrits 1954-1988. Paris, Gallimard, 1994. (Dits et Écrits, v. 4 (1980-1988). Disponível em: <http://www.unb.br/fe/tef/filoesco/foucault/omnesetsingulatim.html>. Acesso em: 2 Jan. 2008.

______. Michel Foucault entrevistado por Hubert L. Dreyfus e Paul Rabinow. In: RABINOW, P. ; DREYFUS, H. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

______. O sujeito e o poder. In: RABINOW, P. ; DREYFUS, H. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995a.

______. Em Defesa da Sociedade. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1999.

______. Política da Verdade: Paul Rabinow entrevista Michel Foucault. In: ______. Antropologia da Razão: ensaios de Paul Rabinow. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999a.

______. Herméneutique du sujet: Cours au Collège de France, 1981-1982. Paris: Seuil/Gallimard, 2001.

______. Ética, sexualidade e política. (Ditos & Escritos, v. 5). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004.

______. A Hermenêutica do Sujeito. São Paulo, Martins Fontes, 2004a.

______. O que são as luzes? In: Arqueologia das ciências e história dos sistemas de pensamento. (Ditos & Escritos, v. 2). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2005.

______. Estratégia, poder-saber. (Ditos & Escritos, v. 4). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

______. Verdade e Poder. In: ______. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Graal, 2006b.

GROS, F. A parrhesia em Foucault (1982-1984). In: ______. (Org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

______. Introdução: A coragem da verdade. In: GROS, F. (Org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004a.

______. Situação do Curso. In: FOUCAULT, M. A Hermenêutica do Sujeito. São Paulo: Martins Fontes, 2004b.

HADOT, P. O que é a filosofia antiga? São Paulo: Loyola, 2004.

PRADEAU, J. O sujeito antigo de uma ética moderna. In: GROS, F. (Org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

RABINOW, P. O que é a maturidade? Habermas e Foucault sobre "O que é o Iluminismo?". In: ______. Antropologia da Razão: ensaios de Paul Rabinow. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999.

______. Sujeito e governamentalidade: elementos do trabalho de Michel Foucault. In: Antropologia da Razão: ensaios de Paul Rabinow. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1999a.

______; DREYFUS, H. Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995.

RAJCHMAN, J. Foucault: A Liberdade da Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1987.

REVEL, J. O pensamento vertical: uma ética da problematização. In: GROS, F. (Org.). Foucault: a coragem da verdade. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

VEIGA-NETO, A. Governabilidade ou governamentalidade? Disponível em: http://www.ufrgs.br/faced/alfredo/governo1.htm. Acesso em: 7 Jan. 2008.

Data de registro: 12/10/2010

Data de aceite: 15/06/2011

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thiago Canonenco Naldinho, Universidade Estadual de Londrina (UEL)

Mestrando em Filosofia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Linha de pesquisa: Subjetividade e Contemporaneidade. Bacharelado, Licenciatura e Formação Clínica em Psicologia pela UNESP - Assis. Integrante do grupo de pesquisas "Deleuze/Guattari e Foucault, elos e ressonâncias", atuando nas linhas: Idéia de história e temas históricos em Deleuze/Guattari e Foucault; Ontologia, corpo e linguagem em Deleuze/Guattari e Foucault. Principais temas em que trabalha: relações entre sujeito e verdade, ética, crítica, estética da existência, amizade, espiritualidade - em Foucault, Deleuze, Guattari e Lacan.

Hélio Rebello Cardoso Jr., Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Atuando na área de Filosofia desde 1989, mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1991) e doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1995). Em 1999, defendeu tese de livre-docência para ascensão à função de Porf. Associado da Universidade Estadual de Londrina. Em 2006, com nova tese de livre-docência, concursou-se para o cargo de Prof. Adjunto. Atualmente é professor de Filosofia da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Concluiu dois pós-doutorados, um deles com o prêmio 2008-2009 Fulbright Scholar Program Advanced Research and University Lecturing Awards. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Ontologia, atuando principalmente nos seguintes temas: multiplicidades, continuidade e teoria das coleçoes e multidões.

Downloads

Publicado

2012-07-18

Como Citar

Naldinho, T. C., & Cardoso Jr., H. R. (2012). A FILOSOFIA COMO MODO DE VIDA EM FOUCAULT. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 26(51), 185–206. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v26n51a2012-p185a206