A percepção do professor de educação infantil sobre o desenho da criança

Autores

  • Silvia Maria Cintra da Silva Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Cinara Sommerhalder

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v13n26a1999-777

Palavras-chave:

desenho infantil, pre-escola, percepção do professor

Resumo

Resumo: O desenho infantil é uma importante esfera de atividade simbólica que envolve aspectos cognitivos, afetivos, motores e sociais. A partir do ingresso na pré-escola, a criança tem, virtualmente, a possibilidade de desenvolver ou não tais aspectos. Na teoria histórico cultural, a escolarização recebe destaque em pesquisas que mostram mudanças qualitativas nos processos psíquicos dos sujeitos analisados. Em relação ao desenho, a escolarização potencialmente propicia situações em que a criança pode desenvolver-se de modo efetivo, elaborando, modificando e ampliando seu repertório gráfico. O objetivo deste trabalho foi verificar como o professor da pré-escola concebe o desenho infantil e como esta concepção reflete em sua prática pedagógica. A pesquisa realizou-se em duas escolas da rede municipal de ensino da cidade de Uberlândia- M.G. e constou de duas etapas: observação de atividades de desenho em sala de aula e entrevista com os professores. Os resultados mostraram que o professor pré-escolar tem pouca ou nenhuma informação a respeito do desenho enquanto atividade artistica promotora do desenvolvimento cognitivo, emocional, social e percepto-motor. Constatou-se também que o desenho é visto como uma atividade destituída de valor educacional, estando em "segundo plano dentro do curriculo pedagógico, tendo a leitura e a escrita uma importância maior neste contexto. Percebe-se, de maneira geral, que as atitudes dos professores diante da atividade gráfica não diferem de suas posturas relativas ao desempenho acadêmico das crianças como um todo, isto é, as crianças devem seguir padrões pré estabelecidos, havendo pouco espaço para o exercicio daquilo que é inusitado e diferente Sugere-se com esta pesquisa um maior investimento teórico e prático na formação do professor pré-escolar para que este enfoque distorcido em relação à atividade de desenho seja revertido.

Palavras-chave: desenho infantil; pre-escola; percepção do professor.

 

Abstract: Drawings of children are part of one important realm of symbolic activity that involves cognitive, affective, motor and social aspects. Since the beginning of the pre-school, the child virtually has the possibility to develop (or not) such aspects. In the historic-cultural theory, schooling receives emphasis in those researches which demonstrate qualitative changes in the processes of thinking of the analyzed subjects. In relation to drawings, schooling potentially provides situations in which the child can develop himself effectively, elaborating. modifying and enhancing his graphical repertory. The aim of this work was to verify how pre-school teachers perceive children drawings and how this perception is reflected on his pedagogical practice. The research field was two municipal schools in Uberlândia (M.G.) and constituted of two phases observation of classroom activities of drawing and interview of the teachers. The results demonstrated that pre-school teacher have few or none information on the sense of artistic activity promoting cognitive, emotional, social and motorperception development It was found that the drawing is taken as an activity without any educational meaning, is ranked as less important in the pedagogical curriculum, while reading and writing have higher importance in this context In general, it is found that teachers attitudes in relation to the academic performances as a whole, that is, children have to follow pre-established patterns, leaving just a few room for them to exercise what is original and different. This research suggests that more important theoretical and practical investments should be done in pre-school teachers formation so that distorced perception of drawing activities can be reversed.

Key words: children drawings; pre-school; teacher perception.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Maria Cintra da Silva, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Professora do Departamento de Psicologia Social e Educacional da Universidade Federal de Uberlândia.

Cinara Sommerhalder

Psicóloga.

Referências

ALMEIDA, Célia Maria de Castro. Faz-se arte na pré-escola? Campinas, Faculdade de Educação/Unicamp, 1981, Dissertação de Mestrado.

DERDYK, E. Formas de pensar o desenho-desenvolvimento do grafismo infantil. São Paulo, Scipione, 1989.

EZPELETA, J.; ROCKWELL Pesquisa Participante. São Paulo, Cortez: Autores Associados, 1989.

GADOTTI, M. Educação e poder: Introdução à pedagogia do conflito. São Paulo, Cortez, 1980.

GOODNOW, J. Desenho de Crianças. Lisboa, Moraes, 1979.

GRESSLER, L. A. Pesquisa Educacional: Importância, Modelos, Validade, Variáveis, Hipóteses, Amostragem, Instrumentos. São Paulo, Loyola, 1993.

KELLOGG, R. Analysing Children's Art. Califórnia, Mayfield Publishing, 1969. LAKATOS, E.M: MARCONI, MA Metodologia do Trabalho Cientifico. 4 ed. São Paulo, Atlas, 1995.

LOWENFELD V. BRITTAIN WL Desenvolvimento da Capacidade Criadora São Paulo, Mestre Jou, 1977.

LÜDKE, M. e ANDRÉ M.E.D.A. Pesquisa em Educação Abordagens Qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

LUQUET, G.H. El Dibujo Infantil. Barcelona, Médica y Técnica, 1981.

LURÇAT, L. Pintar, Dibujar, Escribir, Pensar- El Grafismo en el Preescolar. Madrid, Cincel, 1988.

LURIA, A.R.; LEONTIEV, A.N.; VYGOTSKY, LS. Linguagem, desenvolvimento

aprendizagem. São Paulo, Ícone/EDUSP, 1991.

MERÈDIEU, F.O Desenho Infantil. São Paulo, Cultrix, 1979.

MOREIRA, Ana Angélica A. O espaço do desenho a educação do educador. 6. ed. São Paulo, Ediçoes Loyola, 1995.

REILY, L. Usos da arte na pré-escola: alternativas. In: Camargo, L. (org.) Arte Educação: da pré-escola à universidade. São Paulo, Nobel, 1989.

SILVA, S.M.C. Condições sociais da constituição do desenho infantil. Campinas, 1993. 163p. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação- UNICAMP

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Serviço de Biblioteca e Documentação PCARP/USP Referências e Citações Bibliográficas: manual de orientação Ribeirão Preto, 1996.

Downloads

Publicado

2008-09-04

Como Citar

da Silva, S. M. C., & Sommerhalder, C. (2008). A percepção do professor de educação infantil sobre o desenho da criança. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 13(26), 237–258. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v13n26a1999-777