Docência crítica: uma práxis que constrói vocações

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v37n80a2017-66169

Palavras-chave:

Vocação, Docência Crítica, Práxis Pedagógica

Resumo

Resumo: A história e a multidimensionalidade da docência oportunizam diferentes compreensões sobre sua gênese e desenvolvimento. As inúmeras contradições que configuram o ato pedagógico, podem ser consideradas como um dos elementos que dificultam explicar a docência de maneira linear e simplificada. Neste complexo contexto, questiona-se como a práxis pedagógica pode produzir condições de compromisso social e político com a docência, em substituição ao conceito de vocação? Para responder à esta questão, desenvolveu-se pesquisa crítico bibliográfica a partir do aporte teórico de Freire (1993, 1996), Nóvoa (2003) e Franco (2008, 2012, 2016), buscando consolidar a ideia de que ao desenvolver a docência na perspectiva crítica, esta práxis vai vocacionando o professor ao exercício da docência cada vez mais comprometida socialmente e com os ideais de humanização que a caracterizam.

Palavras-chave: Docência Crítica; Vocação; Práxis Pedagógica

Critical teaching: a praxis that built vocations

Abstract: The history and multidimensionality of teaching provide oppotunities for different understandings about it’s genesis and development. The numerous contradictions that shape the pedagogical act can be considered as one of the elements that maked difficult the explain teaching in a linear and simplified way. In this complex context, one wonder how pedagogical praxiscan produce conditions of social and political commitment to teaching, replacing the concept of vocation? To answer this question, a critical bibliographic research was developed based on the theoretical contribution of Freire (1993, 1996), Nóvoa (2003) and Franco (2008, 2012, 2016), seeking to consolidate the idea that When developing teaching in from a critical perspective, this práxis will lead the teacher to the exercise of teaching that is increasingly socially committed and with the ideals of humanization that charactize it.

Keywords: Critical Teaching; Vocation; Pedagogical Práxis

La enseñanza crítica: una praxis que construyó vocaciones

Resumen: La historia y la multidimensionalidad de la enseñanza brindan diferentes entendimientos sobre su génesis y su desarrollo. Las innumerables contradicciones que configuran el acto pedagógico pueden considerarse como uno de los elementos que dificultan la explicación de la docencia de forma lineal y simplificada. En este contexto complejo, uno se pregunta cómo la praxis pedagógica puede producir condiciones de compromiso social y político con la enseñanza, reemplazando el concepto de vocación. Para responder a esta pregunta, se desarrolló una investigación bibliográfica crítica basada en el aporte teórico de Freire (1993, 1996), Nóvoa (2003) y Franco (2008, 2012, 2016), buscando consolidar la idea de que al desarrollar la docencia desde una perspectiva crítica, esta praxis conducirá al docente al ejercicio de una enseñanza cada vez más comprometida socialmente y con los ideales de humanización que la caracterizan. 

Palabras claves: Enseñanza Crítica; Vocación; Praxis Pedagógica

Data de registro: 29/06/2022

Data de aceite:26/10/2022

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Amélia Santoro Franco, Universidade Católica de Santos (UNISANTOS)

Doutora em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor Titular da Universidade Católica de Santos (UNISANTOS). Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2. E-mail: ameliasantoro@uol.com.br. Lattes: http://lattes.cnpq.br/3600560690195448. ORCID: http://orcid.org/0000-0003-3867-5452.

Daniella Gardini Scalet , Universidade Católica de Santos (UNISANTOS)

Doutoranda em Educação na Universidade Católica de Santos (UNISANTOS). Bolsista CAPES. E-mail: dgscalet@gmail.com. Lattes: http://lattes.cnpq.br/5560904588385288. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1079-9616.  

Referências

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Tradução de Fernando Tomaz. Rio de Janeiro: Bertrand, Brasil, 2004.

CARNEIRO, Isabel Magda Said Pierre. O estatuto epistemológico da pedagogia e o conceito de campo em Bourdieu, 2006.

FARIA FILHO, Luciano Mendes . Da vocação, ou do indizível da docência. Pensar a educação. Um jornal para a educação brasileira. 2017. Disponível em: https://pensaraeducacao.com.br/pensaraeduca. DOI: https://doi.org/10.15687/rec.v10i2.35361.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. A pedagogia como ciência da educação. São Paulo: Cortez, 2008.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia e prática docente. São Paulo: Cortez, 2012.

FRANCO, Maria Amélia Santoro. Pedagogia: entre resistências e insistências. Rev. Espaço do Currículo (online), João Pessoa, v. 10, n. 2, p. 161-173, mai./ago. 2016. Disponível em: http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, Paulo. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Vozes, 1993.

MEIRIEU, Philippe. A pedagogia entre o dizer e o fazer: a coragem de recomeçar. Tradução de Fátima Murad. Porto Alegre: Artmed, 2002.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. 3. ed. Porto Alegre: Sulina, 2007.

NÓVOA, António. O passado e o presente dos professores. In: NÓVOA, António (Org.). Profissão Professor. Lisboa: Porto Editora, 1999, p. 13-34.

SCHMIED-KOWARZIK, Wolfdietrich. Pedagogia dialética: de Aristóteles a Paulo Freire. São Paulo: Brasiliense, 1983.

XAVIER, Libânia Nacif. A construção social e histórica da profissão docente uma síntese necessária. Revista Brasileira de Educação, v. 19, n. 59, out.-dez. p. 827-849, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1413-24782014000900002

Downloads

Publicado

2023-12-12

Como Citar

FRANCO, M. A. S.; SCALET , D. G. Docência crítica: uma práxis que constrói vocações. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 37, n. 80, p. 825–844, 2023. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v37n80a2017-66169. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/66169. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Docência - ofício ou vocação?