A perspectiva de Darwin sobre as expressões emocionais dos bebês: contribuições para o desenvolvimento de práticas educativa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v37n79a2023-64793

Palavras-chave:

Darwin, Emoções, Bebês, Prática Educativa

Resumo

Resumo: Discuto a abordagem de Darwin sobre meios e finalidades de expressões emocionais, com destaque para o choro e sorriso dos bebês; e apresento algumas contribuições, que se depreendem desse conteúdo, para a reflexão das práticas educativas direcionadas à estas crianças que se encontram na primeira etapa da vida. Para tanto, utilizo de descrições e análises apresentadas por Darwin em “A expressão das emoções nos homens e animais”, publicado em 1872 (2009); apresento perspectivas de estudiosos contemporâneos, que tratam das expressões emocionais, tais como: Tomasello (2003) e Damásio (2011). Com base nessas considerações, abordo sobre a importância das expressões emocionais no desenvolvimento de práticas educativas dirigida aos bebês, adicionando ao debate comentários de estudiosos que tratam da primeira infância. Enfatizo o choro e o sorriso como meios naturais de expressão das emoções, que são acionados por estímulos e se dirigem à manifestação de necessidades básicas e estados emocionais, quer sejam excitantes ou deprimentes. Nos bebês, estes meios se apresentam, inicialmente, como ações reflexões; progressivamente, tais meios se mostram cada vez mais complexos. As contribuições que se depreendem dessa discussão podem ser refletidas por cuidadores, no desempenho de suas práticas educativas junto aos bebês, em sintonia com a relação corpo-mente.

Palavras-chave: Darwin; Emoções; Bebês; Prática Educativa.

Darwin's perspective on babies' emotional expressions: contributions to the development of educational practices

Abstract: I discuss Darwin's approach to the means and ends of emotional expressions, with emphasis on babies' crying and smiling; and I present some contributions, which are deduced from this content, for the reflection of educational practices aimed at these children who are in the first stage of life. For that, I use descriptions and analyzes presented by Darwin in “The expression of emotions in men and animals”, published in 1872 (2009); I present perspectives of contemporary scholars who deal with emotional expressions, such as: Tomasello (2003) and Damásio (2011). Based on these considerations, I address the importance of emotional expressions in the development of educational practices aimed at babies, adding comments from scholars who deal with early childhood to the debate. I emphasize crying and smiling as natural means of expressing emotions, which are triggered by stimuli and are directed towards the manifestation of basic needs and emotional states, whether they are exciting or depressing. In babies, these means appear, initially, as reflective actions; progressively, such means are becoming more and more complex. The contributions that emerge from this discussion can be reflected by caregivers, in the performance of their educational practices with babies, in tune with the body-mind relationship.

Keywords: Darwin; Emotions; Babies; Educational practice. 

La perspectiva de Darwin sobre las expresiones emocionales de los bebés: aportes al desarrollo de las prácticas educativas

Abstracto: Analizo el enfoque de Darwin sobre los medios y fines de las expresiones emocionales, con énfasis en el llanto y la sonrisa de los bebés; y presento algunos aportes, que se deducen de este contenido, para la reflexión de las prácticas educativas dirigidas a estos niños que se encuentran en la primera etapa de la vida. Para ello, utilizo descripciones y análisis presentados por Darwin en “La expresión de las emociones en hombres y animales”, publicado en 1872 (2009); Presento perspectivas de estudiosos contemporáneos que se ocupan de las expresiones emocionales, tales como: Tomasello (2003) y Damásio (2011). Con base en estas consideraciones, abordo la importancia de las expresiones emocionales en el desarrollo de prácticas educativas dirigidas a los bebés, agregando al debate comentarios de estudiosos que se ocupan de la primera infancia. Destaco el llanto y la sonrisa como medios naturales de expresión de emociones, que son desencadenados por estímulos y se dirigen a la manifestación de necesidades básicas y estados emocionales, ya sean estos excitantes o deprimentes. En los bebés, estos medios aparecen, inicialmente, como acciones reflexivas; progresivamente, tales medios son cada vez más complejos. Los aportes que emergen de esta discusión pueden ser reflejados por los cuidadores, en el desempeño de sus prácticas educativas con los bebés, en sintonía con la relación cuerpo-mente.

Palabras clave: Darwin; Emociones; bebés; Práctica educativa.

Data de registro: 18/02/2022

Data de aceite: 17/08/2022

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Adrian Ribeiro Santos Ramos, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutoranda em Filosofia pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). Professora da Universidade do Estado da Bahia (UNEB). E-mail: renataadrianuneb11@gmail.com .

Referências

ALMADA, Leonardo Ferreira. A neurociência afetiva como orientação filosófica: por uma ressignificação neurofilosófica do papel das emoções na estruturação do comportamento. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 25, n. 49, p. 201-226, jan./jun. 2011. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/13343. Acesso em: 9 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25n49a2011-08.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 17 fev. 2022.

BRASIL. Práticas Cotidianas na Educação Infantil: Bases para Reflexão sobre as Orientações Curriculares. Projeto de Cooperação Técnica MEC / Universidade Federal do Rio Grande do Sul para Construção de Orientações Curriculares para a Educação Infantil. Brasília, MEC/Secretaria de Educação Básica/ UFRGS, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/relat_seb_praticas_cotidianas.pdf Acesso em: 12 set. 2022.

BROWNE, Janet. Darwin and the expression of the emotions. in Kohn, David, ed. The Darwinian heritage. Princeton: Princeton University Press, 1985.

BUTMAN, Judith; ALLEGRI, Ricardo. A cognição social e o córtex cerebral. Psicologia Reflexão Crítica. Porto Alegre, v. 14, n. 2, p. 275-279, 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010279722001000200003&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 20 jul. 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-79722001000200003.

CARAMASCHI, Sandro. Emoções em continuidade no ser humano e nos animais: como saber o que eles sentem? In: Cognição, emoções e ação. ALVES, Marco Antonio Alves (Org.). São Paulo: Cultura Acadêmica; UNICAMP; Centro de Logica, Epistemologia e História da Ciência, p. 246-260. CLE collection, vol. 84, p. 247-260, 2019. Disponível em: https://books.scielo.org/id/hcrqt/pdf/alves-9788572490191-18.pdf Acesso em: 14 set. 2022. Doi: https://doi.org/10.36311/2019.978-85-7249-019-1.

CARAMASCHI, Sandro. O erro de Descartes: emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo: Companhia da Letras, 2003.

CASTILHO, Fernando Moreno. A expressão das emoções no homem e nos animais, de Charles Darwin: algumas considerações. Filosofia e História da Biologia, v. 16, n. 2, 173-207, 2021. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/fhb/article/view/fhb-v16-n2-02 Acesso em: 09 de setembro de 2022. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2178-6224v16i2p173-207.

CASTILHO, Fernando Moreno; Martins, Lilian Al-Chueyr Pereira. As concepções evolutivas de Darwin sobre a expressão das emoções no homem e nos animais. Revista da Biologia (2012) 9(2): 12-15. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revbiologia/article/view/108736 Acesso em: 9 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.7594/revbio.09.02.03.

DAMÁSIO, António. E o cérebro criou o Homem. Trad. Laura Teixeira Motta – São Paulo: Companhia das Letras. 2011.

DARWIN, Charles. A expressão das emoções nos homens e nos animais. São Paulo, SP: Companhia da Letras, 2009.

DENHAM, Susane; BLAIR, Kimberly; DEMULDER, Elizabeth; LEVITAS, Jennifer; et al. Preschool emotional competence: pathway to social competence? Child Dev. 2003 Jan-Feb;74(1):238-56. doi: 10.1111/1467-8624.00533. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/2003-05639-001 Acesso em: 16 de setembro de 2022. DOI: https://doi.org/10.1111/1467-8624.00533.

EKMAN, Paul. A linguagem das emoções: Revolucione sua comunicação e seus relacionamentos reconhecendo todas as expressões das pessoas ao redor. Tradução Carlos Szlak. São Paulo: Lua de Papel, 2011.

EKMAN, Paul; DAVIDSON, Richard; FRIESEN, Wallace. Duchenne smile: Emotional expression and brain physiology II. Journal of Personality and Social Psychology, Washington, v. 58, n. 2, p. 342-355, 1990. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/1990-14081-001 Acesso em: 12 de setembro de 2022.

ELKONIN, Danill Borisovich. Psicologia do jogo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

FEITOSA, Maria Angela Guimarães. Resenha: Darwin, o Comportamento Humano e as Emoções. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, Vol. 15 n. 3, Set./Dez., p. 265-267, 1999, Disponível em: https://www.scielo.br/j/ptp/a/56SH9MtgfF8hPjrLD9jZk5k/?lang=pt&format=pdf Acesso em: 12 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-37721999000300010.

FONSECA, Vitor. Importância das emoções na aprendizagem: uma abordagem neuropsicopedagógica. Rev. Psicopedagogia, n. 33, v.102: 365-84, 2016. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-84862016000300014 Acesso em: 12 set. 2022.

FONTES, Mario. A Expressão de Emoções: propostas teóricas e questionamentos. Revista Intercâmbio: Especial Expressividade, v. XXXVI: 26-38, 2017. São Paulo: LAEL/PUCSP. ISSN 2237-759X. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/intercambio/article/view/35756 Acesso em: 9 fev. 2022.

FRANK, Mark; EKMAN, Paul; FRIESEN, Wallace. Behavioral markers and recognizability of the smile of enjoyment. Journal of Personality and Social Psychology, Washington, v. 64, n. 1, p. 83-93, 1993. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/1993-20194-001. Acesso em 9 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.1037/0022-3514.64.1.83.

FRIDLUND, Alan. The sociality of solitary smiles: Effects of an implicit audience. Journal of Personality and Social Psychology, Washington, v.60, n. 2, p. 229-240, 1991. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/1991-18314-001. Acesso em 9 fev. 2022.

HARRIS, Paul L. Children and emotion.The development of psychological understanding. Oxford: Blackwell Publishers, 1989.

HENTGES, Cristiano Roberto; ARAÚJO, Aldo. Mellender. Uma abordagem histórico-crítica do Design Inteligente e sua chegada ao Brasil. Filosofia e História da Biologia. v. 15, n. (jan.-jun. 2020). São Paulo, SP: ABFHIB, p. 1-19, 2020. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/fhb/article/view/fhb-v15-n1-01. Acesso em: 8 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.11606/issn.2178-6224v15p01-19.

HORN, Maria da Graça Souza. Sabores, cores, sons, aroma: A organização dos espaços na educação infantil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

IZARD, Carroll Ellis; FINE, S; SCHULTZ, D. et al. Emotion knowledge as a predictor of social behavior and academic competence in children at risk. Psychological Science, 12, 18-23. doi:10.1111/1467-9280.00304. Disponível em: https://www.scirp.org/(S(vtj3fa45qm1ean45vvffcz55))/reference/ReferencesPapers.aspx?ReferenceID=905778 Acesso em: 16 set. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.226.

KRAMER, S. Profissionais de Educação Infantil: gestão e formação. São Paulo: Ática, 2005.

LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos: inquietações e buscas. Rev. Educar. Curitiba, n. 17, p. 153-176. 2001. Editora da UFPR. Disponível em: http://www.educaremrevista.ufpr.br/arquivos_17/libaneo.pdf. Acesso em 9 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.226.

MENDES, Daise Maria Leal Fernades; MOURA, Maria Lúcia Seidi de. Estudos e Pesquisas em Psicologia, UERJ, a. 9, n. 2, p. 307-327, 2009. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/epp/v9n2/v9n2a04.pdf Acesso em 12 set. 2022.

MESQUITA, Marilisa da Silva. O sorriso humano. Dissertação (Mestrado em Anatomia Artística) - Faculdade de Belas Artes. Universidade de Lisboa. 2011. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/bitstream/10451/6571/2/ULFBA_TES496.pdf Acesso em 18 set. 2022.

OLIVEIRA, Rosinda Martins; LENT, Roberto. O Desenvolvimento da Mente Humana. In: LENT, Roberto; BUCHWEITZ, Augusto; MOTA, Mailce Borges. (Orgs.). Ciência para a educação: uma ponte entre dois mundos. São Paulo: Editora Atheneu, 2017.

OSTER, Harriet; HEGLEY, Douglas; NAGEL, Lind. Adult judgments and fine-grained analysis of infant facial expressions: Testing the validity of a priori coding formulas. Developmental Psychology, Washington, v. 28, n. 6, p. 1115-1131, 1992. Disponível em: https://psycnet.apa.org/record/1993-09582-001. Acesso em: 9 fev. 2022. DOI: https://doi.org/10.1037/0012-1649.28.6.1115.

QUEIROZ, Renato da Silva. O homem: animal que ri. Revista USP, São Paulo, n. 60, p. 106-113, dez./fev. 2003-2004. Disponível em: file:///C:/Users/USER/Downloads/13308-Texto%20do%20artigo-16281-1-10-20120517.pdf Acesso em: 11 set. 2022.

ROSEMBERG, Fúlvia. Educar e cuidar como funções da educação infantil no Brasil: perspectiva histórica. São Paulo: Faculdade de Ciências Sociais, Pontificia Universidade de Campinas, 1999.

ROSSETI-FERREIRA, Maria Clotilde Rosseti. A necessária associação entre educar e Cuidar. Pátio Educação Infantil, Porto Alegre, p. 10-12, abr./jul. 2003.

TOMASELLO, Michael. ¿Por qué cooperamos? Madrid, Katz Editores, 2010.

TOMASELLO, Michael. Origens culturais da aquisição do conhecimento humano. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

ZABALZA, Miguel A. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

Downloads

Publicado

2023-07-31

Como Citar

RAMOS, R. A. R. S. A perspectiva de Darwin sobre as expressões emocionais dos bebês: contribuições para o desenvolvimento de práticas educativa. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 37, n. 79, p. 291–314, 2023. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v37n79a2023-64793. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/64793. Acesso em: 12 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos