A NEUROCIÊNCIA AFETIVA COMO ORIENTAÇÃO FILOSÓFICA: POR UMA RESSIGNIFICAÇÃO NEUROFILOSÓFICA DO PAPEL DAS EMOÇÕES NA ESTRUTURAÇÃO DO COMPORTAMENTO

Autores

  • Leonardo Ferreira Almada Universidade Federal de Uberlandia (Uberlândia, MG, Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25n49a2011-08

Palavras-chave:

Processos cognitivos. Processos emocionais. Estados neurais. Raciocínios morais e comportamento.

Resumo

* Doutor em Filosofia pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Adjunto I da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal de Goiás (FAFIL-UFG) e Membro Permanente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (Mestrado) da Universidade Federal de Goiás. E-mail: leonardo.f.almada@gmail.com

A neurociência afetiva como orientação filosófica: por uma ressignificação neurofilosófica do papel das emoções na estruturação do comportamento

Resumo: Minha intenção, neste artigo, é a de discutir a significação das emoções na estruturação dos raciocínios morais e nos processos de decision-making. Para tanto, proponho estabelecer um delineamento filosófico-científico da contemporânea discussão acerca das relações de interação e integração entre processos perceptivo/cognitivos e processos afetivos/emocionais. Visando a realizar essa tarefa, tomo por orientação geral a proposta da Neurociência Afetiva de Jaak Panksepp, que propõe, a partir de um modelo neurofilosófico, situar o papel das emoções básicas no comportamento. A partir do apoio no background conceitual da Neurociência Afetiva, pretendo estabelecer as possíveis relações entre estados mentais, estados neurais e comportamento, com o fim de delinear e propor uma solução para as dificuldades conceituais, filosóficas e científicas que inerem à relação entre habilidades neurobiológicas e experiências subjetivas. Por fim, proponho apresentar, no âmbito das ciências cognitivas, a vantagem do emergentismo em relação às teorias da identidade e às teorias reducionistas.

Palavras-chave: Processos cognitivos. Processos emocionais. Estados neurais. Raciocínios morais e comportamento.

Abstract: My intention here is to discuss the significance of emotions in the structuring of moral reasoning and in the processes of decision-making. I propose to establish a philosophical and scientific design of the contemporary discussion about the relations of interaction and integration between perceptive/cognitive and affective/emotional processes. In other to accomplish this task, I assume the proposal of Jaak Panksepp's Affective Neuroscience, which proposes, as a neurophilosophical model, to situate the role of basic emotion in the behavior. From the support of its conceptual background, I intend to establish the possible relations between mental states, neural states and behavior, in order to outline and propose a solution to the conceptual, philosophical and scientific difficulties that inhere in the relations between neurobiological ability and subjective experiences. Finally, I propose to show, in the context of the cognitive sciences, the advantage of the emergentism in relation to identity and reductionist theories.

Keywords: Cognitive processes. Emotional processes. Neural states. Moral reasoning and behavior.

Referências

GRAY, J.; BRAVER, T.; RAICHLE, M. Integration of emotion and cognition in the lateral prefrontal cortex. PNAS, v. 99, n. 6, p. 4115-4120, 2002.

JAMES, W. What is an emotion? Mind, v. 9, p. 188-205, 1894.

______. The principles of psychology. vol. I. New York: Henry Holt & Co, 1890. (American Science Series).

______. The principles of psychology. vol. II. New York: Henry Holt & Co, 1905. (American Science Series).

______. The consciousness of lost limbs. Proceedings of the American Society for Physical Research, v. 1, p. 249-258, 1887.

LEDOUX, Joseph. The Emotional Brain. New York: Simon & Schuster, 1996.

PANKSEPP, J. Affective Neuroscience: the foundations of human and animal emotions. New York: Oxford University Press, 1998.

PANKSEPP, J. On the embodied neural nature of core emotional affects. Journal of consciousness studies, v. 12, p. 158-184, 2005.

TEIXEIRA, J. F. Mente, cérebro e cognição. Petrópolis: Vozes, 2008.

Data de Registro: 05/12/09

Data de Aceite: 18/08/10

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leonardo Ferreira Almada, Universidade Federal de Uberlandia (Uberlândia, MG, Brasil)

Downloads

Como Citar

Almada, L. F. (2011). A NEUROCIÊNCIA AFETIVA COMO ORIENTAÇÃO FILOSÓFICA: POR UMA RESSIGNIFICAÇÃO NEUROFILOSÓFICA DO PAPEL DAS EMOÇÕES NA ESTRUTURAÇÃO DO COMPORTAMENTO. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 25(49), 201–226. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25n49a2011-08