Cismando com o dualismo cartesiano e seus desdobramentos em práticas e estruturas escolares contemporâneas nas margens do capitalismo

Autores

  • André Luiz Gonçalves de Oliveira UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v35n75a2021-62855

Palavras-chave:

Educação, Emancipação, Modernidade/colonialidade/capitalismo

Resumo

Cismando com o dualismo cartesiano e seus desdobramentos em práticas e estruturas escolares contemporâneas nas margens do capitalismo

Resumo: Esse texto relaciona conceitos que, advindos de áreas do conhecimento diferentes, fundamentam estruturas de subordinação e controle, próprios de muitas práticas e hábitos da vida de diversos povos que habitam as margens do capitalismo moderno e colonialista. Ao articular os desdobramentos trazidos por cada um desses personagens conceituais, nota-se o quanto eles se interseccionam ao fundamentar muito da forma de viver da modernidade, sobretudo em contextos da periferia do capitalismo. Essa articulação se dá por meio de uma investigação bibliográfica sem deixar de refletir sobre as práticas da vida. Para tanto, inicia-se com uma descrição dos fundamentos dualistas cartesianos da ciência e da sociedade ocidental moderna. A seguir, busca-se descrever como esses conceitos se enredam em uma teia que institucionaliza hábitos típicos da estrutura de escola que vigora no país. Por fim, encaminham-se possibilidades de alternativas conceituais que refletem e sustentam práticas educacionais em direção à emancipação e superação das condições impostas pela modernidade/ colonialidade/capitalismo. Encerra-se o artigo com dois apontamentos resultantes do curso da pesquisa: conhecimento é criação, cultivo, cuidado; emancipar-se envolve, necessariamente, a ação de narrar a própria história. 

Palavras-chave: Educação; Emancipação; Modernidade/colonialidade/capitalismo.

Doubting about cartesian dualism and its consequences in contemporary school practices and structures on the margins of capitalism

Abstract: This text relates concepts that, coming from different areas of knowledge, underlie structures of subordination and control, typical of many practices and habits of life of different peoples who inhabit the margins of modern and colonialist capitalism. By articulating the developments brought about by each of these conceptual characters, it is possible to notice how much they intersect in grounding much of the way of living of modernity, especially in contexts on the periphery of capitalism. This articulation goes through a bibliographic investigation, without ceasing to reflect on the practices of life. To do so, it begins with a description of the Cartesian dualist foundations of science and modern Western society. Next, we seek to describe how these concepts are entangled in a web that institutionalizes typical habits of the school structure in force in the country. Finally, possibilities of conceptual alternatives that reflect and sustain educational practices towards emancipation and overcoming the conditions imposed by modernity/coloniality/capitalism are presented. The article ends by pointing out two paths resulting from the course of the research so far, that knowledge is creation, cultivation, care, and that emancipating oneself necessarily involves the action of narrating one's own history. 

Key-words: Education; Emancipation; Modernity/coloniality/capitalism.

Dudando del dualismo cartesiano y sus consecuencias en las prácticas y estructuras escolares contemporáneas al margen del capitalismo

Resumen: Este texto relaciona conceptos que, provenientes de diferentes áreas del conocimiento, subyacen en estructuras de subordinación y control, propias de muchas prácticas y hábitos de vida de diferentes pueblos que habitan los márgenes del capitalismo moderno y colonialista. Al articular los desarrollos provocados por cada uno de estos personajes conceptuales, es posible notar cuánto se cruzan al fundamentar gran parte de la forma de vida de la modernidad, especialmente en contextos en la periferia del capitalismo. Esta articulación se produce a través de una investigación bibliográfica, sin dejar de reflexionar sobre las prácticas de la vida. Para hacerlo, comienza con una descripción de los fundamentos dualistas cartesianos de la ciencia y la sociedad occidental moderna. A continuación, buscamos describir cómo estos conceptos se enredan en la red que institucionaliza hábitos típicos de la estructura escolar vigente en el país. Finalmente, se presentan posibilidades de alternativas conceptuales que reflejan y sustentan las prácticas educativas hacia la emancipación y la superación de las condiciones impuestas por la modernidad/colonialidade/capitalismo. El artículo finaliza señalando dos caminos resultantes del curso de la investigación hasta el momento, que el conocimiento es creación, cultivo, cuidado, y que emanciparse implica necesariamente la acción de narrar la propia historia.

Palabras-clave: Educación; Emancipación; Modernidad/colonialidade/capitalismo.

Data de registro: 18/08/2021

Data de aceite: 20/10/2021

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

André Luiz Gonçalves de Oliveira, UNICAMP

Doutor em Arte pela Universidade de Brasília (UnB). Professor na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). E-mail: andrelcg@unicamp.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2932-0089. LATTES: http://lattes.cnpq.br/1442878244715511

Referências

DELEUZE, G. Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: Editora 34, 2013.

DELEUZE, G. e GUATTARI, F. O que é a filosofia? Tradução de Bento Prado Jr e Alberto Alonso Muñoz. São Paulo: Editora 34, 2010.

DUSSEL, E. Meditações anticartesianas sobre a origem do antidiscurso filosófico da modernidade. In: SANTOS, B. S. e MENESES, M. P. (orgs). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez Editora, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

GARDNER, H. A nova ciência da mente. Tradução de Cláudia M. Caon. São Paulo: EDUSP, 1996.

GROSFOGUEL, R. Para descolonizar os estudos de economia política e os estudos pós-coloniais: transmodernidade, pensamento de fronteira e colonialidade global. In: SANTOS, B. S. e MENESES, M. P. (orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez Editora, 2018.

GUMBRECHT, H. U. Produção de presença: o que o sentido não consegue transmitir. Tradução de Ana Isabel Soares. Rio de Janeiro: Contraponto, 2010.

GUMBRECHT, H. U. Nosso amplo presente: O tempo e a cultura contemporânea. Tradução de Ana Isabel Soares. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

hooks, bell. Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. Tradução de Marcelo B. Cipolla. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2017.

hooks, bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. Tradução de B. Libanio. Rio de Janeiro: Rosa dos Ventos, 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Tradução de Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

LAROSSA, J.(org.). Elogio da escola. Tradução de Fernando Coelho. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2018.

MALDONADO-TORRES, N. A topologia do ser e a geo-política do conhecimento: modernidade, império e colonialidade. In: SANTOS, B. S. e MENESES, M. P. (orgs.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez Editora, 2018.

MASCHELEIN, J. e SIMONS, M. Em defesa da escola: uma questão pública. Tradução de Cristina Antunes. Belo Horizonte: Autêntica editora, 2018.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. Tradução de Carlos A. R. de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 1994.

MÉSZÁROS, I. A educação para além do capital. Tradução de Isa Tavares. São Paulo: Boitempo, 2018.

MIGNOLO, W. Local Histories /Global Designs: coloniality, subaltern knowledges, and border thinking. Princeton: Princeton University Press, 2012.

NEWEN, A. DE BRUIN, L. e GALLAGHER, S. The Oxford Handbook of 4E Cognition. Oxford: Oxford University Press, 2018.

PISTRAK, M. M. Fundamentos da escola do trabalho. Tradução de Luiz Carlos de Freitas. São Paulo: Expressão popular, 2018.

RANCIÈRE, J. O espectador emancipado. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2012.

RUFINO, L. Pedagogia das encruzilhadas. In Revista Periferia v.10, n.1, p. 71 - 88, Jan./Jun. Rio de Janeiro PPGECC-UERJ, 2018.

RUFINO, L. Pedagogia das encruzilhadas. Rio de Janeiro: Mórula Editorial, 2019.

TRECK, D. REDIN, E. e ZITKOSKI, J. J. (orgs.). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.

VARELA, F. THOMPSON, E. e ROSCH, E. A mente incorporada: ciências cognitivas e experiência humana. Tradução de Maria R. Secco Hofmeister. Porto Alegre: Artmed, 2003.

Downloads

Publicado

2022-01-06

Como Citar

Gonçalves de Oliveira, A. L. (2022). Cismando com o dualismo cartesiano e seus desdobramentos em práticas e estruturas escolares contemporâneas nas margens do capitalismo. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 35(75). https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v35n75a2021-62855

Edição

Seção

Artigos