A stultitia na contemporaneidade e a importância da leitura e da escrita em escolas e universidades

Autores

  • Elisandro Rodrigues Grupo Hospitalar Conceição
  • Márcio Luís Marangon
  • Betina Schuler

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v35n75a2021-62463

Palavras-chave:

Stultitia, Educação, Cuidado de si, Leitura, Escrita

Resumo

A stultitia na contemporaneidade e a importância da leitura e da escrita em escolas e universidades 

Resumo: Este artigo é um ensaio teórico que parte de investigações da antiguidade greco-romana por Foucault, principalmente de seus estudos sobre Sêneca, para recuperar o conceito de stultitia e com ele pensarmos o nosso tempo. A partir do diagnóstico de um presente da superaceleração e do superdesempenho, em que se compete consigo mesmo e a atenção está dispersa, a passividade está em justamente não conseguirmos parar para olhar para nós mesmos e para os demais. Para essa agitação contemporânea, afirmamos a importância de escolas e universidades, bem como da figura do mestre, que, por meio da leitura e da escrita, poderá convidar o outro a cuidar de si mesmo e dos demais.

Palavras-chave: Stultitia; Educação; Cuidado de si; Leitura; Escrita. 

Stultitia in contemporaneity and the importance of reading and writing in schools and universities

Abstract: This paper is a theoretical essay grounded on Foucault’s investigations of Greek-Roman Antiquity, particularly his studies on Seneca, in order to recover the concept of stultitia and use it to think about our times. From the diagnosis of a present of super-acceleration and super-performance, in which one competes with oneself and attention is dispersed, passivity is precisely in not being possible to stop and look at the others and ourselves. For this contemporary unrest, we point out the importance of schools and universities, as well as the figure of the master, who, by means of reading and writing, may invite the other to look after the others and oneself.

Key-words: Stultitia; Education; Care of the self; Reading; Writing.

La stultitia à l´époque contemporaine et l´importance de la lecture et de l´écriture dans les écoles et les universités

Résumé: Cet article est un essai théorique qui part des investigations de l'antiquité gréco-romaine de Foucault, principalement de ses études sur Sêneca, pour récupérer le concept de stultitia pour penser à notre époque. Du diagnostic d'un présent de super accélération, de super performance, dans lequel on est en compétition avec soi-même, dans lequel l'attention est dispersée, la passivité est simplement de ne pas pouvoir s'arrêter pour se regarder et se regarder les autres. Pour cette agitation contemporaine, nous affirmons l'importance des écoles et des universités et la figure du maître qui, par la lecture et l'écriture, peut inviter l'autre à souci de lui-même et des autres. 

Mots-clés: Stultitia; Éducation; Souci de soi; Lecture; L'écriture.

Data de registro: 21/07/2021

Data de aceite: 20/10/2021

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elisandro Rodrigues, Grupo Hospitalar Conceição

Doutor em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos de São Leopoldo/RS. Professor no Programa de Pós-Graduação em Avaliação de Tecnologias para o Sistema Único de Saúde (SUS) e da Residência Multiprofissional em Saúde da Escola GHC, Porto Alegre. E-mail: elisandromosaico@gmail.com ORCID: https://orcid.org/0000-0002-9146-4841. CV: http://lattes.cnpq.br/4466204282399825.

Márcio Luís Marangon

Doutor em Educação pela Universidade de Passo Fundo. Professor de Filosofia no Colégio Notre Dame em Passo Fundo. E-mail: mlmarangon@yahoo.com.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0003-3020-4429. CV: http://lattes.cnpq.br/0392287237069453.

Betina Schuler

Doutora em Educação pela Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), São Leopoldo. E-mail: beschuler@unisinos.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2424-7601. CV: http://lattes.cnpq.br/5324014715865436.

Referências

AGAMBEN, Giorgio. O que é contemporâneo? e outros ensaios. Trad. Vinícius Nicastro Honesko. Chapecó, SC: Argos, 2009.

AQUINO, Tomas. Suma Teológica. Disponível. S/D. Disponível em https://sumateologica.files.wordpress.com/2017/04/suma-teolc3b3gica.pdf. Acessado em 05 de Janeiro de 2019.

ARENDT, Hannah. Os homens em tempos sombrios. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Tempos líquidos. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2007.

BAUMAN, Zygmunt. Vida líquida. 2. ed. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2009.

CHANTRAINE, Pierre. Dictionnaire Étymologique de la Langue Grecque. Histoire des Mots. Paris: Éditions Klincksieck, 1900.

CHAIB, Julia; CARVALHO, Daniel. ‘E daí? Lamento, quer que eu faça o quê?’, diz Bolsonaro sobre recorde de mortos por coronavírus. Folha de São Paulo, São Paulo, 28 abr. 2020. Saúde/Coronavírus.

DELEUZE, Gilles. Diferença e Repetição. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A Sobrevivência dos Vaga-Lumes. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

FOUCAULT, Michel. Ditos e escritos (volume V): ética, sexualidade, política. 3º ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2014.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito: curso dado no Collège de France (1981-1982). 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

FOUCAULT, Michel. Tecnologías del yo y otros textos. Barcelona: Paidós Ibérica, 1990.

FOUCAULT, Michel. O Belo Perigo: Conversa com Claude Bonnefoy. Tradução de Fernando Scheibe. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

HAN, Byung-Chul. Sociedade do Cansaço. Tradução de Enio P. Giachini. Petrópolis: Vozes, 2015.

KAPLAN, Leslie. O inferno é verde. Tradução de Zéfere. São Paulo: Luna Parque, 2018.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Tradução de Mariana Echalar. São Paulo: Boimtempo, 2019.

LAZZARATO, Maurizio. Signos, máquinas, subjetividades. Tradução de Paulo D. Oneto. São Paulo: Edições Sesc São Paulo: n-1 edições, 2014.

NOVAES, Adauto (org). Mutações: o silêncio e a prosa no mundo. São Paulo: Edições SESC, 2014.

RODRIGUES, Elisandro; MARANGON, Márcio Luís; DAMICO, José Geraldo Soares. A poesia como cuidado de si: formação e educação. Educação & Formação, Fortaleza, CE, v. 3, n. 7, p. 85-103, jan./abr. 2018. https://doi.org/10.25053/redufor.v3i7.173

SÉNECA, Lucio Anneo. Epistolas Morales. Madrid, ESP: Colegiata, 1884.

SIBILIA, Paula. Redes ou Paredes: a escola em tempos de dispersão. Tradução de Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Contraponto, 2016.

SOUZA, Ricardo Timm de. Ética do escrever: Kafka, Derrida e a Literatura como crítica da violência ética. Porto Alegre: Zouck, 2018.

VOEGELIN, Eric. Hitler e os Alemães. São Paulo: É Realizações, 2008.

Downloads

Publicado

2022-01-06

Como Citar

Rodrigues, E., Luís Marangon, M. ., & Schuler, B. (2022). A stultitia na contemporaneidade e a importância da leitura e da escrita em escolas e universidades. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 35(75). https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v35n75a2021-62463

Edição

Seção

Artigos