“Positivista feliz” ou “hipermilitante pessimista”?

Sobre os atos de problematização em Michel Foucault

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v34n70a2020-50879

Palavras-chave:

Crítica, Genealogia, Filosofia, Atos de Fala

Resumo

“Positivista feliz”ou “hipermilitante pessimista”? Sobre os atos de problematização em Michel Foucault

Resumo: Através do escrutínio de duas noções centrais do pensamento de Michel Foucault – crítica e genealogia–, este texto elucida o conceito de problematização, dando ênfase a seu possível caráter performativo. Numa primeira parte, construímos uma perspectiva do que seria a tarefa do pensador crítico, para, num segundo momento, elucidar a diferença entre uma história das soluções e uma genealogia dos problemas. A provocativa interrogação do título remete a duas atitudes aludidas pelo filósofo. Ao pensar os atos de problematização, esperamos fornecer uma posição acerca deles, e mostrar um modo particular do autor de moldar as noções centrais abordadas anteriormente.

Palavras-Chave: Crítica; Genealogia; Atos de Fala; Filosofia; Problematização.

Michel Foucault: “Happy positivist” or “Hyperactivist pessimist”? On its acts of problematization

 Abstract: Scrutinizing two main notions of Michel Foucault’s thinking – Critique and Genealogy -, this paper elucidates the concept of problematization, with an emphasis in its hypothetical performative aspect. Firstly, we build a perspective on the task of a critical thinker to, in a second moment, elucidate the difference between a history of solutions and a genealogy of problems. The provocative question mark in title refers to two attitudes alluded by Foucault. Reflecting about acts of problematization, we hope to offer a position about them, and show the particular way of this author to shape those central notions approached before.

Keywords: Critique; Genealogy; Speech Acts; Philosophy; Problematization.

 ¿"Positivista feliz" o "hipermilitante pesimista"? Sobre los actos de problematización de Michel Foucault

 Resumen: Mediante el escrutinio de dos nociones centrales del pensamiento de Michel Foucault – crítica y genealogía – este texto elucida el concepto de problematización, enfatizando su posible carácter performativo. En la primera parte, construimos una perspectiva del que sería la tarea del pensador crítico, para en un secundo momento, elucidar la diferencia entre una historia de las soluciones e una genealogía de los problemas. La provocativa interrogación del título remite a dos actitudes de Foucault. Pensando los actos de problematización, nosotros intentamos fornecer una posición acerca de ellos, y mostrar un modo particular del autor de moldar las nociones centrales abordadas anteriormente.

Palabras clave: Crítica; Genealogía; Actos del habla; Filosofía; Problematización.

Data de registro: 03/10/2019

Data de aceite: 27/05/2020

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jean Dyêgo Gomes Soares, Professor na Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Doutor em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Professor na Universidade Federal de Lavras (UFLA). E-mail: jeandyego@gmail.com  ORCID: http://orcid.org/0000-0003-1096-9686. Financiamento: CNPq

Referências

AUSTIN, John L. . Quando dizer é fazer: palavras e ação. Tradução de Danilo Marcondes. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.

CANDIOTTO, C. A genealogia da ética de Michel Foucault. In: Educação e filosofia, Uberlândia, 2013, V. 27, nº 53. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v27n53a2013-p217a234

FOUCAULT, Michel. (AS) A Arqueologia do saber. Tradução de. Luiz. F. B. Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 7ª ed., 2003.

______. (DE) Dits et écrits (I-IV tommes). Paris: Gallimard, 1994.

______. Est-il donc important de penser?. In : Dits et écrits (I-IV tommes). Paris: Gallimard, [1981] 1994. t. IV, pp.178-182

______. On the Genealogy of Ethics: An Overview of Work in Progress. In : Dits et écrits (I-IV tommes). Paris: Gallimard, [1983a] 1994. t. IV, pp. 367-383.

______. Structuralisme and Post-Structuralism. In : Dits et écrits (I-IV tommes). Paris: Gallimard, [1983b] 1994. t. IV, pp. 431-458.

______. Le souci de la verité. In : Dits et écrits (I-IV tommes). Paris: Gallimard, [1984] 1994. t. IV, pp. 636-645.

______. (GSO) O governo de si e dos outros.Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

______. (HL) História da Loucura na Idade Clássica. Trad. José T. C. Netto. São Paulo: Perspectiva, 1978.

______. (OD) A ordem do discurso. Trad. Laura Sampaio. São Paulo: Loyola, 2009.

______. (PC) As palavras e as coisas: uma arqueologia das ciências humanas. Trad. Salma T. Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2007. 9ª Ed.

______. “Pour en finir avec les mensonges”, Le Nouvel Observateur, 21 de junho de 1985. pp. 76-7.

______. (QCr) Qu’est-ce que la critique? Bulletin de la Société Française de Philosophie. Paris : 1978.

______. (VP) Vigiar e punir: nascimento da prisão. Trad. Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 2004. 29ª ed.

GROS, Fréderic. “Situação do curso”. In: O governo de si e dos outros.Trad. Eduardo Brandão. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

KANT, Immanuel. An answer to the question: “What is elightenment?”. Trans. H. B. Nisbet Londres: Penguin, 1970.

______. Resposta à pergunta: “O que é o iluminismo?”. Trad. Artur Morão. Retirado de www.lusosofia.net/kant_o_iluminismo_1784.pdf, acessado em 3 de março de 2018.

KOOPMAN, Colin. Genealogy as Critique. Indiana: Indiana Uni., 2013.

LAWLOR, Leonard; Nale, John. The Cambridge Foucault Lexicon. New York: Cambridge, 2014. https://doi.org/10.1017/CBO9781139022309

NEHAMAS, Alexander. The art of living: Socratic Reflections from Plato to Foucault. Berkeley: University of California Press, 1998.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: Veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2006.

SOARES, Jean. As ficções da filosofia de Michel Foucault. Tese de doutorado. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2018.

VEYNE, Paul. Foucault revoluciona a história.. In: Como se escreve a história e Foucault revoluciona a história. Brasília: UnB, 1982.

ŽIŽEK, Slavoj. (2016). Trump e o retorno do politicamente incorreto. Blog da Boitempo. Disponível em <https://blogdaboitempo.com.br/2016/02/19/ŽIŽEK-donald-trump-e-o-retorno-do-politicamente-incorreto/>Acesso em: 20 de fevereiro de 2016.

______. (2017). A lição da vitória de Corbyn. Blog da Boitempo. Disponível em <https://blogdaboitempo.com.br/2017/06/16/ŽIŽEK-a-licao-da-vitoria-de-corbyn/> Acesso em: 17 de junho de 2017.

______. (2017b). Capital fictício e o retorno da dominação pessoal. Blog da Boitempo, São Paulo. Disponível em <https://blogdaboitempo.com.br/2017/07/03/ŽIŽEK-capital-ficticio-e-o-retorno-da-dominacao-pessoal/> Acesso em: 04 de julho de 2016.

______. (2018). O que Hegel nos ensina sobre como lidar com Trump? Blog da Boitempo. Disponível em <https://blogdaboitempo.com.br/2018/01/17/ŽIŽEK-o-que-hegel-nos-ensina-sobre-como-lidar-com-trump/> Acesso em: 18 de janeiro de 2018.

Downloads

Publicado

2021-02-23

Como Citar

Gomes Soares, J. D. (2021). “Positivista feliz” ou “hipermilitante pessimista”? : Sobre os atos de problematização em Michel Foucault. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 34(70), 333–354. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v34n70a2020-50879