Educação e Filosofia para além dos processos de domesticação e bestialização dos indivíduos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v34n71a2020-50193

Palavras-chave:

Humanismo, Educação, Filosofia

Resumo

Educação e filosofia para além dos processos de domesticação e de bestialização dos indivíduos

Resumo: O presente artigo traça um paralelo entre a educação, a ética e o ensino de filosofia para além dos processos de domesticação e de bestialização dos indivíduos na contemporaneidade. Tal problemática tem seu ponto de partida com a crise do humanismo que afeta toda a estrutura educacional. Dentro deste contexto da crise do humanismo podemos nos perguntar: qual é a função da escola desde as suas origens no século XVIII até os dias de hoje? Portanto, o objetivo deste trabalho é pensar os processos de domesticação e de bestialização dos indivíduos e suas relações com a educação e a filosofia. A filosofia, assim, apresenta-se como uma forma crítica de pensar que auxilia esta tarefa.

Palavras-chave: Humanismo; Educação; Filosofia.

Education and philosophy beyond the processes of domestication and bestialization of individuals

Abstract: This article draws a parallel between education, ethics and the teaching of philosophy beyond the processes of domestication and bestialization of individuals in the contemporary world. This problem has its starting point with the crisis of humanism that affects the entire educational structure. Within this context of the crisis of humanism we can ask ourselves: what is the function of the school from its origins in the eighteenth century to the present day? Therefore, the objective of this work is to think about the processes of domestication and bestialization of individuals and their relations with education and philosophy. Philosophy thus presents itself as a critical way of thinking that assists this task.

Key words: Humanism; Education; Philosophy.

Educación y filosofía más allá de los procesos de domesticación y bestialización de individuos

Resumen: Este artículo establece un paralelismo entre la educación, la ética y la enseñanza de la filosofía más allá de los procesos de domesticación y bestialización de las personas en el mundo contemporáneo. Este problema tiene su punto de partida con la crisis del humanismo que afecta a toda la estructura educativa. Dentro de este contexto de crisis del humanismo podemos preguntarnos: ¿cuál es la función de la escuela desde sus orígenes en el siglo XVIII hasta nuestros días? Por lo tanto, el objetivo de este trabajo es pensar en los procesos de domesticación y bestialización de los individuos y sus relaciones con la educación y la filosofía. La filosofía se presenta así como una forma crítica de pensar que ayuda a esta tarea.

Palabras clave: Humanismo; Educación; Filosofía.

Data de registro: 22/08/2019
Data de aceite: 22/07/2020

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Davi da Costa Almeida, Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)

* Doutor em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará. Professor de Filosofia do Curso de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal Rural do Semi-Árido. E-mail: sukoirusso@gmail.com  ORCID: https://orcid.org/0000-0002-1956-3343

Referências

AGAMBEN, Giorgio. Estado de exceção. Tradução Iraci D. Poleti. São Paulo: Boitempo, 2004.

__________. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Tradução Henrique Burigo. 2. reimpressão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007a.

__________. O que resta de Auschwitz: o arquivo e a testemunha. Tradução Selvino J. Assmann. São Paulo: Boitempo, 2008.

ARIÈS, Philippe. História social da criança e da família. Tradução Dora Flaksman. 2. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Tradução Mauro W. Barbosa. 5. ed. São Paulo: Perspectiva, 2005.

__________. Origens do totalitarismo: anti-semitismo, imperialismo e totalitarismo. Tradução Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001.

COMENIUS, Iohannis Amos. Didática magna. Tradução Joaquim Ferreira Gomes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2001. Versão para eBook. Disponível em: <https://drive.google.com/file/d/0B3_QUDxOmYVmbE1TTHdMVjFTZFE/edit?pref=2&pli=1>. Acesso em 08 ago. 2016.

FERREIRA JR., Wanderley J. A crise do Humanismo – Contribuições à Biopolítica. Revista Inquietude, Goiânia – GO, v. 3, n. 2, p. 187-211, Ago / Dez. 2012. ISSN 2177-4838. Disponível em: <http://www.inquietude.xanta.org/index.php/revista/article/view/206/190>. Acesso em: 20 jun. 2017.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução Raquel Ramalhete. 29. ed. Petrópolis, RJ: 2004.

__________. O anti-Épido: uma introdução à vida não fascista. Tradução Fernando José Fagundes Ribeiro. Cadernos de Subjetividade / Núcleo de Estudos e Pesquisas da Subjetividade do Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUC-SP. – v. 1, n. 1, p. 197-200. São Paulo, 1993. Disponível em: <http://letraefilosofia.com.br/wp-content/uploads/2015/03/foucault-prefacio-a-vida-nao-facista.pdf>. Acesso em: 20 jun. 2017.

FREITAG, Bárbara. Itinerários de Antígona: a questão da moralidade. Campinas, SP: Papirus, 1992.

GADELHA, Sylvio. Biopolítica, governamentalidade e educação: introdução e conexões, a partir de Michel Foucault. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013.

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Tradução Raul Fiker. São Paulo: UNESP, 1991.

ILLICH, Ivan. Sociedade sem escolas. Tradução Lúcia Mathilde Endlich Orth. 3. ed. Petrópolis-RJ: Vozes, 1976.

KANT, Immanuel. Sobre a pedagogia. Tradução Francisco Cock Fontanella. 2. ed. Piracicaba, SP: Editora Unimep, 1999.

KOSÍK, Karel. Dialética do concreto. Tradução Célia Neves e Alderico Toríbio. 7. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

Downloads

Publicado

2021-02-27

Como Citar

DA COSTA ALMEIDA, D. Educação e Filosofia para além dos processos de domesticação e bestialização dos indivíduos. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 34, n. 71, p. 765–787, 2021. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v34n71a2020-50193. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/50193. Acesso em: 17 jul. 2024.