Oficina de criação do e no pensamento:

o acontecimento como abertura da filosofia às artes

Autores

  • Juliana Soares Bom-Tempo Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Humberto Guido Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v31n63a2017-16

Palavras-chave:

Deleuze, Experimentação, Cinema, Literatura

Resumo

Oficina de criação do e no pensamento: o acontecimento como abertura da filosofia às artes

Resumo: O pensar como acontecimento é inseparável de uma oficina de criação que opera em funcionamento maquínico. Quando consideramos a oficina de criação do e no pensamento, apostamos em práticas interdisciplinares que lançam a filosofia no domínio do não discursivo em relação com as artes. Outras imagens do pensamento são flagradas frente a sua produção, fazendo novas conexões, construindo outras máquinas e acompanhando o pensar que entra em variações, diferenciando-se nos diagramas que perfazem as interfaces atual e virtual, ao estarmos diante de um acontecimento. Essa maquinação desloca a filosofia do seu lugar estático e a instala em terrenos rizomáticos, abrindo os domínios do pensar a criação. O atravessamento dos territórios entre artes e filosofias exige a adoção de uma postura não-filosófica - inclusive e principalmente do filósofo - sem a qual a oficina incorrerá num risco de ser uma experimentação estéril, ainda presa às territorialidades previamente fixadas em especialidades. Assim, propomos a operação de uma oficina de criação do e no pensamento a partir das interfaces construídas entre literatura, cinema e teatro junto às obras de Sacher-Masoch e Roman Polanski, ambas intituladas A Vênus das Peles.

Palavras-chave: Deleuze; Experimentação; Cinema; Literatura.

Creation of and in the thought workshop: the event as the opening of philosophy to arts

Abstract: Thinking as an event is inseparable from a creation workshop which operates in machinic assemblage. When considering the creation of and in the thought workshop, we bet on interdisciplinary practices that put philosophy in the non-discursive field in relation to arts. Other thought images are caught by surprise before its production, making new connections, building other machines and following the thinking that goes into variations, differentiating themselves in the diagrams that make up the virtual and actual interfaces, when we are in the face of an event. This machine dislocates philosophy from its static site and places it in rhizomatic terrains, opening the realms of thinking to creation. The crossing of the territories between arts and philosophies entails the adoption of a non-philosophical posture - including and mainly of the philosopher - without which the workshop will incur a risk of being a sterile experimentation, still attached to the territorialities previously fixed in specialties. Thus, we propose the operation of a creation of and in the thought workshop from the interfaces built between literature, cinema and theater together with the works of Sacher-Masoch and Roman Polanski, both entitled Venus in Fur.

Key-words: Deleuze; Experimentation; Cinema; Literature.

Oficina de creacion del y en el pensamiento: el acontecimiento como apertura de la filosofia a las artes

Resumen: El pensar como acontecimiento es inseparable de un taller de creación que opera en funcionamiento maquínico. Cuando consideramos el taller de reacción del y en el pensamiento, apostamos en prácticas interdisciplinares que lanzan a la filosofía en el dominio de lo no discursivo en relación con las artes. Otras imágenes del pensamiento son tomadas frente a su producción, haciendo nuevas conexiones, construyendo otras máquinas y acompañando el pensar que entra en variaciones, diferenciándose en los diagramas que rehacen las interfaces actual y virtual, al situarnos ante un acontecimiento. Esa maquinación desplaza la filosofía de su lugar estático y la instala en terrenos rizomáticos, abriendo los dominios del pensar a la creación. Así, proponemos la operación de un taller de creación a partir de las interfaces construidas entre literatura, cine y teatro junto a las obras de Sacher-Masoch y Roman Polanski, ambas tituladas La venus de las pieles.

Palabras-clave: Deleuze; Experimentación; Cine; Literatura.

Data de registro: 05/12/2017

Data de aceite: 21/12/2017

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Soares Bom-Tempo, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professora do curso de Dança e do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (PPGAC) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Humberto Guido, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Professor do curso de Filosofia, do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGFIL) e do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED) da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Referências

BENE, C.; DELEUZE, G. Superpositions. Richard III suivi de Un manifeste de moins [1979]. Paris: Les Éditions de Minuit, 2008.

DELEUZE, G. Proust e os signos [1964/1970]. Tradução de Antonio Carlos Piquet e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

______. Diferença e repetição [1968]. 2. ed. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2006.

______. Lógica do sentido [1969]. 5. ed. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes. São Paulo: Perspectiva, 2015.

______. Lógica da sensação [1981]. Tradução coordenada por Roberto Machado. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2007.

______. L'image-temps. Cinéma 2 [1985]. Paris: Les Éditions de Minuit, 2009.

______. Crítica e clínica [1993]. Tradução de Peter Pál Pelbart. 2. ed. São Paulo: Editora 34, 2011.

______. A ilha deserta. Textos e entrevistas - 1953-1974 [2002]. Tradução de Luiz B. L. Orlandi et al. São Paulo: Iluminuras, 2010.

______. Dois regimes de loucos. Textos e entrevistas - 1975-1995 [2003]. Tradução de Guilherme Ivo. São Paulo: Editora 34, 2016.

______; GUATTARI, F. L'anti-Oedipe. Capitalisme et schizophrénie 1 [1972]. Paris: Les Éditions de Minuit, 2005.

______; ______. Kafka, por uma literatura menor [1975]. Tradução de Cíntia Vieira da Silva. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

______; ______. Mille plateaux. Capitalisme et schizophrénie 2 [1980]. Paris: Les Éditions de Minuit, 2006.

______; ______. Qu'est-ce que la philosophie? [1991]. Paris: Les Éditions de Minuit, 2014.

GUATTARI, F. Psychanalyse et transversalité. Essais d'analyse institutionnelle. Paris: La Découverte, 2009.

______. Confrontações. Conversas com Kuniichi Uno e Laymert Garcia dos Santos. São Paulo: n - 1 Edições, 2016.

PERLBART, P. P. O avesso do niilismo. Cartografias do esgotamento. 2. ed. São Paulo: n - 1 edições. 2016.

PIAGET, J. Sabedoria e ilusões da filosofia [1969]. Tradução de Zilda Abujamra Daeir. In: ______. Skinner; Piaget. São Paulo: Abril Cultural, 1975. p. 191-331. Coleção "Os Pensadores".

SACHER-MASOCH, L. Von. A vênus das peles. Tradução de Saulo Krieger. São Paulo: Hedra, 2008.

Downloads

Publicado

2017-12-31

Como Citar

Bom-Tempo, J. S., & Guido, H. (2017). Oficina de criação do e no pensamento: : o acontecimento como abertura da filosofia às artes. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 31(63), 1625–1642. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v31n63a2017-16

Edição

Seção

Dossiê Artes e Oficinas: incursões na filosofia de Deleuze-Guattari