Sentidos de público e comum nas políticas curriculares: que efeitos na definição de conhecimento escolar?

Autores

  • Carmen Teresa Gabriel Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n64a2018-03

Palavras-chave:

Conhecimento escolar, Escola pública democrática, Abordagem pós-fundacional, BNCC

Resumo

Sentidos de público e comum nas políticas curriculares: que efeitos na definição de conhecimento escolar?

Resumo: Em diálogo com a abordagem discursiva pós-fundacional, o objetivo deste artigo é investigar como a articulação entre conhecimento escolar, escola pública e currículo comum vem sendo mobilizada nos debates em torno da construção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A análise permitiu apontar, a despeito do posicionamento em relação à necessidade ou à pertinência dessa proposta curricular específica, estabilidades na definição de conhecimento escolar em meio às lutas pela significação dos significantes comum e público que adjetivam respectivamente currículo e escola nos textos analisados. O artigo acena para outras possibilidades abertas para a definição desses termos e para a articulação entre os mesmos, deslocando assim, o foco da reflexão da defesa ou da crítica a esse documento para a importância de continuar operando com esses significantes tanto para a produção da leitura política do campo curricular quanto para a afirmação de um sentido de escola pública democrática.

Palavras-chave: Conhecimento escolar; Escola pública democrática; Abordagem pós-fundacional; BNCC.

Public and common sense in curricular policies: what are the effects on the definition of school knowledge?

Abstract: In dialogue with the post-foundational discursive approach, the objective of this article is to investigate how the articulation between school knowledge, public school and common curriculum has been mobilized in the the debates about the construction of the National Curricular Common Base (NCCB). In spite of the positioning in relation to the necessity or the pertinence of this specific curricular proposal, the analysis allowed to point stabilities in the definition of school knowledge amid the struggles for the signification of the common and public signifiers that respectively adjectivate curriculum and school in the texts analyzed. The article points to other possibilities opened to the definition of these terms and to the articulation between them, thus displacing the focus of the defense or criticism reflection to this document for the importance of continuing to operate with these signifiers both for the production of political reading of the curricular field as well as for the affirmation of a sense of a democratic public school.

Keywords: School knowledge; Democratic public school; Post-foundational approach; NCCB.

Sentidos de público y común en las políticas curriculares: ¿Qué efectos tienen en la definición de conocimiento escolar?

Resumen: En diálogo con el enfoque discursivo posfundacional, el propósito de este artículo es investigar la relación entre conocimiento escolar, escuela pública y plan de estudios común, se ha utilizado en los debates sobre la construcción de la Base Nacional Común Curricular (BNCC). El análisis permitió señalar, a pesar del posicionamiento con relación a la necesidad o pertinencia de la propuesta curricular específica, estabilidades en la definición de conocimiento escolar, en medio a las disputas por la significación de los significantes común y público que califican respectivamente a plan de estudio y escuela en los textos estudiados. El artículo apunta hacia otras posibilidades planteadas para la definición de estos términos y la articulación entre los mismos, desplazando así el foco de la reflexión de la defensa o la crítica de este documento para la importancia de continuar operando estos significantes, tanto para la producción de la lectura política del campo curricular como para la afirmación de un sentido de escuela pública y democrática.

Palabras clave: Conocimiento escola; Escuela pública y democrática; Enfoque posfundacional; BNCC.

Data de submissão: 06/11/2017

Data de aceite: 23/05/2018

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmen Teresa Gabriel, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RIO). Professora do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). 

Referências

ALVES, Nilda. Sobre a possibilidade e a necessidade curricular de uma Base Nacional Comum, São Paulo, Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3 p. 1464 - 1479 out./dez. 2014.

ANPED/ Associação Nacional de Pós-graduação e pesquisa em educação e ABdC/ Associação Brasileira de Currículo. Exposição de Motivos sobre a Base Nacional Comum Curricular. Ofício n.01/2015/GR Rio de Janeiro, 9 de novembro de 2015.

BIESTA, Gert. Boa educação na era da mensuração. Caderno de Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 147, p.808-825, set./dez. 2012. https://doi.org/10.1590/S0100-15742012000300009

______. Gert. Para além da aprendizagem. Educação democrática para um futuro humano. Belo Horizonte: Editora Autêntica, 2013.

BURITY, Joanildo. Discurso, política e sujeito na teoria da hegemonia de Ernesto Laclau. In: MENDONÇA, D.; RODRIGUES, L. P. Pós-estruturalismo e teoria do discurso: em torno de Ernesto Laclau. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008, p. 35-47.

CÓSSIO, Maria de Fátima Base Comum Nacional: uma discussão para além do currículo. São Paulo, Revista e-Curriculum v. 12, n. 3, p. 1570 - 1590, out./dez. 2014.

GABRIEL, Carmen Teresa; CASTRO, Marcela Moraes. Conhecimento escolar: objeto incontornável da agenda política educacional contemporânea. Revista Educação em Questão, Natal, v. 45, n. 31, p.82-110, jan./abril. 2013. https://doi.org/10.21680/1981-1802.2013v45n31ID5105

_____.; FERREIRA, Marcia Serra. Disciplina escolar e conhecimento escolar: conceitos sob rasura no debate curricular contemporâneo. In: LIBÂNEO, J. C.; ALVES, N. (Org.). Temas de Pedagogia: diálogos entre didática e currículo. São Paulo: Cortez, 2012. p. 227-241.

______. Conhecimento científico e currículo: anotações sobre uma articulação impossível e necessária. Revista Teias, Rio de Janeiro, v. 14, n. 33, p. 44-57, 2013.

______. Conhecimento escolar e emancipação: uma leitura pós-fundacional. Caderno de Pesquisa, São Paulo, v. 46, n. 159, p. 104-130, jan./mar. 2016. https://doi.org/10.1590/198053143551

______. Conhecimento escolar em meio aos jogos de linguagem dos debates curriculares contemporâneos. In: MORGADO, J. C; MENDES G. M. L.; MOREIRA, A. F. M; PACHECO, J. A. Currículo, internacionalização cosmopoltismo. Desafios contemporâneos em contextos luso-afro-brasileiros. Santo Tirso-Portugal: De Facto Editores, 2015. p. 233-241.

_____.; MORAES, L. M. S. Conhecimento escolar e conteúdos: possibilidades de articulação nas tramas da didatização. In: GABRIEL, C. T.; MORAES, L. S. (Org.). Currículo e Conhecimento: diferentes perspectivas teóricas e abordagens metodológicas, v. 1, Petrópolis: DePetrus/FAPERJ, p. 23-42. 2014.

HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, T. T. (Org.). Identidade e Diferença. A perspectiva dos Estudos Culturais. Petrópolis: Vozes, 2000.

LACLAU, Ernest. Nuevas reflexiones sobre la revolution de nuestro tempo, Buenos Aires: Nueva Visión, 1990.

_____.; MOUFFE, Chantal Hegemonía y estratégia socialista. Hacia una radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2004.

______. La razón populista. Buenos Aires: Fondo de Cultura Econômica, 2005.

LAROSSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, s/v, n. 19, p. 20-29, jan./abr. 2002. https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000100003

MACEDO, Elizabeth, Base Nacional Curricular Comum:novas formas de sociabilidade produzindo sentidos para educação São Paulo, Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 1530 - 1555, out./dez. 2014.

MACEDO, Roberto Sidnei; NASCIMENTO, Claudio Orlando do; GUERRA, Denise de Moura. Heterogeneidade, experiência e currículo: contrapontos à ideia de base comum nacional e à vontade de exterodeterminação da formação, São Paulo, Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 1556 - 1569. out./dez. 2014.

MACHADO, Roseli Belmonte; LOCKMANN, Kamila. Base nacional comum, escola, professor. São Paulo, Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 1591 - 1613, out./dez. 2014.

MARCHART, Olivier El pensamiento político posfundacional: la diferencia política en Nancy, Lefort, Badiou y Laclau. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2009.

MARCHELLI, Paulo Sergio Da LDB 4.024/61 ao debate contemporâneo sobre as bases curriculares nacionais. São Paulo, Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 1480 - 1511, out./dez. 2014.

MASSCHELEIN, Jan; SIMONS Maarten. Em defesa da escola. Uma questão pública. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

MENDONÇA, D. Como olhar "o político" a partir da teoria do discurso, Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 1, p. 153-169, jan./jun. 2009.

Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular, 3 versão. Ministério da Educação, 2017

MOUFFE, Chantal. A cidadania democrática e a comunidade política, São Paulo, Revista Estudos de Sociologia, v. 2, n. 2, p. 59-68, 1997.

PRICE, Todd Alan. Comum para quem? São Paulo, Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 1614 - 1633 out./dez. 2014.

RETAMOZO, Martin. Las demandas sociales y El estúdio de los movimientos sociales. Cinta Moebio, Santiago, v. 35, p. 110-127, 2009. https://doi.org/10.4067/S0717-554X2009000200003

______. Sujetos políticos: teoria y epistemologia. Um diálogo entre la teoria del discurso, el (re)constructivismo y la filosofia de la liberacíon en perspectiva latinoamericana. Ciencia ergo sum, Toluca-Universidade Autónoma del Estado de Mexico, v. 18, n. 1, p. 81-89, 2011.

SÜSSEKIND, Maria Luiza. As (im)possibilidades de uma base comum nacional. São Paulo, Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 1512 - 1529, out./dez. 2014.

TASSIN, Etienne. Espace commun ou espace public? l'antagonisme de la communauté et de la publicité. Hermès, La Revue, v.1, n. 10, p. 23-37.1992. https://doi.org/10.4267/2042/15351

YOUNG, Michael. Para que servem as escolas? Campinas, Educação & Sociedade, v. 28, n. 101, p. 1287-1302, set./dez. 2007. https://doi.org/10.1590/S0101-73302007000400002

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

GABRIEL, C. T. Sentidos de público e comum nas políticas curriculares: que efeitos na definição de conhecimento escolar?. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 32, n. 64, p. 25–58, 2018. DOI: 10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n64a2018-03. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/40437. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Reinscrever o conhecimento escolar no território do comum: uma introdução