O sentido do ato de educar em Edgar Morin

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v33n67a2019-39154

Palavras-chave:

Pensamento complexo. Reforma do pensamento. Sentido da educação.

Resumo

Temos como propósito, neste texto, contribuir com o debate acerca da razão de ser da escola, bem como do sentido e das finalidades da educação. A reflexão tem como fonte de inspiração a obra do pensador francês Edgar Morin com o objetivo de compreender quais deveriam ser as grandes finalidades do processo educacional. O estudo é de cunho bibliográfico tendo como horizonte os princípios da complexidade. A pesquisa permite concluir que, em seus primeiros escritos, Morin aponta para a necessidade de instituir uma política de civilização que contemple o contexto planetário da humanidade. Com o decorrer do tempo e, sobretudo, nos escritos mais recentes, Morin ressignifica o pensamento de Montaigne e de Rousseau: com inspiração em Montaigne indica que cabe à escola formar o aluno com uma cabeça benfeita e com base em Rousseau retoma a ideia de que é função da escola ensinar a viver.

Palavras-chave: Pensamento complexo. Reforma do pensamento. Sentido da educação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celso José Martinazzo, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - UNIJUÍ

Possui graduação em Filosofia e Pedagogia, especialização em Orientação Educacional, mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (1993); doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004) e Pós-Doutorado pela Universidde do Minho/Pt.

Referências

ALVES, Rubem. Livro sem fim. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

HERMANN, Nadja. Hermenêutica e educação. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

MARTINAZZO, Celso José. Gênese das leis e dos princípios da teoria da complexidade em Edgar Morin. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, Brasília, v. 95, n. 240, p. 457- 461, maio/ago., 2014. http://dx.doi.org/10.1590/S2176-66812014000200011

MONTAIGNE, Michel de. Os ensaios. Organização M. A. Screech; Tradução Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

MORIN, Edgar. Ensinar a viver: manifesto para mudar a educação. Tradução Edgar de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. Porto Alegre: Sulina, 2015a.

MORIN, Edgar. Futuro da utopia europeia é incerto. Entrevista com Juremir Machado da Silva. Correio do Povo, Porto Alegre, 4 jul. 2015b, p. 3.

MORIN, Edgar. Meus Filósofos. Porto Alegre: Sulina, 2013a.

MORIN, Edgar. A via para o futuro da humanidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013b.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Sulina, 2006.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000a.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo/Brasília: Cortez/Unesco, 2000b.

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000c.

MORIN, Edgar. Meus demônios. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000d.

MORIN, Edgar. A religação dos saberes: o desafio do século XXI. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

MORIN, Edgar. O meu caminho. Entrevista com Djénane Kareh Tager. Lisboa: Instituto Piaget, 2008.

MORIN, Edgar. O método 4: as ideias habitat, vida, costumes, organização. 6. ed. Porto Alegre: Sulina, 2011a.

MORIN, Edgar. Rumo ao abismo? Ensaio sobre o destino da humanidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011b.

MORIN, Edgar. O método 5: a humanidade da humanidade. Tradução: Juremir Machado da Silva. 5. ed. Porto Alegre: Sulina, 2012.

MORIN, Edgar.; KERN, Anne Brigitte. Terra-Pátria. Porto Alegre: Sulina, 2000.

MORIN, Edgar.; CIURANA, Emilio-Roger; MOTTA, Raúl Domingo. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro e incerteza humana. São Paulo: Cortez; Brasília: Unesco, 2003.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Emílio, ou, Da educação. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

Downloads

Publicado

2019-12-18

Como Citar

Martinazzo, C. J. (2019). O sentido do ato de educar em Edgar Morin. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 33(67), 401–426. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v33n67a2019-39154