Contribuições da fenomenologia da percepção para compreender a corporeidade de pessoas com autismo

Autores

  • Ana Beatriz Machado Freitas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n65a2018-02

Palavras-chave:

Autismo, Percepção, Corpo, Fenomenologia, Inclusão

Resumo

Contribuições da fenomenologia da percepção para compreender a corporeidade de pessoas com autismo

Apresenta-se um estudo qualitativo bibliográfico em que se buscou identificar descrições referentes a experiências perceptivas por parte de quem apresenta transtorno do espectro do autismo (TEA). Foram selecionados excertos de publicações da autora Temple Grandin ou a ela referentes. Destacaram-se as descrições relacionadas à sensorialidade. Identificou-se que as alterações sensoriais interferem na autopercepção do corpo como unidade perceptiva nas relações com o mundo. À luz da obra Fenomenologia da Percepção, de Merleau-Ponty, discutiu-se a relevância da constituição do corpo próprio no qualitativo das experiências do perceber. Atenta-se para a importância da contribuição de pesquisas fenomenológicas a partir de autobiografias de pessoas com TEA, assim como do olhar para os movimentos e intencionalidades de seus corpos. São trazidas reflexões sobre possibilidades de ampliar a interatividade entre autistas e não autistas, a partir da compreensão dos diferenciais perceptivos, e assim favorecer a inclusão educacional de pessoas com autismo.

Palavras-chave: Autismo; Percepção; Corpo; Fenomenologia; Inclusão. 

Contributions from phenomenology of perception to understand the corporeity of people with autism

Abstract: This article presents a qualitative bibliographical study that sought to identify descriptions about perceptual experiences from people with autism spectrum disorder (ASD). Excerpts from Temple Grandin’s publications or concerning this author were selected. Descriptions related to sensory aspects were highlighted. It was identified which sensory disorders affect the body's self-perception as a perceptual unity in its relations with the world. In light of Merleau-Ponty’s work, Phenomenology of Perception, it discussed the importance of the proper body constitution in the quality of perceptual experiences. It called attention to the importance of the contribution of phenomenological research from the autobiographies of people with ASD, as well as the look at their bodies movements and intentionalities. Reflections are made on possibilities to increase the interactivity between autistic and non - autistic individuals, based on the understanding of perceptual differentials, and thus favor the educational inclusion of people with autism.

Keywords: Autism; Perception; Body; Phenomenology; Inclusion.

Contribuciones en la fenomenologia de la percepción para compreender la corporeidade de personas com autismo

Resumen: En este trabajo se presenta un estudio cualitativo bibliográfico que trató de identificar las descripciones sobre experiencias perceptivas de los que tienen trastorno del espectro del autismo (TEA). Extractos de publicaciones de la Temple Grandin o en relación con ella fueron seleccionados. Los aspectos más destacados fueron las descripciones relacionadas con la sensorialidad. Fue identificado que las alteraciones sensitivas intervienen en la autopercepción del cuerpo como una unidad perceptiva en sus relaciones con el mundo. A la luz de la obra Fenomenología de la Percepción, de Merleau-Ponty, fue discutida la importancia de la constitución del cuerpo próprio en la calidad de las experiencias. Posibilidades de reflexiones son presentadas a extender la interacción entre autista y no autista, a partir de la comprensión de las diferencias de percepción, y por lo tanto promover la inclusión educativa de las personas con autismo.

Palabras clave: Autismo; Percepción; Cuerpo; Fenomenología; Inclusión.

Data de registro: 24/04/2017

Data de aceite: 21/02/2018

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Beatriz Machado Freitas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG)

Doutora em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG - Câmpus Goiânia Oeste) e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Inhumas (FACMAIS).

Referências

APA. American Psychiatric Association. Autism Spectrum Disorder. Washington: American psychiatric publishing, 2013. Disponível em: <http://www.dsm5.org/Documents/Autism%20Spectrum%20Disorder%20Fact%20Sheet.pdf.>. Acesso em: 23 mar. 2014.

BARON-COHEN, Simon; LESLIE, Alan M.; FRITH, Uta. Does the autistic child have a “theory of mind”? Cognition, n. 21, p. 37-46, 1985. https://doi.org/10.1016/0010-0277(85)90022-8

BRASIL. Ministério da Educação. Marcos políticos-legais da educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: Secretaria de Educação Especial, 2010.

______. Lei 13.146, 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Brasília: D.O.U., 2015.

COLTRO, Alex. A fenomenologia: um enfoque metodológico para além da modernidade. Cadernos de pesquisas em Administração, São Paulo, v. 1, n. 11, p. 38-45, jan./mar.2000.

D’ÂNGELO et al. Minha cadeira de rodas, meu corpo. Conexões: revista da Faculdade de Educação Física da UNICAMP, Campinas, v. 10, n. 3, p. 113-141, set./dez. 2012. https://doi.org/10.20396/conex.v10i3.8637651

FRANCE PRESSE. Causas do autismo seriam genéticas e ambientais na mesma proporção, diz estudo. Folha de S. Paulo. São Paulo, 05 mai. 2014, Equilíbrio e saúde. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2014/05/1449422-causas-do-autismo-seriam-geneticas-e-ambientais-na-mesma-proporcao-diz-estudo.shtml>. Acesso em: 07 mar. 2015.

FREITAS, Ana Beatriz Machado. Corpo e percepções no espectro autista. 2015. 150f. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2015.

GADIA, Carlos A.; TUCHMAN, Roberto; ROTTA, Newra T. Autismo e doenças invasivas de desenvolvimento. Jornal de Pediatria (Rio J.), Porto Alegre, v. 80, n. 2, p. S83-S94, supl. abr. 2004. https://doi.org/10.1590/S0021-75572004000300011

GRANDIN, Temple. An inside view of autism. In: SCHOPLER, Eric; MESIBOV, Gary. High-functioning individuals with autism. New York: Plenum Press, 1992. p. 105-128. https://doi.org/10.1007/978-1-4899-2456-8_6

______. How people with autism think. In: SCHOPLER, Eric; MESIBOV, Gary. Learning and cognition in autism. New York: Springer US, 1995. p. 137-156. https://doi.org/10.1007/978-1-4899-1286-2_8

______. Uma menina estranha: autobiografia de uma autista. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

______. Thinking in Pictures: my life with autism. New York: Vintage Books, 2006.

______; JOHNSON, Catherine. Na língua dos bichos. Rio de Janeiro: Rocco, 2006.

______. Metade dos criadores no Vale do Silício é autista. Isto é independente. 17 jul. 2013. Entrevista concedida a Juliana Tiraboschi. Disponível em: <http://www.istoe.com.br/reportagens/314667_METADE+DOS+CRIADORES+NO+VALE+DO+SILICIO+E+AUTISTA+>. Acesso em: 29 nov. 2014.

IBAÑEZ, Nolfa. El lenguaje em el niño: una nueva mirada. Estudios Pedagógicos, Valdivia, n. 26, p. 51-67, 2000. https://doi.org/10.4067/S0718-07052000000100004

IWAKUMA, M. The body as embodiment: an investigation of the body by Merleau-Ponty. In: CORKER, M.; SHAKESPEARE, T. (Ed.). Disability/Postmodernity: embodying disability theory. Londres: Continuum, 2002. p. 76-87.

MARQUES, Rodrigo Rosso. A percepção do corpo próprio e o “ser surdo”. Ponto de vista, Florianópolis, n. 9, p. 75-85, 2007.

MAROCCO, Vanessa. Sujeitos com autismo em relações: educação e modos de interação. 2012. 159f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

MASINI. Elcie F. Salzano e cols. Perceber: raiz do conhecimento. São Paulo: Vetor, 2012.

MATURANA, Humberto. Cognição, ciência e vida cotidiana. Tradução de Cristina Magro e Victor Paredes. Belo Horizonte: UFMG, 2001.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Résumés de cours Collége de France 1952-1960. Paris: Galllimard, 1968.

______. Fenomenologia da percepção. Tradução: Carlos Alberto Ribeiro de Moura. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

MUKERJEE, Madhusree. Um enigma transparente. Scientific American. jun, 2004. Tradução: Roberto Bech, para a Comunidade virtual Autismo no Brasil. Disponível em: <http://omundomaravilhosodosautistas.blogspot.com.br/2010/03/o-fantastico-tito-rajarshi-mukhopadhyay.html>. Acesso em: 22 jun. 2013.

NÓBREGA, Terezinha Petrúcia. Corpo, percepção e conhecimento em Merleau-Ponty. Estudos de Psicologia, Natal, v. 13, n. 2, p. 141-148, 2008. https://doi.org/10.1590/S1413-294X2008000200006

PORTO, Eline Tereza Rozante. A corporeidade do cego: novos olhares. 2002. 162f. Tese (Doutorado em Educação Física) - Unicamp, Campinas, 2002.

RASMUSSEN, Torben H. The lived world of an autist: a fenomenological approach. Livsverden.dk: forum for eksistentiel fænomenologi, 2005. Disponível em: <http://www.livsverden.dk/nonpub/Rasmussen.T.H.unpub.The.lived.world.of.an.autist.pdf>. Acesso em: 03 mar. 2015.

SACKS, Oliver. Um antropólogo em Marte. In: ______. Um antropólogo em Marte: sete histórias paradoxais. Tradução: Bernardo Carvalho. São Paulo: Companhia das Letras, 1995. p. 253-301.

______. Foreword. In: GRANDIN, Temple. Thinking in Pictures: my life with autism. New York: Vintage Books, 2006. p. xiii-xviii.

SAMPEDRO, Javier. Encontrados os três mapas genéticos do autismo. El país. 29 out. 2014. Disponível em: <http://brasil.elpais.com/brasil/2014/10/29/ciencia/1414601925_958319.html>. Acesso em: 3 mar. 2015.

SCHOPLER, Eric. The origins and history of the TEACCH Program. In: MESIBOV, Gary B.; SHEA, Victoria; SCHOPLER, Eric. The Teacch aproach to autism spectrum disorders. New York: Springer Science+Business Media Inc., 2004. p. 1-12. https://doi.org/10.1007/978-0-306-48647-0_1

Downloads

Publicado

2018-08-30

Como Citar

Freitas, A. B. M. (2018). Contribuições da fenomenologia da percepção para compreender a corporeidade de pessoas com autismo. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 32(65), 463–492. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v32n65a2018-02