Apresentação - Dossiê: Derrida

Autores

  • Georgia Amitrano Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v29n58a2015-p543a545

Resumo

*Doutora (2003-2007) em Filosofia pelo Programa de Pós Graduação em Filosofia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGF-UFRJ). Professora do Instituto de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia e Coordenadora do Programa de Pós Graduação em Filosofia (Mestrado) da Universidade Federal de Uberlândia. 

O Dossiê "Homenagem a Jacques Derrida", publicado na Revista Educação e Filosofia, é o fruto de quatro conferências proferidas na XVII SEMANA DE FILOSOFIA DA UFU, na Universidade Federal de Uberlân­dia, em novembro de 2014, sob a coordenação e organização dos professores doutores Georgia Amitrano e Alexandre Guimarães Tadeu de Soares.

Jacques Derrida, sem dúvida, é considerado um dos maiores pensadores do século XX. Em um trabalho iniciado nos anos de 1960 acerca da Des­construção, o filósofo franco argelino se debruça sobre autores como Ben­jamin, Husserl, Heidegger e Levinas, em uma ultrapassagem da metafísica tradicional, a qual se tornará, em sua filosofia, uma "metafísica da presença". Alguns afirmam que sua obra é a mais traduzida no mundo. Contando com mais de 100 títulos, seu pensamento exerce um impacto profundo nas mais diferentes áreas das humanidades e ciências humanas, em especial nos campos da Ética, Alteridade, Linguagem e Filosofia do Direito.

É exatamente com o objetivo de discutir a importância e a permanência do pensamento do filósofo francês que o Dossiê aqui proposto reúne esses quatro ensaios, sendo três de especialistas brasileiros e um estrangeiro que participaram da Homenagem a Jacques Derrida, em 2014, na XVII SEMANA DE FILOSOFIA DA UFU.

Os quatro pesquisadores que participam deste Dossiê têm como pro­posta trazer de modo mais profícuo para o cenário nacional o pensamento da desconstrução derridiana. Lembrando que desconstrução derridiana, no lugar de encarnar a ideia de uma desmontagem com o intuito de liberar aquilo que, tendo sua origem ocultada, esquecida, acha-se impedido de ir ao encontro do que lhe é próprio, se apresenta como ideia mesma ou a ilusão de uma presença, de "algo" que pode e deve ser retomado para a realização do que é ou deveria ser. O uso derridiano da expressão "desconstrução da metafísica da presença" emerge de uma responsabilidade incondicional em relação às coisas que a desconstrução não abre mão de pensar: uma palavra, um termo, um conceito, enfim, todo um discurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-03-21

Como Citar

AMITRANO, G. Apresentação - Dossiê: Derrida. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 29, n. 58, p. 543–545, 2016. DOI: 10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v29n58a2015-p543a545. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/33661. Acesso em: 14 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Derrida