O "especificamente pedagógico"

Autores

  • Maria Luísa Frazão Branco Universidade da Beira Interior

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v29n58a2015-p797a810

Palavras-chave:

Pedagogia. Pedagogia social. Ciências da educação. Razão prática.

Resumo

*Doutora em Educação pela Universidade da Beira Interior (UBI). Professora do Departamento de Psicologia e Educação, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Uni­versidade da Beira Interior (UBI). Portugal.

O "especificamente pedagógico"

Resumo: A criação das Ciências da Educação iniciou um debate sobre o destino da Pedagogia que está longe de ser terminado. A recente afirmação da Pedagogia Social, no panorama universitário de vários países europeus, trouxe de volta à agenda científica a reflexão sobre o "específicamente pedagógico". Com base numa revisão do debate atual, sobre o estatuto do conhecimento pedagógico em geral, que aprofundamos tendo em conta os desenvolvi­mentos ocorridos no âmbito da Pedagogia Social, argumentaremos que, complementarmente às Ciências da Educação, o conhecimento pedagógico se caracteriza por uma forma de questionamento particular, exercitando uma razão prática, normativa e prescritiva, sendo essencial à formação dos professores e educadores em geral.

Palavras-chave: Pedagogia. Pedagogia social. Ciências da educação. Razão prática.

O "especificamente pedagógico"

Abstract:The establishment of the Education Sciences initiated a debate about the fate of Pedagogy that is far from its end. The affirmation of Social Pedagogy in several European countries brings back into the agenda the reflection about the pertinence of the pedagogical knowledge as well as the 'specifically pedagogical' issue. Reviewing the current debate, concerning the pedagogical knowledge status, and the current developments of Social Pedagogy, we shall argue that complementary to the education sciences, the pedagogical knowledge practices a particular questioning mode exercising a practical reason, normative and prescriptive, being essential in teachers and educators training.

Keywords: Pedagogy. Social pedagogy. Education sciences. Practical reason.

Data de registro: 04/06/2013

Data de aceite: 20/11/2013

Referências: 

BATISTA, I. De que falamos quando falamos em pedagogia social. Página da Educação, Porto, n. 175, ano 15, p. 15, Fev. 2008.

CARIDE, J. A. Las fronteras da pedagogia social. Perspetivas científica e histórica. Barcelona: Gedisa. 2005.

CARVALHO, A. D. Utopia e educação. Porto: Porto Editora. 1994

______. Epistemologia das ciências da educação. Porto: Porto Editora. 1996

______; BATISTA, I. Educação social. Fundamentos e estratégias. Porto: Porto Editora. 2004.

DEWEY, J. The sources of a science of education. New York: Horace Liv-eright. 1929.

______. Education as engineering. Journal of Curriculum Studies, Thousand Oaks, v. 41, n. 1, p. 1-5, Fev. 2009. (Texto original publicado em 1922).

DURKHEIM, E. (1902-1903). L'éducation morale (Cours de sociologie dispensé à la Sorbonne en 1902-1903). Disponível em: <http://www.uqac.uquebec.ca/zone30/Classiques_des_sciences_sociales/index.html>. Acesso em: 10 Out. 2009.

ERIKSSON, L.; MARKSTRON, A. M. Interpreting the concept of social pedagogy. In: GUSTAVSSON, A. HERMANSSON, H-E.; HÄMÄLÄINEN, J. (Ed.). Perspetives and theory in social pedagogy. Göterborg: Daidalos, p. 9-23, 2003.

ESTRELA, A. Pedagogia, ciência da educação? Porto: Porto Editora, 1992.

HÄMÄLÄINEN, J. Developing social pedagogy as an academic discipline. In: GUSTAVSSON, A. HERMANSSON, H-E.; HÄMÄLÄINEN, J. (Ed.). Perspetives and theory in social pedagogy. Göterborg: Daidalos, p. 133-153, 2003.

HÄMÄLÄINEN, J. The concept of social pedagogy in the field of social work. Journal of Social Work, Londres, v. 3, n. 1, p. 69-80, Abr. 2003a. https://doi.org/10.1177/1468017303003001005

HAMELINE, D. O educador e a ação sensata. In: NÓVOA, A. (Ed.). Profissão professor. Porto: Porto Editora, p. 33-60, 1991.

HOUSSAYE, J. La pédagogie en proie aux limites. Itinerários de Filosofia da Educação, Porto, v. 3, n. 1, p. 23-44, Jan./Jun. 2006.

KANT, I. Crítica da razão prática. Tradução de A. Morão. Lisboa: Edições 70, 1984. (Original publicado em 1788).

LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos para quê? São Paulo: Cortez Editora, 1998.

MIALARET, G. Problèmes et difficultés rencontrés par les sciences de l'édu-cation en France (1968-2005). In: MARQUES, J. F.; ESTRELA, A. (Ed.). Psicologia e educação. Ciclo de conferências. Lisboa: Educa, p. 27-63, 2007.

PÉREZ-SERRANO, G. Pedagogía social. Educación social. Construcción científica e intervención práctica. Madrid: Narcea, 2004.

KEESON, K. Teacher as researcher. In: KRIDEL, C. (Ed.). The encyclo-pedia of curriculum studies. v. 2. Thousand Oaks: Sage Publications, p. 842-846, 2009.

SAVIANI, D. Pedagogia: o espaço da educação na universidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 37, n. 130, p. 99-134, 2007. https://doi.org/10.1590/S0100-15742007000100006

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Luísa Frazão Branco, Universidade da Beira Interior

Doutora em Educação pela Universidade da Beira Interior (UBI). Professora do Departamento de Psicologia e Educação, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Uni­versidade da Beira Interior (UBI). Portugal. E-mail: lbranco@ubi.pt

Downloads

Publicado

2016-03-21

Como Citar

BRANCO, M. L. F. O "especificamente pedagógico". Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 29, n. 58, p. 797–810, 2016. DOI: 10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v29n58a2015-p797a810. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/22841. Acesso em: 15 jul. 2024.