O Retorno à linguagem:

Husserl e Merleau-Ponty

Autores

  • Renato Oliva Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v1n2a1987-1989

Palavras-chave:

Husserl, Merleau-Ponty, Fenomenologia, Linguagem, Consciência

Resumo

Edmund Husserl pretende desenvolver no texto Investigações Lógicas, a construção de uma eidética da linguagem. Trata-se da ambição racionalista de elaborar uma gramática universal capaz de fixar as normas de significação, independentes de qualquer linguagem empírica, estabelecendo, entretanto, que todas as línguas empíricas são apenas a realização de uma linguagem essencial, que cabe à fenomenologia estabelecer. A eidética, a busca do ‘eido’, é o objetivo supremo da fenomenologia; a constituição, através de um método de variações imaginárias que culminariam na “visão das essências” – a intuição do variante residual de todas as variações. Este invariante, resíduo de todas as variações possíveis, é a atividade intencional da consciência buscando constituir o significado; condição para que qualquer comunicação possa se estabelecer. Todas as proposições se exprimem em linguagem, através de enunciados. A linguagem é o modelo intencional através do qual a consciência rompe com o primado da ‘consciência’ em si e se define como ‘consciência do mundo’. [...]

Palavras-chave: Palavras-chave: Husserl; Merleau-Ponty; Fenomenologia; Linguagem; Consciência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renato Oliva, Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Professor de Filosofia do Departamento de Pedagogia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU).

Downloads

Publicado

2009-04-28

Como Citar

OLIVA, R. O Retorno à linguagem: : Husserl e Merleau-Ponty. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 1, n. 2, p. 49–55, 2009. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v1n2a1987-1989. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/1989. Acesso em: 27 fev. 2024.