Música e civilização em Adorno:

a assimetria da música e a mortificação da audição

Autores

  • Harley Juliano Mantovani Faculdade Católica de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v27n53a2013-p631a658

Palavras-chave:

Adorno, música, estética, audição, Nietzsche

Resumo

Música e civilização em Adorno: a assimetria da música e a mortificação da audição

Resumo: Nesse texto abordamos, de modo indireto, a constituição de uma estética musical através dos elementos filosóficos, sociológicos e psicanalíticos que condicionam e fazem parte da compreensão da audição como arte. Para isso, defendemos a existência de uma oposição oculta entre a música e o processo civilizatório, como culto da divindade da imagem, que teve como filha a Indústria Cultural, perseguidora dos novos discípulos de Dionísio-oposto-a-Apolo, Schoenberg, Webern e Berg, presos pela inteligência instrumental do diretor Ulisses, que como um trabalhador ao final do expediente, sempre quer voltar para a falsa familiaridade das instituições prontas para nos matarem, com medo do obscuro, do estranho e do diferente, como Penteu. Enfim, foi nosso objetivo demonstrar a relação causal entre a perda da arte da audição e o fetichismo.

Palavras-chave: Adorno. Música. Nietzsche. Filosofia. Arte.

Abstract: In this text we approach, of indirect way, the constitution of a musical esthetic throughout of philosophical, sociological and psychoanalytical elements which are condition and make part of understanding of hearing as art. For this, we defend an existence of a hide opposition between the music and the civilizing process, as cult of divinity of the image, which had as daughter the Cultural Industry, which persecute the news disciples of Dionysus-opposed-the-Apollo, Schoenberg, Webern, and Berg, prisoners by instrumental intelligence of the director Ulisses, which as a worker at end of expedient, always to want to come back for the false intimacy of the institutions to await to kill us, whit fear of obscure, of strange, of different, as Penteu. Finally, we had as objective to demonstrate the causal relationship between the loss of art of hearing and the fetishism.

Keywords: Adorno. Music. Nietzsche. Philosophy. Art.

Data de registro:06/08/2012

Data de aceite:28/09/2012

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Harley Juliano Mantovani, Faculdade Católica de Uberlândia

Mestre em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos. Professor do Curso de Filosofia da Faculdade Católica de Uberlândia.

Referências

ADORNO, T. W. O fetichismo na música e a regressão da audição.In:______. Textos escolhidos. São Paulo: Nova Cultural, 1999.

______. Filosofia da nova música. São Paulo: Perspectiva, 1989.

BARBOSA, R. Música, racionalidade e linguagem. In: ______. DUARTE, R.; SAFATLE, V. (Org.). Ensaios sobre música e filosofia. São Paulo: Humanitas, 2007.

BARRETO, M. H. Subjetividade e o novo na arte: reflexões a partir de Adorno. Kriterion, Belo Horizonte, v. 33, n. 85, p. 49-58, jan./jul. 1992.

CHIARELLO, M. Natureza-morta: finitude e negatividade em T. W. Adorno. São Paulo: Edusp, 2006.

DAHLHAUS, C.; EGGEBRECHT, H. Que é a música? Lisboa: Texto & Grafia, 2009.

DUARTE, R. Adornos: nove ensaios sobre o filósofo frankfurtiano. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1997.

MACHADO, Roberto. Zaratustra, tragédia nietzschiana. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

MENEZES, F. Apoteose de Schoenberg. São Paulo: Ateliê Editorial, 2002.

NIETZSCHE, F. Música e palavra. Discurso: música e filosofia. São Paulo, n. 37, p. 167-181, 2007. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2007.62928

______. O nascimento da tragédia ou helenismo e pessimismo. São Paulo: Companhia da Letras, 1992.

______. Assim falava Zaratustra. São Paulo: Logos, 1959. Educação e Filosofia. Uberlândia, v. 27, n. 54, p. 631-658, jul./dez. 2013. ISSN 0102-6801 657

SAFATLE, V. Fetichismo e mimesis na filosofia da música adorniana. Discurso: música e filosofia. São Paulo, n. 37, p. 365-406, 2007. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8863.discurso.2007.62950

TOMÁS, L. Música e filosofia: estética musical. São Paulo: Irmãos Vitale, 2005.

WAIZBORT, L. Estilo musical da liberdade. Kriterion, Belo Horizonte, v.33, n. 85, p. 31-48, jan./jul., 1992.

Downloads

Publicado

2013-07-16

Como Citar

Mantovani, H. J. (2013). Música e civilização em Adorno:: a assimetria da música e a mortificação da audição. Educação E Filosofia, 27(54), 631–658. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v27n53a2013-p631a658