Consumo e produção sustentável na educação básica: reflexões entre a Agenda 2030 e a Base Nacional Comum Curricular

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n2a2022-65396

Palavras-chave:

Agenda 2030, Consumo, Produção, Sustentável, Base Nacional Comum Curricular

Resumo

Este texto tem como principal objetivo problematizar a forma como as ideias de consumo e produção responsável são abordadas pela Base Nacional Comum Curricular, a partir da Agenda 2030. O trabalho, de natureza bibliográfica e abordagem qualitativa, apoiou-se na leitura e interpretação de textos e documentos escolhidos a partir da perspectiva hermenêutica. Conhecer as demandas da Agenda 2030 e identificá-las na BNCC é fundamental para poder projetar qual deve ser o papel da educação em relação às questões ambientais e de sustentabilidade. O estudo permitiu compreender que, ao firmar um pacto mundial para a construção de um mundo sustentável e resiliente, o Brasil comprometeu-se, a partir da Base, a tornar efetiva a formação humana considerando esta inadiável necessidade ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Claudio Almir Dalbosco , Universidade de Passo Fundo - Brasil

Doutor em Filosofia (Universität Kassel – Alemanha). Professor do Curso de Filosofia e do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Passo Fundo – PPGEdu/UPF.

Flávia Burdzinski de Souza, Universidade Federal da Fronteira Sul/Universidade de Passo Fundo - Brasil

Mestra em Educação nas Ciências (UNIJUÍ). Doutoranda em Educação (PPGEdu/UPF). Professora Adjunta da Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Erechim/RS.

Márcio de Macedo, Universidade de Passo Fundo - Brasil

Mestre em História (UFPR). Doutorando em Educação (PPGEdu/UPF). Professor da Universidade Paranense - Unipar - Campus de Francisco Beltrão/PR.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. Brasília: MEC/SEB, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/a-base. Acesso em: 06 jan. 2021.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me000046.pdf Acesso em: 05 jan. 2021

DALBOSCO, C. A. Pragmatismo, teoria crítica e educação. Campinas (SP): Autores Associados, 2010.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaios sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FERREIRA, A. B. de H. Mini Aurélio: o dicionário de língua portuguesa. 8ed. Curitiba: Positivo, 2010.

FLICKINGER, H. G. A caminho de uma pedagogia hermenêutica. Campinas: Autores Associados, 2010.

GAMBARO, D. Bourdieu, Baudrillard e Bauman: o consumo como estratégia de distinção. Revista Novos Olhares, v.1, n.1, 2012. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/novosolhares/issue/view/4286. Acesso em 04 jan. 2021.

LAVAL, Christian; DARDOT, Pierre. Diálogo com educadores. Revista Espaço Pedagógico. Passo Fundo-RS, v. 28, n. 1, p. 412-419, 16 set. 2021. Tradução Regiano Bregalda. Disponível em: http://seer.upf.br/index.php/rep/article/view/12804/114116122. Acesso em 16 out. 2021.

LOUREIRO, C. F. B; LIMA. M. J. G. S. A hegemonia do discurso empresarial de sustentabilidade nos projetos de Educação ambiental no contexto escolar: nova estratégia do capital. Revista Contemporânea de Educação, v.7, n.14, 2012. Disponível em: https://revistas.ufrj.br/index.php/rce/article/view/1672. Acesso em 11 jan. 2022.

MELLO, S. S. de; TRAJBER, R. (coord.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental. Brasília: MEC/MAM/UNESCO, 2007.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reformar, reformar o pensamento. RJ. 15ªed. Bertrand Brasil, 2012.

ONU. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2015. Disponível em: http://www.agenda2030.org.br/saiba_mais/publicacoes. Acesso em: 03 jan. 2021.

PERES-NETO, L. Teorias da comunicação e o consumo: algumas conjecturas teóricas e prospecções. Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação. XXV Encontro Anual da COMPÓS, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 7 a 10 de junho de 2016. Disponível em: http://www.compos.org.br/biblioteca/teorias_com_consumo_3340.pdf. Acesso em: 04 jan. 2021.

WELLER, W.; PFAFF, N. (Coord.). Metodologia da pesquisa qualitativa em educação: teoria e prática. Petrópolis: Vozes, 2010.

UNESCO. Educação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: objetivos de aprendizagem. Unesco, 2017. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000252423. Acesso em: 04. jan. 2021

UNITED NATIONS. Transforming our world: the 2030 Agenda for Sustainable Development. Resolution adopted by the General Assembly on 25 September 2015. New York, 2015. Disponível em: http://www.un.org/ga/ search/view_doc.asp?symbol=A/RES/70/1&Lang=E. Acesso em: 03 jan. 2021

Downloads

Publicado

2022-04-12

Como Citar

Dalbosco , C. A., Souza, F. B. de, & Macedo, M. de. (2022). Consumo e produção sustentável na educação básica: reflexões entre a Agenda 2030 e a Base Nacional Comum Curricular. Revista Educação E Políticas Em Debate, 11(2), 763–780. https://doi.org/10.14393/REPOD-v11n2a2022-65396

Edição

Seção

DOSSIÊ - ESTADO NEOLIBERAL E RETROCESSOS DEMOCRÁTICOS NAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE EDUCAÇÃO