A criação do movimento pedagógico específico: caminhos e significados para o processo de inclusão de um estudante com autismo

Autores

  • Noemí Mendes Alves Lemes Missão Sal da Terra
  • Adenilce Oliveira Souza Prefeitura Municipal de Uberlândia
  • Cristiane Rosa Fernandes Prefeitura Municipal de Uberlândia
  • Kênia Alves Santos Prefeitura Municipal de Uberlândia

Palavras-chave:

Inclusão, Autismo, Movimento Pedagógico Específico

Resumo

Este trabalho apresenta uma experiência de inclusão de um estudante com autismo na rede municipal de ensino de Uberlândia-MG no período de 2013-2014, o Movimento Pedagógico Específico. Essa ação personalizou a organização do tempo e espaço escolar, adequações curriculares e planejamento. A abordagem qualitativa de pesquisa propiciou conhecer os impactos e contribuições da ação implantada. Concluímos que a inserção do estudante com autismo na escola regular e classe comum e a instituição da ação exclusiva e diferenciada através do Movimento Pedagógico Específico contribuíram significativamente para o processo de inclusão, desenvolvimento da aprendizagem do estudante e o aprimoramento do trabalho docente.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Noemí Mendes Alves Lemes, Missão Sal da Terra

Graduação em Pedagogia-UFU, Especialização em Psicopedagogia no Instituto Psicologia/UFU, Mestre em Educação-PPGED/ UFU. Membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Transtornos do Espectro do Autismo-GEPTEA-UFU. Superintendente Educacional-Missão Sal da Terra.

Adenilce Oliveira Souza, Prefeitura Municipal de Uberlândia

Graduação em Matemática-UFU, Especialização  em Matemática-UFU e Educação Especial na Universidade Candido Mendes, Mestre em Matemática-UFU. Gestora de Escola Municipal-PMU.

Cristiane Rosa Fernandes, Prefeitura Municipal de Uberlândia

Graduação em Pedagogia-UNITRI, Especialização Educação Especial-UFU, Professora do Atendimento Educacional Especializado-PMU. 

 

Kênia Alves Santos, Prefeitura Municipal de Uberlândia

Graduação em Pedagogia-UFU, Especialização Educação Especial na Universidade Candido Mendes, Professora de Apoio-PMU.

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM 5). Porto Alegre: Ed. Artes Médicas, 2014.

BAPTISTA, C. R.; BOSA, C. Autismo e Educação. Reflexões e propostas de intervenção. Porto Alegre: Artmed, 2002.

BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação. Uma introdução à teoria e aos métodos. Porto: Porto, 1994.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Presidência da República. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constitui-cao/constituicaocompilado.htm>. Acesso em novembro de 2016.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/legislação>. Acesso em novembro de 2016.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 59, de 11 de novembro de 2009. Dá nova redação aos incisos I e VII do art. 208, de forma a prever a obrigatoriedade do ensino de quatro a dezessete anos. Disponível em: . Acesso em: outubro de 2016.

BRASIL. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. MEC/SEESP, 2008.

BRASIL. Decreto Federal nº 6.571, de 17 de setembro de 2009. Dispõe sobre o atendimento educacional especializado, regulamenta o parágrafo único do art. 60 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto no 6.253, de 13 de novembro de 2007.

CANDAU. V.M. Multiculturalismo e Educação: desafios para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F, CANDAU, V. M. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2008.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 1991.

IMBERNÓN, F. (Org.). A Educação no século XXI. Os desafios do futuro imediato. Porto Alegre: Artmed, 2000.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.

INEP. Censo Escolar 2016. Disponível em <http://portal.inep.gov.br/>. Acesso em 27 de julho 2016.

JUNIOR, J. F. B.; CUNHA, P. A educação especial na perspectiva da inclusão escolar: Transtornos Globais do Desenvolvimento. Ceará: UFC--MEC-SEESP, 2010.

LEMES, N. M. A. O Projeto de Atendimento ao Desenvolvimento da Aprendizagem na Rede Municipal de Ensino de Uberlândia: o que sua história nos conta. 2012. 168 f. Dissertação (Mestrado em Educação). PPGED Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARTINS, I. Entrevista com Peter Mittler. Inclusão escolar é transformação na sociedade. Presença Pedagógica, v. 5, n. 30, 1999.

MOROZ, M.; GIANFALDONI, M. H. T. A. (Orgs.). O processo de pesquisa – iniciação. Brasília: Líber Livro, 2006.

NÓVOA, A. Concepções e práticas da formação contínua de professores: In: ______. (Org.). Formação contínua de professores: realidade e perspectivas. Portugal: Universidade de Aveiro, 1991.

ORRÚ, S. E. A formação de professores e a educação de autistas. Revista Iberoamericana de Educación, España, v. 31, p. 01-15, 2003. Disponível em: <http://www.rieoei.org/deloslectores/391Orru.pdf>. Acesso em outubro de 2016.

ORRÚ, S. E. Autismo, Linguagem e Educação: interação social no cotidiano escolar. Rio de Janeiro: Wak, 2012.

REGO, T. C. Vygotsky: Uma perspectiva histórico-cultural da educação. Rio de Janeiro: Vozes, 2009.

SCHMIDT, C. Autismo, Educação e Transdisciplinaridade. Campinas: Papirus, 2013.

STAINBACK, S. Inclusão um guia para educadores. Artmed: Porto Alegre, 2001.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos – Jomtien. 1990. Disponível em: <http://www.direitoshumanos.usp.br/index.php/Direito-a-Educa%C3%A7%C3%A3o/declaracao-mundial-sobre-educacao--para-todos.html>. Acesso em 27 de novembro de 2016.

UNESCO. Declaração de Salamanca sobre princípios, política e Práticas na área das necessidades educativas Especiais. 1994. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001393/139394por.pdf>. Acesso em 27 de novembro de 2016.

WERNECK, C. Quem Cabe no seu “Todos”?. Rio de Janeiro: WVA, 1999.

Downloads

Publicado

2016-12-20

Como Citar

Lemes, N. M. A., Souza, A. O., Fernandes, C. R., & Santos, K. A. (2016). A criação do movimento pedagógico específico: caminhos e significados para o processo de inclusão de um estudante com autismo. Revista Educação E Políticas Em Debate, 5(2), 152–165. Recuperado de https://seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/45383

Edição

Seção

Artigos