Psicologia, identidade social e cidadania

o espaço da educação e dos movimentos sociais

Autores

  • Almir Del Prette Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)
  • Zilda A. P. Del Prette Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v10n20a1996-933

Palavras-chave:

Cidadania, Identidade Social, Educação, Movimentos Sociais, Psicologia Social

Resumo

O presente trabalho focaliza a temática da Cidadania, examinando a sua relação com a Democracia, os Movimentos Sociais e a Educação. Tendo como substrato o conceito de identidade social de Tajfel e associados, analisa as dimensões psicossociais da construção da cidadania no espaço dos movimentos sociais e da educação, explicitando o possível papel mediador da Identidade Pessoal e Social nesse processo.

Palavras-chave: Cidadania; Identidade Social; Educação; Movimentos Sociais; Psicologia Social.

 

Abstract: This paper concerns the thematic of Citizenship, by examining its connection with Democracy, Social Movements and Education. Based on the concept of Social Identity (Tajfel and his associates), it's analysed the psychosocial dimensions in the citizenship constructions and it's pointed out the possible role of the Social Identity as a mediator of this proccess.

Key words: Citizenship; Social Identity; Education; Social Movements; Social Psychology.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Almir Del Prette, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Professor do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos.

Zilda A. P. Del Prette, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Professora do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de São Carlos.

Referências

ALTHUSSER, L. (1980). Ideologia e aparelhos ideológicos de Estado. 3.ed. Lisboa: Presença.

AZANHA, J.M.P. (1993). "Política e planos de educação no Brasil: alguns pontos para reflexão". Cadernos de Pesquisa, 85, 70-78.

BAUDELOT, C. e ESTABLET, R. (1971). L'école capitaliste en France. Paris: François Maspero.

BONNAZZI, M. e Eco, V. (1980). Mentiras que parecem verdades. São Paulo: Summus.

BOSCHI, R.R. e VALLADARES, L.P. (1982). Movimentos sociais de camadas populares urbanas: análise comparativa de seis casos. In: R.R. BOSCHI (Org.). Movimentos coletivos no Brasil urbano, pp. 16-31. Rio de Janeiro: Zahar.

BOSCHI, R.R. e VALLADARES, L.P. (1983). Problemas teóricos na análise dos movimentos sociais: comunidade, ação coletiva e papel do Estado. Espaço e Debates, 8, 6477.

BOURDIEU, P. e PASSERON, J.C. (1982). A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Aves.

BROWN, R.J. (1984). The role of similarity in intergroup relations. In: H. TAJFEL (Ed.). The social dimension, vol. 2, pp. 603-21. New York: Cambrigde University Press. https://doi.org/10.1017/CBO9780511759154.012

BUFFA, E.; ARROYO, M. e NOSELLA, P. (1987). Educação e cidadania: quem educa o cidadão? São Paulo: Cortez.

CARDOSO, R.C.L. (1987). Movimentos sociais na América Latina. Revista Brasileira de Ciências Sociais, (1), 27-37.

CARDOSO, R.C.L. (1987). Movimentos sociais urbanos: balanço crítico. In: M.H. Tavares de ALMEIDA (Org.). Sociedade e política no Brasil pós 64, pp, 28-41. São Paulo: Brasiliense.

CARNOY, M. (1987). Educação, economia e Estado: base e superestrutura: relações e mediações. São Paulo: Cortez: Autores Associados.

CHARLOT, B. (1983). A mistificação pedagógica: realidades sociais e processos ideológicos na Teoria da Educação. Rio de Janeiro: Zahar.

CHAUí, M. (1984). Cultura e democracia. São Paulo: Moderna.

CROCKENBERG, S. e BRYANtt B. (1989). Socialization: the "implicit curriculum" of learning enviroments. Journal of Research and Development in Education. 12(1), 69-78.

CURY, C.R.J. (1982). Notas acerca do saber e do fazer da escola. Cadernos de Pesquisa, 40, 58-60.

DEL PRETTE, A. (1989). Pesquisa em movimentos sociais: reflexões sobre uma experiência. Psicologia e Sociedade, 6, 101-107.

DEL PRETTE, A. (1990a). Movimentos sociais em uma perspectiva psicológicosocial: o movimento de luta contra o desemprego. Tese de doutorado. Universidade de São Paulo.

DEL PRETTE, A. (1990b). Em busca de uma abordagem psicológica na análise dos novos movimentos sociais. Ciência e Cultura, 42 (12), 1060-1066.

DEL PRETTE, A. (1991). Do estudo de grupos ao estudo dos movimentos sociais: a contribuição possível da Psicologia. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 3, 247-253.

DEL PRETTE, A. (1993). O comportamento coletivo como fenómeno psicológico-socialPsicologia argumento, 11(13), 11-24.

DEL PRETTE, A. (1995). A Psicologia Social e a análise do fato social. Psicologia: Reflexão e Crítica, 7 (1-2), 133-140.

DEL PRETE, A. e FRANÇA, D.F. (1991). Aspectos psicológicos e sociais das invasões urbanas. Anais...Associação Nacional de Pesquisa em PósGraduação (ANPEPP), 190-193.

DEL PREITE, Z.A.P. (1990). Uma análise da ação educativa do professor a partir de seu relato verbal e da observação em sala de aula. Tese de Doutoramento. Universidade de São Paulo.

DEL PREITE, Z.A.P. (1993). A identidade do psicólogo escolar/educacional: as diferentes faces da (re) construção. Estudos de Psicologia PUCCAMP- SP, 10 (2), 125-138.

DEL PREITE, Z.A.P. (1995). Subcultura escolar: realidade e desafios. Anais... XVII Congresso Internacional de Psicologia Escolar e II Congresso Nacional de Psicologia Escolar (Tomo II) intitulado "O futuro da criança na escola, família e sociedade. Átomo, 254-257.

DOIMO, A.M.; DOXEY, J.R. e BELING NETO, R.A. (1986). os novos movimentos sociais - teoria e prática. Ciências Sociais Hoje, 8-36.

DURHAM, E. (1984). Movimentos sociais: a constituição da cidadania. Novos Estudos - CEBRAP, 10, 24-30.

EVERS, T. (1984). Identidade: a face oculta dos novos movimentos sociais. Novos Estudos - CEBRAP, 2 (4), 11-23.

FARR, R. (1986). Las representaciones sociales. In: S. Moscovici (Org.). Psicologia social, pp. 495-509. Buenos Aires: Paidós.

FAUSTO, B. (1983). Trabalho urbano e conflito social. São Paulo: Difel.

FAVERO, 0.; HORTA, J.S.B. e FRIGOTO, S. (1992). Políticas educacionais no Brasil, desafios e propostas. Cadernos de Pesquisa, 83, 5-14.

FERNANDES, F. (1985). A formação política e o trabalho do professor. In: Catani, D.B.; Miranda, H.T.; Menezes, L.C. e Fischmann, R. (Orgs.). Universidade, escola e formação de professores, pp. 13-37. São Paulo: Brasiliense, 13-37.

FESTINGER, L.A. (1954). Theory of social comparation processes. Human Relations, 7, 117-140. https://doi.org/10.1177/001872675400700202

FREDERICO, C. (1979). A vanguarda operária. São Paulo: Símbolo.

FREITAS, L.C. (1987). Projeto histórico, ciência pedagógica e "didática". Educação e Sociedade, 27, 122-140.

GADOTTI, M. (1984). Educação e poder: introdução à pedagogia do conflito. São Paulo: Cortez, 53-64.

GADOTTI, M. (1987). Pensamento pedagógico brasileiro. São Paulo: Atica. GIROUX, H. (1987). Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez: Autores Associados.

GOHN, M.G. (1985). A força da periferia. a luta das mulheres por creches em São Paulo. Petrópolis: Vozes.

GOHN, M.G. (1992). Movimentos sociais e educação. São Paulo: Cortez.

HAMILTON, S.F. (1983). The social side of schooling: ecological studies of classroom and schools. The elementary School Journal, 83(4), 313314. https://doi.org/10.1086/461320

ILLICH, l. (1973). Sociedade sem escolas. 2.ed. Petrópolis: Vozes.

JACOBI, P. (1983). Movimentos populares urbanos em resposta do Estado: autonomia e controle versus cooptação e clientelismo. In: R.R. BOSCHi (Org.). Movimentos coletivos no Brasil urbano, pp. 87-112. Rio de Janeiro: Zahar.

JACOBI, P. (1986). Movimentos sociais urbanos no Brasil. In: E.D. CERQUEIRA et allii. (Orgs.). O que se deve ler em Ciências Sociais no Brasil, pp. 221-236. São Paulo: Cortez: ANPOCS.

JAHODA, G. (1988). Critical notes and refletions on social representations. European Journal of Psychology, 18, 195-209. https://doi.org/10.1002/ejsp.2420180302

KOWARICK, L. (1987). Movimentos urbanos no Brasil contemporâneo: uma análise da literatura. Revista Brasileira de Ciências Sociais, 3(1), 3850.

LEFORT, C. (1986). Essais sur le politique. Paris: Seuil.

LIBÂNEO, J.C. (1984). Democratização da escola pública: a pedagogia crítico- social dos conteúdos. São Paulo: Loyola.

MELLO, A.F. (1990). A questão da cidadania. Cadernos do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal do Pará. (21), 85110.

MELLO, G.N. (1984). Magistério de 1 0 grau: da competência técnica ao compromisso político. São Paulo: Cortez: Autores Associados.

MOSCOVICI, S. (1984). The phenomenon of social representation. In: R. Farr e S. Moscovici (Eds.). Social representations, pp. 3-69. London: Cambridge University Press.

NOGUEIRA, S.M.A. (1991). Valores e objetivos da educação brasileira: a questão da relação entre Filosofia da Educação e Política Educacional a partir de 1930. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, 72(171), 145-174. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.72i171.1293

NOSELLA, M.L.C.D. (1981). As belas mentiras: a ideologia subjacente aos textos didáticos. São Paulo: Moraes.

NUNES, E. (1986). Carências urbanas e reivindicações populares - notas. Ciências Sociais Hoje, pp. 37-52. São Paulo: Cortez: ANPOCS.

PEREIRA DE SÁ, C. (1993). Representações sociais: o conceito e o estado atua) da teoria. In: M.J. Spink (Org.). O conhecimento no cotidiano, pp. 19-45. São Paulo: Brasiliense.

PERROT, M. (1988). Os excluídos da história. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

PLUM, W. (1989). Relato de operários sobre os primórdios do mundo moderno no trabalho. Bonn: Hildesheimer Druck.

POTTER, J. e LITTON, L. (1985). Some problems underlying the theory of social representations. British Journal of Social Psychology, 24, 8190. https://doi.org/10.1111/j.2044-8309.1985.tb00664.x

RIBEIRO, S.C. (1993). A Educação e a inserção do Brasil na modernidade. Cadernos de Pesquisa, 84, 63-82.

RODRIGUES, N. (1985). Por uma nova escola: o transitório e o permanente na educação. São Paulo: Cortez: Autores Associados.

SAVIANI, D. (1984). Escola e democracia: teorias da educação, curvatura da vara, onze teses sobre a educação e política. São Paulo: Cortez: Autores Associados.

SAVIANI, D. (1989). A pedagogia históricocrítica e a educação escolar. In: M.V.C. Bemardo (Org.). Pensando a Educação: ensaios sobre a formação do professor e a política educacional, pp. 23-33. São Paulo: Editora Universidade Estadual Paulista, 23-33.

SCHERER-WARREN, I. (1987). O caráter dos novos moviemntos sociais. In: Scherer-Warren e P.J. Krischke (Orgs.). Uma revolução no cotidiano? Os novos movimentos na América do Sul, pp. 35-53. São Paulo: Brasiliense.

SILVA, R.N.; DAVIS, C.; ESPOSITO, Y.L. e MELLO, G.N. (1993). O descompromisso das políticas públicas com a qualidade de ensino. Cadernos de Pesquisa, 84, 5-16.

SILVA, T. T. da. (1995). A "nova" direita e as transformações na pedagogia da política e na política da pedagogia. In: P. A.A. Gentili e T. T. da Silva (Orgs.). Neoliberalismo, qualidade total e educação: visões críticas, pp. 1 1-29. Petrópolis: Vozes.

SINGER, P. (1983). Movimentos sociais em São Paulo: traços comuns e perspectivas. In: P. Singer e V. C. Brant (Orgs.). São Paulo: o povo em movimento, pp. 207-230. Petrópolis: Vozes- CEBRAP.

SNYDERS, G. (1974). Pedagogia progressista. Coimbra: Livraria Almedina.

SPOSITO, M.P. (1984). Escola pública e movimentos sociais. Revista da Associação Nacional de Educação (ANDE), 4(7), 15-20.

TAJFEL, H. (1978). Differentiation between social groups. New York: Academic Press.

TAJFEL, H. (1981). Human groups and social categories: studies in social psychology. Cambridge: Cambridge University Press.

TELLES, V.S. (1987). Movimentos sociais: reflexões sobre a experiência dos anos 70. In: l. Scherer-Warren e P.J. Krischke (Orgs.). Uma revolução no cotidiano? Os novos movimentos na América do Sul, pp. 54-85. São Paulo: Brasiliense.

TURNER, J.C. e GILLES, H. (1981). Introduction: The Social Psychology of intergroup behaviour. In: J.C. Turner e H. Gilles (Eds.). Intergroup behaviour, pp. 1-31. Chicago: University of Chicago Press.

TURNER, J.C. e OAKES, J.P. (1986). The significance of the social identiy concept for Psychology with reference to individualism and .interaionism and social influence. British Journal of Social Psychology, 25, 237252. https://doi.org/10.1111/j.2044-8309.1986.tb00732.x

VIOLA, E. e MAINWARING, S. (1987). Novos movimentos sociais: cultura política e democracia no Brasil. In: l. Scherer-Warren e P.J. Krischke (Orgs.). Uma revolução no cotidiano? Os novos movimentos na América do Sul, pp. 102-188. São Paulo: Brasiliense.

Downloads

Publicado

2008-10-15

Como Citar

PRETTE, A. D.; DEL PRETTE, Z. A. P. Psicologia, identidade social e cidadania: o espaço da educação e dos movimentos sociais. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 10, n. 20, p. 203–223, 2008. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v10n20a1996-933. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/933. Acesso em: 24 maio. 2024.