As críticas de Vico e Horkheimer ao racionalismo cartesiano

a negação da razão naturalista em nome da filosofia humanista

Autores

  • Sertório de Amorim e Silva Neto Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v15n29a2001-721

Palavras-chave:

Vico, Horkheimer, Razão e Humanismo

Resumo

Résumé: Le article présent, en cherchant reflechir la proximité conceptuel parmi Vico et Horkheimer en ce qui concerne à ses critiques a la Modernité, presentera la dimension humaniste immanent à ses respectifes critiques au rationalisme cartésienne et, ainsi, esquisser les limites en qui, nos croyons, se convergent leurs philosophies. Loin de donner une reponse conclusive a la relation entre Vico et Horkheimer, cette article ambitionne accentuer quelques evidences que lient les deux philosophies sociales et, de cette façon, contribuer pour afirmer la pertinence et l'importance de ces deux Philosophes pour la réflexion sur le monde humain.

Mots-clé: Vico; Horkheimer; Raison et Humanisme.         

Resumo: O presente artigo, buscando refletir a proximidade conceitual entre Vico e Horkheimer no que concerne a suas críticas à Modernidade, apresentará a dimensão humanista inerente às respectivas críticas ao racionalismo cartesiano e, assim, delinear os limites em que, acreditamos, se convergem as suas filosofias. Longe de querer dar uma resposta conclusiva à relação entre Vico e Horkheimer, este artigo pretende ressaltar algumas evidências que unem as duas filosofias sociais e, dessa forma, contribuir para afirmar a pertinência e a importância desses dois filósofos para a reflexão do mundo humano.

Palavras-chave: Vico; Horkheimer; Razão e Humanismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sertório de Amorim e Silva Neto, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Mestrando em filosofia na FAFICH/UFMG; o presente artigo foi escrito sob orientação do Prof. Dr. Humberto Aparecido de Oliveira Guido.

Referências

ADORNO e HORKHEIMER. Sociológica [1962]. Tradução espanhola de Víctor Sanches de Zavala. Madrid: Taurus, 1986.

BERLIN, Isaiah. Vico e Herder [1976]. Tradução portuguesa de Juan Antônio Gili Sobrinho. Brasília: UNB, 1982.

GRASSI, Ernesto. Humanismo y Marxismo. Tradução espanhola de Manuel Albella Marffn. Madrid: Gredos, 1977.

HORKHEIMER, Max. Eclipse da Razão [1947]. Tradução brasileira de Sebastião Uchoa Leite. Rio de Janeiro: Editorial Labor do Brasil, 1976.

_______. Origens da Filosofia Burguesa da História [1930]. Lisboa: Edição Presença, 1984.

______. Teoria Crítica I [1968]. Tradução brasileira de Hilde Cohn. São Paulo: Perspectiva/ Edusp, 1990.

JAY, Martin. La imaginaciàn dialetica. História de Ia escuela de Frankfurt el Instituto de Investigacion Social (1923-1950). Madrid: Taurus,1974.

VICO, GiambatHsta. Principí di Scienza Nuova [1744]. Milão: Riccardo Ricciardi, 1992.

______. Dell" antiquíssima sapienza italica [1710]. Tradução do latim para o italiano de Fausto Nicolini. Milão/ Nápoles: Riccardo Ricciardi, 1953.

Downloads

Publicado

2008-08-21

Como Citar

E SILVA NETO, S. de A. As críticas de Vico e Horkheimer ao racionalismo cartesiano: a negação da razão naturalista em nome da filosofia humanista. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 15, n. 29, p. 175–198, 2008. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v15n29a2001-721. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/721. Acesso em: 2 mar. 2024.