Anísio Teixeira e Richard Morse: Triangulações inversas entre Iberismo, Brasil e Anglo-Americanismo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v36n76a2022-63687

Palavras-chave:

Anísio Teixeira, Richard Morse, Iberismo, Anglo-americanismo, Intelectuais

Resumo

Resumo: O tema do artigo é referente à presença de iberismo e anglo-americanismo no Brasil e às expressões dessas heteronomias como obstáculos a uma identidade brasileira. A abordagem se alimenta das polêmicas desencadeadas por Richard Morse e sua tese sobre a Ibéria perdida, o Brasil à deriva e sua universidade descompromissada. A tese de Morse afirma a vitalidade da tradição ibérica original e sua capacidade de inspirar futuros para o Brasil, em inversão à referência anglo-americana, inconsistente e sem futuro. O artigo situa as triangulações entre Brasil, Ibéria e EUA e busca em Teixeira um contraponto à tese de Morse sobre a colonialidade e o descompromisso acadêmico brasileiro. O argumento tem ancoragem em pesquisa envolvendo textos de autoria dos dois intelectuais, biografias e estudos de trajetória. O primeiro movimento apresenta Morse, sua tese sobre a Ibéria e sobre a América Ibérica e sua crítica aos acadêmicos. O segundo movimento situa a trajetória e escrita de Teixeira e destaca sua posição sobre a “civilização americana” com a finalidade de evidenciar um intelectual inverso ao homo academic descompromissado de Morse. As considerações finais retomam pontos de “descomparação” para evidenciar a inspiração anglo-americana e o compromisso de Teixeira com o Brasil.

Palavras-chave: Anísio Teixeira; Richard Morse; Iberismo; Anglo-americanismo; Intelectuais

Anísio Teixeira and Richard Morse: inverse triangulations between iberism, brazil and anglo-americanism

Abstract: The theme of the article refers to the presence of Iberianism and Anglo-Americanism in Brazil and the expressions of these heteronomies as obstacles to a Brazilian identity. The approach is based on the controversies raised by Richard Morse and his thesis on lost Iberia, Brazil adrift and its uncommitted university. Morse's thesis affirms the vitality of the original Iberian tradition and its capacity to inspire futures for Brazil, the opposite of the Anglo-American reference, according to him, inconsistent and without a future. The article locates the triangulations between Brazil, Iberia and the USA and seeks in Teixeira a counterpoint to Morse's thesis on coloniality and Brazilian academic lack of commitment. The argument is anchored in research involving texts written by the two intellectuals, biographies and trajectory studies. The first movement presents Morse, his thesis on Iberia and Iberian America and his critique of academics. The second movement locates Teixeira's trajectory and writing and highlights his position on “American civilization” with the purpose of showing an intellectual different from Morse's uncommitted homo academic. The final considerations take up points of “discomparison” to highlight the Anglo-American inspiration and Teixeira's commitment to Brazil.

Key-words: Anísio Teixeira; Richard Morse; Iberism; Anglo-Americanism; Intelectuals

Anísio Teixeira y Richard Morse: triangulaciones inversas entre iberismo, brasil y angloamericanismo

Resumen: El tema del artículo se refiere a la presencia del ibero y del angloamericanismo en Brasil y las expresiones de estas heteronomías como obstáculos a la identidad brasileña. El planteamiento se alimenta de las polémicas desatadas por Richard Morse y su tesis sobre Iberia perdida, Brasil a la deriva y su universidad no comprometida. La tesis de Morse afirma la vitalidad de la tradición ibérica originaria y su capacidad de inspirar futuros para Brasil, en inversión del referente angloamericano, inconsistente y sin futuro. El artículo ubica las triangulaciones entre Brasil, Iberia y Estados Unidos y busca en Teixeira un contrapunto a la tesis de Morse sobre la colonialidad y la falta de compromiso académico brasileño. El argumento está anclado en investigaciones que involucran textos escritos por los dos intelectuales, biografías y estudios de trayectoria. El primer movimiento presenta a Morse, su tesis sobre Iberia e Iberoamérica y su crítica a los académicos. El segundo movimiento ubica la trayectoria y la escritura de Teixeira y resalta su posición sobre la “civilización estadounidense” con el propósito de mostrar un inverso intelectual al homo académico no comprometido de Morse. Las consideraciones finales retoman puntos de “descompensación” para resaltar la inspiración angloamericana y el compromiso de Teixeira con Brasil.

Palabras-llaves: Anísio Teixeira; Richard Morse; Iberismo; Angloamericanismo; Intelectuales

Data de registro: 21/10/2021

Data de aceite: 19/01/2022

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Geraldo Pedrosa, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG)

Doutorando em Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professor do Ensino Superior do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG). E-mail: jgpedrosa@uol.com.br. Lattes: http://lattes.cnpq.br/7103107947957772. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-8295-8313.

Maria Isabel Rios de Carvalho Viana, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG)

Doutora em Estudos de Linguagens pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG). E-mail: mariaisabel@cefetmg.br. Lattes: http://lattes.cnpq.br/4276256422569031. Orcid: https://orcid.org/0000-0002-7871-9766.

Referências

ADORNO, S. Os aprendizes do poder: o bacharelismo liberal na política brasileira. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1988.

ADORNO, T.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento: fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1985.

AZEVEDO, F. et al. Anísio Teixeira, pensamento e ação. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1960.

BUYSE, O. Methodos americanos de educação geral e technica. Salvador, Imprensa Oficial, 1927.

BENJAMIN, W. Sobre o conceito da história. In: Magia e técnica, arte e política: Ensaios sobre literatura e história da cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 8 ed. São Paulo, Brasiliense, 2012.

CHARTIER, R. O mundo como representação. Estudos Avançados, São Paulo, v. 5, n. 11, p. 173-191, Jan./Apr. 1991. https://doi.org/10.1590/S0103-40141991000100010

DIDI-HUBERMAN, G. Sobrevivência dos vaga-lumes.Trad. Vera Casanova e Márcia Arbex. Belo Horizonte, UFMG, 2011.

GERIBELO, W. P. Anísio Teixeira: análise e sistematização de sua obra. São Paulo, Atlas, 1977.

GOUVEIA NETO, H. Anísio Teixeira – educador singular. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1973.

HOLANDA, S. B. de. Raízes do Brasil. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

KANT, I. Resposta à pergunta: que é o iluminismo? In: KANT, I. A paz perpétua e outros opúsculos. Lisboa, Edições 70, 1989.

LEAL, V. N. Coronelismo, enxada e voto. São Paulo, Alfa-Omega, 1975.

LEFEBVRE, H. A revolução urbana. Belo Horizonte, UFMG, 2002.

LIMA, H. Anísio Teixeira: estadista da educação. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1978.

LOBATO, M. América. São Paulo, Globo, 2009.

MAGALDI, A. M. B. de M.; GONDRA, J. G. A paixão pela América. In: TEIXEIRA, A. Em marcha para a democracia: à margem dos Estados Unidos. Rio de Janeiro, UFRJ, 2007.

MATTA, R. da M. Carnavais, malandros e heróis: para uma sociologia do dilema brasileiro. Rio de Janeiro, Zahar, 1983.

MONTOJOS, F. Ensino Industrial. Rio de Janeiro, MES / CBAI, v. 5, 1949.

MOOG, V. Bandeirantes e Pioneiros: paralelo entre duas culturas. Rio de Janeiro, Graphia, 2000.

MORSE, R. Brazilian Modernism. The Hudson Review, v. 3, n. 3, Autumn, p. 447-452, 1950. https://doi.org/10.2307/3847468

MORSE, R. Formação histórica de São Paulo, de comunidade a metrópole. São Paulo, Difel, 1970.

MORSE, R. O espelho de próspero: cultura e ideias nas américas. São Paulo, Companhia das Letras, 1988.

MORSE, R. McLuhanaíma: The solid Gold hero ou O herói com bastante caráter (uma fuga). In: A volta de McLuhanaíma: cinco estudos solenes e uma brincadeira séria. Trad. Paulo Henriques Britto. São Paulo, Companhia das Letras, 1990.

NUNES, C. Anísio Teixeira: a poesia da ação. Bragança Paulista, Edusf, 2000. https://doi.org/10.1590/S1413-24782001000100002

NUNES, C. Anísio Teixeira. Recife, Fundação Joaquim Nabuco / Ed. Massangana, 2010.

OLIVEIRA, L. L. Americanos: representações da identidade nacional no Brasil e nos EUA. Belo Horizonte, UFMG, 2000.

SCHAEFFER, Maria Lúcia Garcia Pallares. Anísio Teixeira: formação e primeiras realizações. São Paulo, USP/Faculdade de Educação, 1988.

SIRINELLI, J. F. Os intelectuais, In RÉMOND, René (Org.), Por uma história política, Rio de Janeiro, UFRJ, 1996.

TEIXEIRA, A. Aspectos americanos de educação: anotações de viagem aos Estados Unidos em 1927. Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 2006.

TEIXEIRA, A. Anotações de viagem à Europa. Lisboa, 1925. 54 p. Atpi: 25.07.17 (Filme 03). FGV/CPDOC.

TEIXEIRA, A. Anotações relativas às escolas europeias quando de sua viagem de estudos. Europa, 1924/1927. 6 p. Atpi: 1924/1927 (Filme 03). FGV/CPDOC.

TEIXEIRA, A. Em marcha para a democracia: à margem dos Estados Unidos. Rio de Janeiro, UFRJ, 2007.

TEIXEIRA, A. Valores proclamados e valores reais nas instituições escolares brasileiras. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos. Rio de Janeiro, v.37, n.86, abr./jun. 1962. p. 59-79

VIANA FILHO, L. Anísio Teixeira: a polêmica da educação. 3. ed. São Paulo, Unesp / Salvador, Edufba, 2008.

WARDE, M. J. O itinerário de formação de Lourenço Filho por descomparação. Revista Brasileira de História da Educação, n. 5, jan – jun, 2003, p. 125-167.

WEBER, M. A ética protestante e o espirito do capitalismo. São Paulo, Livraria Pioneira, 1992.

WEBER, M. Ciência e Política: duas vocações. São Paulo, Cultrix, 1993.

Downloads

Publicado

2022-06-21

Como Citar

PEDROSA, J. G.; VIANA, M. I. R. de C. Anísio Teixeira e Richard Morse: Triangulações inversas entre Iberismo, Brasil e Anglo-Americanismo. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 36, n. 76, p. 405–444, 2022. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v36n76a2022-63687. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/63687. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos