Currículo e produção de identidades

ética como saber escolar

Autores

  • Selva Guimarães Fonseca Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
  • Wilson Francisco Correia Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v17n34a2003-614

Palavras-chave:

Educação, Ética, Paidéia, Modelos curriculares de educação ética

Resumo

Esse trabalho objetiva apresentar e discutir reflexões resultantes de uma pesquisa realizada no Programa de pós-graduação em Educação da Universidade Federal de Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. Trata-se de uma investigação bibliográfica e documental que aborda os significados e dimensões da educação ética no Ensino Fundamental brasileiro a partir da implantação dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) elaborados pelo Ministério da Educação do Brasil, no ano de 1997. Nesses documentos, a educação ética é apresentada como eixo vertebral da formação para a cidadania.

Para realizar a pesquisa, partimos do estudo de alguns aspectos das ontologias paradigmáticas ocidentais, particularmente a Paidéia grega (Jaeger, 1996), o teocentrismo medieval e o ideal pedagógico iluminista. Em seguida, analisamos os paradigmas de construção do currículo e os modelos curriculares de educação ética, em face do que investigamos o significado de ética dos PCN no contexto do sistema educacional brasileiro. [...]

Palavras-chave: Educação; Ética; Paidéia; Modelos curriculares de educação ética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Selva Guimarães Fonseca, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Professora Titular da FACED/UFU.

Wilson Francisco Correia, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)

Doutorando em Educação pela UNICAMP.

Referências

AGOSTINHO (Santo). Sobre a potencialidade da alma. Trad. A . J. de Faria. Petrópolis: Vozes, 1997.

APPLE, M. Ideologia e currículo. São Paulo: Brasiliense, 1982.

APPLE, M. Repensando ideologia e currículo. A política do conhecimento oficial: faz sentido a idéia de um currículo nacional? In: MOREIRA, A . F. & SILVA, T. T. da. (Org.). Currículo, cultura e Sociedade. Petrópolis: Vozes, 1994b.

APPLE, M. A política do conhecimento official. In: MOREIRA, A . F. & SILVA, T. T. da. Curículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1994b.

APPLE, M. Educação e poder Porto Alegre: Artmed, 1989.

APPLE, M.. Repensando ideologia e currículo. In: MOREIRA, A . F. & SILVA, T. T. da. Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez,

a .

AQUINO (Santo). Suma contra os gentios. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Col. Os Pensadores).

ARISTÓTELES, Ética e Nicômaco. Trad. L. Vallandro e G. Bornheim. São Paulo: Abril Cultural, 1973. (Col. Os Pensadores).

BRASIL. MEC. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. 8 v. Brasília: MEC/ SEF, 1997.

CHAUÍ, M. O que é ideologia. São Paulo: Brasiliense, 1980.

COSTA, M C. V. O ensino de filosofia: revisitando a história e as práticas curriculares. Educação e Realidade, Porto Alegre, 17 (1): 4858, jan./jun. 1992.

CUNHA, J. A. Ética no programa de filosofia para crianças: conceitos básicos e princípios pressupostos. III Encontro Nacional de Educação para o Pensar: ética e educação. Anais. São Paulo: CBFC, 2() a 23 de jan. 1999, p. 219-38.

Currículo e os novos mapas políticos e culturais. Petrópolis: Vozes, 1995c, p. 184-202.

FIORI, J. L. 60 lições dos 90: uma década de neoliberalismo. Rio de Janeiro: Record, 2001.

FREITAG, B. Itinerários de Antígona. 2. ed. Campinas: Papirus, 1992. FREITAG, B. O indivíduo em formação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 1994. GENTILI, P. Como reconhecer um governo neoliberal?: um breve guia para educadores. In: SILVA, L. H. da & AZEVEDO, J. C. (Org.). Reestruturação curricular. Petrópolis: Vozes, 1995.

GENTILI, P. A falsificação do consenso: simulacro e imposição na reforma educacional do neoliberalismo. Petrópolis: Vozes, 1998.

GENTILI, P. Neoliberalismo e educação: manual do usuário. Disp. em: www.geocities.com Acesso em: 05-06-20()0. GERALDI, C. Parâmetros curriculares nacionais. Disp. em: Acesso em: 05-06-2000.

GOODSON, 1. F. Trad. A . Brunneta. Currículo: teoria e história. Petrópolis: Vozes, 95.

HOBSBAWM, H. J. A revolução francesa. Trad. M. T. L. Teixeira e M. Ponchel. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

JAEGER, W. Paidéia: 10s ideales de Ia cultura griega. Trad. J. Xirau e Wenceslao Roces. México: Fondo de Cultura Económica, 1996. KANT, I. Fundamentação da metafísica dos costumes. Trad. P. Quintela. Lisboa: Edições 70, 1986.

KANT, I. Sobre a pedagogia. Trad. F. C. Fontanella. Piracicaba: Unimep, 1996.

LIBÂNEO, J. C. Dicionário crítico da educação: educação. Presença Pedagógica, jan.-fev. 1995, p. 76-77.

LIMA VAZ, H. C. Escritos de filosofia II: ética e cultura. 2. ed. São Paulo: Loyola, 1993.

LIPMAN, M. Como nasceu filosofia para crianças. Trad. J. A . Clasen. In: KOHAN, W. O . & WUENNSCH, A . M. (Org.). Filosofia para crianças: a tentativa pioneira de Matthew Lipman. Petrópolis: Vozes, 1998, p. 21-27.

LIPMAN, M. Manual do professor: investigação ética. São Paulo: CBFC, 1995a.

LIPMAN, M. O pensar na educação. Petrópolis: Vozes, 1995b.

LORIERI, M. A . A proposta de educação moral no programa filosofia para crianças - educação para o pensar. III Encontro Nacional de Educação para o Pensar: ética e educação. Anais. São Paulo: CBFC, 20 a 23 de jan. 1999, p. 49-60.

MACPHERSON, C. B. A teoria política do individualismo possessivo: de Hobbes a Locke. Trad. N. Dantas. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979. (Col. Pens. Crítico, v. 22).

MANACORDA, M. A. História da educação: da Antiguidade aos nossos dias. Trad. G. Lo Monaco. 8. ed, São Paulo: Cortez, 2000.

MARQUES, R. Ensinar valores: teorias e modelos. Porto: Porto Editora, 1998.

MOREIRA, A . F. & SILVA, T. Te da. Sociologia e teoria crítica do currículo: uma introdução. In: MOREIRA, A . F. & SILVA, T. T. da. (Orgs.). Curriculo, cilltura e sociedade. São Paulo: Cortez, 1994.

MOREIRA, A . F. Neoliberalismo, currículo nacional e avaliação. In:

SILVA, L. H. da & AZEVEDO, J. C. (Org.). Reestruturação curricular. Petrópolis: Vozes, 1995.

MORENO, M. Temas transversais: um ensino voltado para o futuro. In: BUSQUETES, M. D. et ai. Temas transversais em educação: bases para uma formação integral. São Paulo: Ática, 1998.

MORIN. E. Os sete saberes necessários para ensinar. Trad. C. E. F. da Silva e J. Sawaja. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2000. PIAGET, J. O juízo moral na criança. 2. ed. Trad. E. Lenardon. São Paulo: Summus, 1994.

REBOUL, O. Filosofia da educação. Trad. L. D. Penna e J. B. D. Penna, 6. ed. São Paulo: Nacional, 1985.

SACRISTÁN, J. G. O currículo: uma reflexão sobre a prática. 3.ed. Trad. E. F. da F. Rosa. Porto Alegre: Artmed, 1998.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 5. ed. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SILVA, M. P. N. Precisamos de uma ética, mas qual?: a introdução da ética na escola. Disp. em www.hottopos.com.br Acesso em: 29-06-2001.

SILVA, T. T. da. Apresentação. In: GOODSON, 1. F. Currículo: teoria e história. Petrópolis: Vozes, 1995b, p. 7-13.

SILVA, T. T. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999a.

SOLOMON, R. C. & HIGGINS, K. M. Paixão pelo saber: uma breve história da filosofia. Trad. M. L. C. De A. Borges. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

Downloads

Publicado

2008-07-15

Como Citar

FONSECA, S. G.; CORREIA, W. F. Currículo e produção de identidades: ética como saber escolar. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 17, n. 34, p. 225–239, 2008. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v17n34a2003-614. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/614. Acesso em: 22 fev. 2024.

Edição

Seção

Comunicações