Nietzsche e a crítica ao estado

Autores

  • Jairo Dias Carvalho Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v19n37a2005-573

Palavras-chave:

Vontade de poder, Auto superação, Estado, Afirmação, Criação

Resumo

Pretendemos entender o que Nietzsche quer dizer quando chama o Estado de "o mais feio dos monstros feios". Para isso, vamos elucidar o conceito de Vontade de Poder que serve como instância crítica na filosofia nietzscheana; depois discutiremos a crítica ao Estado e no final veremos quais elementos desta crítica podem ser instrumentalizados hoje. Para Nietzsche, a reflexão política está subordinada ao problema da criação dos valores. Esta criação de novos valores visa à formação de homens nobres, ativos e afirmativos. O pensamento de Nietzsche concentra-se na necessidade de uma auto-superação do homem e é neste contexto que aparecerá a crítica ao Estado.

Palavras-chave: Vontade de poder; Auto superação; Estado; Afirmação; Criação.

Resumé: L' article prétend compreendre ce que Nietszche veut dire quand il apelle l'Etat "le plus laid des monstres laids". Pour celà, nous éluciderons le concept de volonté de pouvoir qui sert d'instance critique. Nous discuterons la critique à l' Etat et à Ia fin nous verrons quels sont les éléments de cette critique qui peuvent être instrumentalisés aujourd'hui. Pour Nietzsche la réflexion politique est subordineé au problém de la création des valeurs. Cette création de nouvelles valeurs envisage la formation d'hommes nobles, actifs et affirmatifs. La pensée de Nietzsche se concentre dans la nécessité d'une autosupération de l'homme et c'est dans ce contexte qu'il critique l' Etat.

Most-clées: Volonté de pouvoir; Auto-supération; Etat; Afirmation; Création.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jairo Dias Carvalho, Universidade Federal de Uberlândia (UFU)

Professor Adjunto do Departamento de Filosofia e Ciências Sociais da UFU. 

Referências

ANSELL-PEARSON, Keith. Nietzsche como pensador político - Uma introdução. Tradução de Mauro Gama & Claudia Matinelli Gama. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1997.

DELEUZE, G. Nietzsche et Ia philosoplzie. Paris: PUF, 1962.

NIETZSCHE, Friedrich. Além do bem e do mal - Prelúdio a uma filosofia do futuro. Tradução, notas e prefácio de Paulo César de Souza. São Paulo: Cia das Letras, 1992.

_________. Assim falou Zaratustra! (um livro para todos e para ninguém!). Tradução e notas de Mário Ferreira dos Santos. São Paulo: Civilização Brasileira, 2003.

_________. Crepúsculo dos ídolos ou a filosofia a golpes de martelo. Tradução de Edson Bini e Márcio Pugliesi. São Paulo: Hemus, 1984.

_________. Genealogia da moral - um escrito polêmico. Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Brasiliense, 1987.

_________. Humano Demasiado Humano: um livro para os espíritos livres. Tradução de Carlos Grifo Babo. Presença / Martins Fontes: 1973.

MARTON, Scarlett. Nietzsche: Das Forças Cósmicas aos Valores Humanos. São Paulo: Brasiliense, 1990.

Downloads

Publicado

2008-07-04

Como Citar

CARVALHO, J. D. Nietzsche e a crítica ao estado. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 19, n. 37, p. 165–178, 2008. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v19n37a2005-573. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/573. Acesso em: 3 mar. 2024.