Sobre José Gaos y el absurdo de enseñar Filosofia

Autores

  • Josep Martínez Bisbal Universitat de València - Espanya

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v19n38a2005-561

Palavras-chave:

Filosofia, Ensino de Filosofia, Filosofia da Filosofia.

Resumo

One of the conclusions that Jose Gaos draws from his philosophy and expresses radically in his De la filosofia (1960) is the absurdity of teaching philosophy. In the present paper, his analysis is studied comparing that work with his Confesiones Profesionales (1953), emphasising the different vital situation in which both works were written and the tension between Gaos the professor and Gaos the philosopher that runs through them.

Keyworks: Philosophy; Teaching of Phisosophy; Philosophy of Philosophy.

 

Resumo: Uma das conclusões a que Jose Gaos chegou em sua filosofia e que foi expressa radicalmente em sua obra De la filosofia (1960) é o absurdo de se ensinar filosofia. Este artigo oferece uma análise desta afirmação a partir do estudo comparativo da obra citada com as Confissões Profissionais (1953), enfatizando a diferença essencial de ambos os trabalhos e a tensão entre as orientações do Gaos professor e do Gaos filósofo.

Palavras-chave: Filosofia; Ensino de Filosofia; Filosofia da Filosofia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Josep Martínez Bisbal, Universitat de València - Espanya

Doutor em Filosofia e Professor na Universitat de València.

Downloads

Publicado

2008-07-01

Como Citar

BISBAL, J. M. Sobre José Gaos y el absurdo de enseñar Filosofia. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 19, n. 38, p. 159–181, 2008. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v19n38a2005-561. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/561. Acesso em: 22 fev. 2024.