Para uma leitura alternativa de Platão

Autores

  • Dennys Garcia Xavier Università degli Studi di Macerata - Itália

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v19n38a2005-560

Palavras-chave:

Hermenêutica, Platonismo, Esotérico, Tradição indireta

Resumo

Traçamos, resumidamente, as linhas gerais do novo critério hermenêutico — fundado pela escola de Tübingen e desenvolvido por Giovanni Reale — dos diálogos de Platão que tem por pressuposto as denominadas ágrapha dógmata (Doutrinas não-escritas) do filósofo. Este artigo visa a divulgação daquele critério, face às dificuldades enfrentadas pelo critério anterior — de F. Schleiermacher — no confronto direto com questões capitais do pensamento platônico e com os autotestemunhos do próprio Ateniense, observados no Fedro e na Carta VII.

Palavras-chave: Hermenêutica; Platonismo; Esotérico; Tradição indireta.

 

Abstract: We, hereby, present, in a nutshell, the overall guidelines of the new hermeneutical criterion — founded by Tübingen school and developed by Giovanni Reale — from Plato's Dialogues which have as prerogative the so called ágrapha dógmata (Unwritten doctrines) belonging to the philosopher. This article ai.ms to make this criterion public, considering the difficulties faced by the previous criterion — from F. Schleiermacher — in the straightforward discussion with the essencial points of the platonicum thought and with self-testimony of the Athenian, himself; found in Fedro and in VII Letter.

Keywords: Hermeneutics; Platonism; Esoteric; Indirect tradition.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dennys Garcia Xavier, Università degli Studi di Macerata - Itália

Doutorando-bolsista em Filosofia Antiga pela Università degli Studi di Macerata - Itália

Referências

ARISTÓTELES. Física 1-11. Tradução e notas de Lucas Angioni. Campinas: IFCH/UNICAMP, 2002.

_______. Metafísica. Edição bilíngüe estabelecida por Giovanni Reale .com fradução para o português de Marcelo Perine). São Paulo: Loyola, 2002.

PLATÃO. Platonis Opera, ed. J. Burnet. Oxford, 1892-1906 .com várias edições).

_______. A República. Tradução e notas de Maria Helena da Rocha Pereira, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1972.

_______. Fedro - Cartas - Primeiro Alcibíades. Belém: Ed. Universitária UFPA, 1975.

_______. The Dialogues of Platô. Tradução inglesa por Benjamin Jowett, ed. Encyclopaedia Britannica.

II. BIBLIOGRAFIA SECUNDÁRIA

BURNET, J. Greek Philosophy. London, 1914.

CAIZZI, Fernanda. Filologia, Filosofia e "nuovi paradigmi". In margine a un 'edizione del Fedro di Platone. Rivista di storia dellafilosofia, 53, 1998.

CHERNISS, Harold. The Riddle ofthe Early Academy. Berkeley-Los Angeles, 1945.

_______. Aristotle's Criticism ofPlato and the Academy. Baltimore, 1944

(Nova Iorque, 1974).

DERRIDA, Jacques. A Farmácia de Platão. Tradução de Rogério da Costa. São Paulo: Iluminuras, 1991.

FINDLAY, J. N. Plato: The Written and Unzoritten Doctrines. New York, 1974.

GADAMER, Hans-Georg. Dialogue and Dialetic: Eight hermeneutical studies on Plato. Translated and with infroduction by P. Christopher Smith. Yale University Press, 1980, p.p. 124-129.

GAISER, Konrad. La dottrina non scritta di Platone: Studi sulla fondazione sistematica e storica delle scienze nella scuola platonica. Milano: Vita e Pensiero, 1994.

________. Il mosaico dei filosofi di Napoli: una raffigurazione dell' Accademia di Platone. "Studi Filosofici", pp. 35-60. Florença, 1981.

________. Testimonia Platonica. Milano: Vita e Pensiero, 1963.

GUTHRIE, W. K. C. Historia de la filosofía griega. vol. IV. Madrid: Ed. Gredos, 1988.

HAVELOCK, Eric. A Revolução da Escrita na Grécia. São Paulo: Ed. Unesp, 1994.

________. Prefácio a Platão. São Paulo: Ed. Papirus, 1996.

KRÄMER, Hans. Platone e ifondamenti della metafisica. Introduzione e traduzione di Giovanni Reale. Milano: Vita e Pensiero, 2001.

________. Il paradigma romantico nell'interpretazione di Platone. Napoli: Istituto Suor Orsola Benincasa, 1991.

NIETZSCHE, F. Gesammelte Werke, Musarion Ausgabe, IV.

PARENTE, M.l. Testimonia Platonica 1. In: Memorie deli'Accademia Nazionale dei Lincei. Classe di scienze morali, storiche e filologiche, serie IX, vol. X, fasciculo 4, 1997.

PERINE, Marcelo. O significado de "Sungramma" na interpretação da escola platônica de Tübingen. Síntese Revista de Filosofia. NO 99, (2004), PP. 5-12.

REALE, Giovanni. Para uma nova interpretação de Platão. Tradução de Marcelo Perine. São Paulo: Ed. Loyola, 1997.

________. História da Filosofia Antiga. 9a ed. São Paulo: Ed. Loyola, 1992.

________. Metafísica de Aristóteles: Sumário e Comentários. Vol. 3. São Paulo: Ed. Loyola, 2002.

ROBIN, Léon. La theorie platonicienne des idées et des nombres d'après Aristote. Paris: Alcan, 1908.

SCHLEIERMACHER, F. D. E. Platons Werke, Berlim 1804-1828. Tradução da Introdução geral para o português de Georg Otte. Introducão aos diálogos de Platão. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2002.

SZLEZÁK, T. A. Platone e la scrittura dellafilosofia. Analisi di struttura dei dialoghi della giovinezza e della maturità alla luce di un nuovo paradigma ermeneutico. Introduzione e traduzione di G. Reale. Milano: Vita e Pensiero, 1992.

TRABATTONI, Franco. Oralidade e Escrita em Platão. Tradução de Fernando Rey Puente e Roberto Bolzani Filho. São Paulo: Discurso Editorial; Ilhéus: Editus, 2003.

Downloads

Publicado

2008-07-01

Como Citar

XAVIER, D. G. Para uma leitura alternativa de Platão. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 19, n. 38, p. 145–157, 2008. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v19n38a2005-560. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/560. Acesso em: 22 jul. 2024.