Pobreza e educação:

diálogos entre o passado e o presente, entre conformações e resistências docentes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v34n72a2020-54751

Palavras-chave:

Educação, experiência, Foucault

Resumo

Pobreza e educação: diálogos entre o passado e o presente, entre conformações e resistências docentes

Resumo: Desde o século XIX, a pobreza tem sido objeto de governo em todos os âmbitos do Estado Brasileiro. No entanto, desde lá, a seu modo, a área educacional tem assumido fortemente essa tarefa para si, quer seja na política educacional ou na experiência docente. De fato, essa é uma questão importante, mas paradoxal. Por um lado, governam-se os pobres visando a sua liberdade; por outro, para subjugá-los. A partir de aportes teórico-metodológicos de Michel Foucault, mas também de recortes analíticos de pesquisadores do campo da sociologia da educação e da história da educação brasileira, este artigo procura estabelecer diálogo com alguns aspectos atuais da experiência docente brasileira, tentando responder se, na prática, ela é capaz de analisar esse paradoxo e de agir frente a ele. Como conclusão, o artigo sugere que a analítica de tal questão depende, enormemente, da perspicácia da política educacional e dos professores para diagnosticarem o presente e o passado da educação, para, quem sabe, experimentar novas formas de educação com as populações pobres.  

Palavras-chave: Pobreza; Educação; Experiência docente. 

Poverty and education: dialogues between past and present, between conformations and resistance of teachers 

Abstract: Since the 19th century, poverty has been an object of government in all spheres of the Brazilian State. However, since then, the educational area has strongly assumed this task for itself in its own way, both in educational policy and in teaching experience. Indeed, this is an important but paradoxical issue. The poor are ruled with their freedom in mind on the one hand, and on the other, with their subjugation as an objective. Based on Michel Foucault's theoretical-methodological contributions, but also on analytical pieces by researchers in the field of sociology of education and the history of Brazilian education, this paper seeks to establish a dialogue with current aspects of the Brazilian teaching experience, trying to answer whether it is capable of analyzing this paradox and acting upon it in practice. In conclusion, the paper suggests that the analysis of such a matter greatly depends on the perspicacity of educational policy and teachers to diagnose the present and past of education in order to possibly experiment new forms of education with poor populations.

Keywords: Poverty; Education; Teaching experience. 

Pauvreté et éducation: dialogues entre le passé et le présent, entre conformations et résistances des enseignants 

Résumé: Depuis le 19ème siècle, la question de la pauvreté a été l’objet du gouvernement dans tous les domaines de l’État brésilien. Cependant, depuis lors, à sa manière, le domaine de l'éducation a fortement assumé cette tâche, que ce soit en matière de politique éducative ou d'expérience d’enseignement. En fait, c'est une question importante, mais paradoxale. D'une part, les pauvres sont gouvernés pour leur liberté; mais aussi d'autre part, pour les soumettre. À partir des contributions théoriques et méthodologiques de Michel Foucault, mais également d'extraits analytiques de chercheurs dans le domaine de la sociologie de l'éducation et de l'histoire de l'éducation brésilienne, cet article cherche à établir un dialogue avec certains aspects actuels de l'expérience d'enseignement au Brésil, en essayant de répondre si, dans la pratique, elle est capable d'analyser ce paradoxe et d'agir face à ce dernier. En conclusion, l'article suggère que l'analyse d'une telle question depend, énormément, de la perspicacité de la politique éducative et des professeurs à diagnostiquer le présent et le passé de l'éducation, pour, on ne sait jamais, essayer de nouvelles formes d'éducation avec les populations pauvres.

Mots-clés: Pauvreté; Éducation; Expérience d'enseignement.

Data de registro: 14/05/2020

Data de aceite: 02/10/2020

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andre Marcio Picanço Favacho, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

* Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Professor na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). E-mail: amfavacho@hotmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8481-7370.

Geovana Mendonça Lunardi Mendes, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

** Doutora em Educação: História, Política, Sociedade pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, (PUC/SP). Professora na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). E-mail: geolunardi@gmail.com. ORCID: https://orcid.org/0000-0002-8848-7436

Referências

ARROYO, M. Algumas questões sobre educação e enfrentamento da pobreza no Brasil. [Entrevista concedida a] Ana Maria Alves Saraiva. Em Aberto, Brasília, v. 30, n. 99, p. 147-158, mai./ago. 2017.

https://doi.org/10.24109/2176-6673.emaberto.30i99.3253

AZEVEDO. C. M. M. de. Cota racial e Estado: abolição do racismo ou direitos de raça? Cadernos de Pesquisa, v. 34, n. 121, jan./abr., 2004.

https://doi.org/10.1590/S0100-15742004000100010

AZEVEDO, Cecília. Guerra à pobreza: EUA, 1964. Revista de História, 153 (2º - 2005), 305-323.

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.v0i153p305-323

BIESTA, G. Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Tradução Rosaura Eichenberg. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

BUFFA, E.; NOSELLA, P. (1997). A educação negada: introdução ao estudo da educação brasileira contemporânea. São Paulo: Cortez, 1997.

BRAGA, A. C.; MAZZEU, F. J. C. O analfabetismo no Brasil: lições da história. RPGE- Revista on line de Política e Gestão Educacional, v. 21, n. 1, p. 24-46, 2017.

https://doi.org/10.22633/rpge.v21.n1.2017.9986

BRITO, M. M. L. de. Juventude, pobreza e trabalho: desafios para o mundo contemporâneo. Dissertação de Mestrado. Universidade Estadual do Ceará - UECE - Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação/Mestrado acadêmico em Políticas Públicas e Sociedade. Fortaleza/Ce, 2006.

CARVALHO, A. F. de. Foucault e a crítica à institucionalização da Educação: implicações para as artes de governo. Pro-Posições. Campinas, v. 25, n. 2 (74), p. 103-120, mai./ago. 2014.

https://doi.org/10.1590/S0103-73072014000200006

CUNHA, I. da S. A evolução das políticas de atendimento à infância no Brasil: entre concessões e o reconhecimento de direitos. REAe - Revista de Estudos Aplicados em Educação, v. 1, n. 2, ago./dez. 2016.

https://doi.org/10.13037/rea-e.vol1n2.4323

CURY, C. R. J. A educação como desafio na ordem jurídica. In: LOPES, E. M.; FARIA FILHO, L. e VEIGA, C. (Orgs). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

CURY, Carlos Roberto Jamil. A educação básica como direito. Cad. Pesq, v. 38, n. 134, p. 293-303, ago. 2008. https://doi.org/10.1590/S0100-15742008000200002

DÁVILA, J. Diploma de brancura: política social e racial no Brasil - 1917-1945. Tradução Claudia Sant'Ana Martins. São Paulo: Unesp, 2006.

DARDOT, P. e LAVAL, C. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. Tradução Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2016.

DUARTE, A. Foucault e os coletivos políticos: novas formas de vida para além do sujeito identitário de direitos. In: RESENDE, H. (Org.). Michel Foucault: política - pensamento e ação. Belo Horizonte: Autêntica, 2016.

FERNANDES, F. A integração do negro na sociedade de classe. Volume 1. São Paulo: Globo, 2008.

FRIGOTTO. F (org.). Educação e crise do trabalho: perspectivas de final de século. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998.

FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Tradução Roberto Machado. Rio de Janeiro: Graal, 2000.

FOUCAULT, M. Sobre as maneiras de escrever a história. In: Ditos e Escritos II. Foucault: Arqueologia das Ciências e História dos sistemas de pensamento. Organizado por Manuel Barros da Motta. Tradução Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

FOUCAULT, M. Retornar à História. In: Ditos e Escritos II. Foucault: Arqueologia das Ciências e História dos sistemas de pensamento. Organizado por Manuel Barros da Motta. Tradução Elisa Monteiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2000.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. Tradução Laura Fraga de Almeida Sampaio. São Paulo: Loyola, 2001.

FOUCAULT, M. A "Governamentalidade". I: Ditos e Escritos IV - Foucault: estratégia, poder-saber. Organizado por Manuel Barros da Motta. Tradução Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003a.

FOUCAULT, M. Omnes et singulatim: uma crítica da razão política. In: Ditos e Escritos IV - Foucault: estratégia, poder-saber. Organizado por Manuel Barros da Motta. Tradução Vera Lucia Avellar Ribeiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003b.

FOUCAULT, M. A tecnologia política dos indivíduos. In: Ditos e Escritos V - Foucault: ética, sexualidade, política. Organizado por Manuel Barros da Motta. Tradução Elisa Monteira, Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004a.

FOUCAULT, Michel. A hermenêutica do sujeito. Tradução Márcio Alves da Fonseca e Salma Tannus Muchail. São Paulo: Martins Fontes, 2004b.

FOUCAULT, M. A filosofia analítica da política. In: Ditos e Escritos V - Foucault: ética, sexualidade, política. Organizado por Manuel Barros da Motta. Tradução Elisa Monteira, Inês Autran Dourado Barbosa. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2004c.

GADELHA, S. Desempenho, gestão, visibilidade e tecnologias como vetores estratégicos de regulação e controle de condutas na contemporaneidade. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 66, p. 113-139, out./dez. 2017. https://doi.org/10.1590/0104-4060.54712

GENTILI, P. O direito à educação e as dinâmicas de exclusão na América Latina. Educ. Soc., Campinas, v. 30, n. 109, p. 1059-1079, set./dez. 2009.

https://doi.org/10.1590/S0101-73302009000400007

HORTA, J. S. B. Direito à educação e obrigatoriedade escolar. Cad. Pesq., n.104, 1998.

KOMATSU, Bruno e outros. Novas medidas de educação e de desigualdade educacional para a primeira metade do Século XX no Brasil. Estud. Econ., São Paulo, v. 49, n. 4, p. 687-722, out./dez. 2019.

https://doi.org/10.1590/0101-41614943bnpl

LUZ, k. Z. W. Do direito à educação ao direito à aprendizagem no pacto nacional pela alfabetização na idade certa. Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Ponta Grossa - Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes - Programa de Pós-Graduação em Educação, Ponta Grossa, 2017.

MÜLLER, M.T. O Senai e a educação profissionalizante no brasil. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n. 40, p. 189-211, dez. 2010.

https://doi.org/10.20396/rho.v10i40.8639814

MELLO E SOUZA, L. de. Desclassificados do ouro: a pobreza mineira no século XVIII. 2ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

NUNES, C. O "velho" e "bom" ensino secundário: momentos decisivos. Revista Brasileira de Educação, n. 14, mai./jun./jul./ago. 2000.

PEREIRA, J. M. M. O Banco Mundial e a construção político-intelectual do "combate à pobreza". Topoi, v. 11, n. 21, p. 260-282, jul./dez. 2010.

https://doi.org/10.1590/2237-101X011021014

RIZZINI, I. O século perdido: raízes históricas das políticas públicas para a infância no Brasil. São Paulo: Cortez, 2011.

RODRÍGUEZ-AMAYA, C. (2017). Premio a la investigación e innovación educativa y pedagógica 2007-2015. Temas, motivaciones, preocupaciones y prácticas de los docentes innovadores de Bogotá. En Compilado de experiencias e investigaciones. Congreso Internacional. Desafíos de la Innovación Educativa, 2017 (pp. 235-250). Bogotá: Dokuma.

RODRÍGUEZ-AMAYA, C. Docente emprendedor: urgencia, procedencia y emergencia de un nuevo ethos docente en Colombia (1960-2015). Doctorado Interinstitucional en Educación. Universidad Pedagógica Nacional. Bogotá, 2019. Tese

SPOSITO, M. P. O povo vai à escola - a luta popular pela expansão do ensino público em São Paulo. São Paulo: Loyola, 1984.

SCHUELER, A. F. M. de. Crianças e escolas na passagem do Império para a República. Rev. bras. Hist. [online], v. 19, n. 37, p. 59-84, sept. 1999. https://doi.org/10.1590/S0102-01881999000100004 PMid:22106507

VEIGA, C. A escolarização como projeto de civilização. Revista Brasileira de Educação, n. 21, set/out/nov/dez. 2002. https://doi.org/10.1590/S1413-24782002000300008

VEIGA, C. História da Educação. São Paulo: Ática, 2007.

VEIGA, C. Escola pública para os negros e os pobres no Brasil: uma invenção imperial. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 39, set./dez. 2008. https://doi.org/10.1590/S1413-24782008000300007

VEIGA-NETO, Alfredo. Algumas raízes da Pedagogia moderna. In: ZORZO, Cacilda; SILVA, Lauraci D.; POLENZ, Tamara (Org.). Pedagogia em conexão. Canoas: Editora da ULBRA, 2004.

YANNOULAS, S. C.; ASSIS S. G.; FERREIRA K. M. Educação e pobreza: limiares de um campo em (re)definição. Revista Brasileira de Educação, Brasília, v. 17, n. 50, maio-ago. 2012.

https://doi.org/10.1590/S1413-24782012000200005

YANNOULAS, S. C. Literatura recente sobre uma antiga problemática. In: YANNOULAS, S. C. (Coord.). Política educacional e pobreza: múltiplas abordagens para uma relação multideterminada. Brasília: Liber Livro, 2013a.

YANNOULAS, Silvia Cristina (coord.) Política educacional e pobreza: múltiplas abordagens para uma relação multideterminada. Brasília: Liber Livro, 2013b.

Downloads

Publicado

2021-03-24

Como Citar

Favacho, A. M. P., & Mendes, G. M. L. (2021). Pobreza e educação:: diálogos entre o passado e o presente, entre conformações e resistências docentes. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 34(72), 1409–1444. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v34n72a2020-54751