Para uma crítica da objetividade no monitoramento da qualidade da educação básica no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v35n74a2021-52169

Palavras-chave:

Monitoramento, Qualidade da educação, Ciência, Ideologia

Resumo

Para uma crítica da objetividade no monitoramento da qualidade da educação básica no Brasil 

Resumo: O objetivo deste texto analisar criticamente os aspectos da política de monitoramento da qualidade da educação básica no Brasil que se orientam por uma suposta possibilidade de controle científico/objetivo da qualidade do ensino. Trata-se de uma discussão de base bibliográfica. Por meio da abordagem de algumas concepções e consequências dessas políticas, discute-se a cientificidade alegada pela política de monitoramento da qualidade da educação como categoria ideológica. Por fim, evidencia-se a possibilidade de as medidas adotadas na política educacional desviarem o foco do enfrentamento real das desigualdades educacionais, convertendo-se em mera gestão de dados do fracasso escolar.

Palavras-chave: Monitoramento; Qualidade da educação; Ciência; Ideologia.

 

For a review of objectivity in quality monitoring of basic education in Brazil

Abstract: The purpose of this text is to analyze critically the aspects of the policy for quality monitoring of basic education in Brazil, which is guided by a supposed possibility of scientific control/objective of the quality of education. This is a bibliographical discussion. By approaching some conceptions and consequences of these policies, we discuss a scientificity alleged by the policy of monitoring the quality of education as an ideological category. Finally, the evidence can be adopted as measures adopted in deviated educational policy or in the real focus of facing educational inequalities, becoming the management of school education data.

Keywords: Monitoring; Quality of education; Science; Ideology.

 

Para una revisión de la objetividad en el monitoreo de la calidad de la educación básica en Brasil

Resumen: El objetivo de este texto es analizar críticamente los aspectos de la política de monitoreo de la calidad de la educación básica en Brasil, que se guía por una supuesta posibilidad de control científico / objetivo de la calidad de la educación. Esta es una discusión bibliográfica. Al abordar algunas concepciones y consecuencias de estas políticas, discutimos una cientificidad alegada por la política de monitoreo de la calidad de la educación como categoría ideológica. Finalmente, la evidencia se puede adoptar como medidas adoptadas en una política educativa desviada o en el enfoque real de enfrentar las desigualdades educativas, convirtiéndose en el manejo de los datos de educación escolar.

Palabras clave: Monitoreo; Calidad de la educación; Ciencia; Ideología.

 

Data de registro: 27/12/2019

Data de aceite: 22/09/2021

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Abelardo Bento Araújo, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG)

Doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP). Pedagogo do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG). E-mail: abelardo.bento@gmail.com  ORCID: https://orcid.org/0000-0002-2441-0384

Referências

ARAÚJO, Abelardo Bento. Avaliação e controle do trabalho educativo: contradições entre meios e fins no monitoramento da qualidade da educação. 2016. 284 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: <https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-15022017-150649/publico/ABELARDO_BENTO_ARAUJO_rev.pdf>. Acesso em: 22 nov. 2019.

ARAUJO, Abelardo Bento. O trabalho educativo entre metas e produtividade: o acordo de resultados em Minas Gerais. Ensaio: avaliação e políticas públicas em educação, Rio de Janeiro, v. 27, n. 105, p. 839-858, Out./Dez, 2019. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-40362019000400839&lng=en&nrm=iso>. Acesso em:10 nov. 2019. https://doi.org/10.1590/s0104-40362019002701372

BARRETO, Elba Siqueira Sá et al. Avaliação na educação básica nos anos 90 segundo os periódicos acadêmicos. Cadernos de Pesquisa, São Paulo – SP. n. 114, p. 49-88. Out./Nov. 2001. https://doi.org/10.1590/S0100-15742001000300003

BERTOLIN, Julio Cesar G. Os quase-mercados na educação superior: dos improváveis mercados perfeitamente competitivos à imprescindível regulação do Estado. Educação e pesquisa [online]. 2011, vol. 37, n.2, p. 237-248. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ep/v37n2/v37n2a02.pdf>. Acesso em: 24 dez. 2019. https://doi.org/10.1590/S1517-97022011000200002

BONAMINO, Alicia; FRANCO, Creso. Avaliação e política educacional: o processo de institucionalização do SAEB. Cadernos de Pesquisa. São Paulo: Fundação Carlos Chagas, n. 108. p. 101-132, nov./1999. https://doi.org/10.1590/S0100-15741999000300005

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista: a degradação do trabalho no século XX. 33. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1987.

BROOKE, Nigel. O futuro das políticas de responsabilização educacional no Brasil. Cadernos de Pesquisa [online]. 2006, vol. 36, n. 128, p. 377-401. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n128/v36n128a06.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2013. https://doi.org/10.1590/S0100-15742006000200006

CHAUÍ, Marilena. Cultura e democracia: o discurso competente e outras falas. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

COSTA, Marcio da; KOSLINSKI, Mariane Campelo. Quase-mercado oculto: disputa por escolas “comuns” no Rio de Janeiro. Cadernos de Pesquisa [online]. 2011, vol.41, n.142, p. 246-266. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cp/v41n142/v41n142a13.pdf>. Acesso em: 27 dez. 2019. https://doi.org/10.1590/S0100-15742011000100013

FERNANDES, Reynaldo. Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2007. 26 p. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/documents/186968/485287/%C3%8Dndice+de+Desenvolvimento+da+Educa%C3%A7%C3%A3o+B%C3%A1sica+%28Ideb%29/26bf6631-44bf-46b0-9518-4dc3c310888b?version=1.4> Acesso em: 27 dez. 2019.

FLETCHER, Philip. Propósitos da avaliação educacional: uma análise das alternativas. Estudos em avaliação educacional, São Paulo, n. 11, p. 93-112, jan./jun. 1995. https://doi.org/10.18222/eae01119952314

FREITAS, Dirce Nei Teixeira. Avaliação da educação básica no Brasil: dimensão normativa, pedagógica e educativa. Campinas, SP: Autores Associados, 2007. 244p.

FREITAS, Luiz Carlos de. A avaliação e as reformas dos anos de 1990: novas formas de exclusão, velhas formas de subordinação. Educação e Sociedade. [online]. 2004, vol.25, n.86, pp. 131-170. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v25n86/v25n86a08.pdf>. Acesso em: 27 dez. 2019. https://doi.org/10.1590/S0101-73302004000100008

FREITAS, Luiz Carlos de. Políticas de avaliação no estado de São Paulo: o controle do professor como ocultação do descaso. Retratos da Escola. Campinas-SP, v. 8, n. 1. p. 59-66. Jan./Jun. 2009.

HARVEY, David. Condição pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. 15. ed. Rio de Janeiro: Edições Loyola, 2006. 349 p.

HOBSBAWN, Eric. Sobre história: ensaios. 2. ed. 2ª reimpressão. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

HORKHEIMER, Max. Eclipse da razão. São Paulo: Centauro, 2002.

LISBOA, Marcos de Barros. Prefácio. In: VELOSO, Fernando et al. (Org.). Educação Básica no Brasil: construindo o país do futuro. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. p. xxi-xxvii.

MACHADO DE ASSIS. Obra completa. vol II. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1994.

MARTINS, José de Souza. Introdução. In: FORACCHI, Marialice M.; MARTINS, José de Souza (org.). Sociologia e sociedade: leituras de introdução à sociologia. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1977. p. 1-8.

MARX, Karl. O capital: crítica da economia política: livro I. 32. ed. São Paulo: Civilização Brasileira, 2014. 2 v.

OECD and Pisa tests are damaging education worldwide – academics. The Guardian, Londres, 6 maio de 2014. Disponível em: <http://www.theguardian.com/education/2014/may/06/oecd-pisa-tests-damaging-education-academics>. Acesso em: 27 dez. 2019.

PACHECO, José Augusto. Currículo: entre teorias e métodos. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.39, n.137, p. 383-400, maio/ago. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cp/v39n137/v39n137a04.pdf>. Acesso em: 27 dez. 2019. https://doi.org/10.1590/S0100-15742009000200004

PARO, Vitor Henrique. Diretor escolar: educador ou gerente? São Paulo: Cortez, 2015.

RAVITCH, Diane. Vida e morte do grande sistema educacional americano: com testes padronizados e modelo de mercado ameaçam a educação. Tradução: Marcelo Duarte. Porto Alegre: Sulina, 2011.

SOUZA, Sandra Zákia Lian; OLIVEIRA, Romualdo Portela de. Políticas de avaliação da educação e quase mercado no Brasil. Educação e Sociedade [online]. 2003, vol. 24, n.84, p. 873-895. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v24n84/a07v2484.pdf>. Acesso em: 24 dez. 2019. https://doi.org/10.1590/S0101-73302003000300007

VALORIZAÇÃO docente. Folha de S. Paulo, São Paulo, p. 1, sábado, 24 de outubro de 2009.

VELOSO, Fernando. Experiências de reforma educacional nas duas últimas décadas: o que podemos aprender? In: ______ et al. (org.). Educação Básica no Brasil: construindo o país do futuro. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009. p. 191-212.

Downloads

Publicado

2021-10-30

Como Citar

Araújo, A. B. (2021). Para uma crítica da objetividade no monitoramento da qualidade da educação básica no Brasil. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 35(74), 591–615. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v35n74a2021-52169

Edição

Seção

Artigos