Os Escolares e a instituição educativa:

cânone e cultura escolar

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.v33n67a2019-47899

Palavras-chave:

História da educação, Cânone, Intelectuais, Educabilidade, Escolares

Resumo

A representação da educação envolve uma noção sistémica e os intelectuais podem funcionar como sistema. Eles configuram e demarcam o campo educacional. O intelectual constitui um conceito que pode ser trabalhado enquanto categoria epistémica com educabilidade e historicidade. Os Intelectuais cedo percepcionam o que está ‘de novo’ em crise e o que deverá permanecer. Entre estes emergem os Escolares; combinando as dimensões de intelectualidade e educabilidade, são intelectuais envolvidos institucionalmente e que estabelecem o cruzamento entre educação e sociedade, são instituintes. Reconhecidos como mestres, são, em regra, autores de textos doutrinários e livros escolares; têm especial relevância na constituição do cânone escolar, literário, científico, artístico. Nada do que é humano lhes é indiferente; sabem fazer uso do poder simbólico e material que o institucional e o normativo lhes conferem.

Será sobre os Escolares que procurarei desenvolver o meu texto. Tomarei como referência fundamental os intelectuais portugueses e a história da educação em Portugal.

Palavras-chave: História da educação. Cânone. Intelectuais. Educabilidade. Escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Justino Pereira de Magalhães, Universidade de Lisboa - ULISBOA

Doutor em Educação pela Universidade do Minho (UM). Professor catedrático do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa.

Referências

BOURDIEU, Pierre. Langage et Pouvoir Symbolique. Paris: Éditions Fayard, 2001.

CHARLE, Christophe. Les Intellectuels en Europe au XIXe siècle. Essai d’histoire comparée [1ª ed. 1996]. Paris: Éditions du Seuil, 2001. DOI: https://doi.org/10.14375/NP.9782020239578

FAVERO, Maria de Lourdes de Albuquerque e Britto, Jader de Medeiros (Org.). Dicionário de Educadores no Brasil. Da Colônia aos dias atuais. Rio de Janeiro: Editora UFRJ/ Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 1999. DOI: http://dx.doi.org/10.21680/1981-1802.2016v54n41

MAGALHÃES, Justino Pereira de & Barreto, Raylane Andreza Dias Navarro (2016). Os intelectuais e a educação – abordagem histórica e biográfica. Revista Educação em Questão, Natal, v. 54, n. 41, p. 61-85. http://www.revistaeduquestao.educ.ufrn.br DOI: https://doi.org/10.21680/1981-1802.2016v54n41ID10158

NÓVOA, António (Dir.). Dicionário de Educadores Portugueses. Porto: Edições ASA, 2003.

VIEIRA, Letícia e CHIOZZINI, Daniel Ferraz. Luis Contier como Catalisador de Redes: Classes experimentais e Renovação do Ensino Secundário em São Paulo nas Décadas de 1950 e 1960. História da Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 55, maio/ago. 2018, p. 61-80. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/80603/pdf>. Acesso em: 5 jan. 2019. DOI: https://doi.org/10.1590/2236-3459/80603

Downloads

Publicado

2019-12-18

Como Citar

MAGALHÃES, J. P. de. Os Escolares e a instituição educativa: : cânone e cultura escolar. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 33, n. 67, p. 83–108, 2019. DOI: 10.14393/REVEDFIL.v33n67a2019-47899. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/47899. Acesso em: 17 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê Intelectuais entre a educação, a ciência e a política: abordagens