Possibilidades de (re)inventar a inclusão para os aprendizes do século XXI:

contribuições da Filosofia da diferença de Gilles Deleuze

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v31n62a2017-p1127a1158

Palavras-chave:

Inclusão, Diferença, Repetição, Educação, Singularidades

Resumo

Possibilidades de (re)inventar a inclusão para os aprendizes do século XXI: contribuições da Filosofia da diferença de Gilles Deleuze

Resumo: Apesar da legislação vigente pró-inclusão, os modos tradicionais enraizados no processo de ensino enredam e confundem o fluir para uma educação inclusiva, uma vez que o aluno não é compreendido como autor de seu processo de aprendizagem. O presente artigo discute a diferença na diferença como ponto de partida para a inclusão que se amplia para além do panorama escolar em razão das muitas fronteiras em que o excluído caminha. Aborda as possibilidades e a necessidade de (re)inventar a inclusão para os aprendizes do século XXI. Obras de Gille Deleuze, um importante pensador da Filosofia da Diferença compõe nosso repertório. Foram realizadas cinco entrevistas sobre inclusão e diferença junto a atores com distintos papéis sociais. As vozes enunciam a inclusão como necessidade imanente do ser humano e a diferença como sendo própria da espécie humana.

Palavras-chave: Inclusão; Diferença; Repetição; Educação; Singularidades.

Possibilities to(re)invent the inclusion for the apprentices from the 21st. century: contributions of Gilles Deleuze's philosophy of the difference

Abstract: Despite the current pro-inclusion legislation, the traditional methods rooted in the teaching process evolve and confuse the flow for inclusive education, as the student is not understood as the author of his learning process. This article discusses the difference in difference as a starting point for the inclusion that extends beyond the school panorama, since many borders in the excluded person trails. It discusses the possibilities and the need to (re)invent the inclusion for the apprentices of the 21st century. The works of Gille Deleuze's, an important thinker the Philosophy of Difference, makes up our repertoire. Five interviews were conducted on inclusion and difference with actors of different social roles. The voices enunciate the inclusion as an inherent human need and, the difference, as the human species itself.

Keywords: Inclusion; Difference; Repetition; Education; Singularities.

Posibilidades de (re)inventor la inclusion para los aprendices del siglo XXI: contribuciones de la diferencia de Gilles Deleuze

Resumen: A pesar de la legislación vigente a favor de la inclusión, los modos tradicionales enraizados en el proceso de enseñanza, enredan y confunden el flujo de una educación inclusiva, pues el alumno no es comprendido como autor de su proceso de aprendizaje. El artículo siguiente discute la diferencia que se encuentra en la diferencia como ponto de partida para una inclusión que vaya más allá del panorama escolar y considere las muchas fronteras que el excluido atraviesa en su jornada. Aborda las posibilidades y la necesidad de (re)inventar la inclusión para los aprendices del siglo XXI. Componen nuestro repertorio las obras de Gilles Deleuze, importante pensador y filósofo de la diferencia. Fueron realizadas cinco entrevistas sobre inclusión y diferencia con autores de diferentes papeles sociales. Las voces enuncian la inclusión como necesidad inmanente del ser humano y a la diferencia como característica propia de la especie humana.

Palabras claves: Inclusión; Diferencia; Repetición; Educación; Singularidades.

Data de registro: 05/02/2016

Data de aceite: 01/09/2016

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Silvia Ester Orrú, Programa de Pós-graduação da Universidade de Brasília.

Docente do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade de Brasília (UnB). Professora colaboradora na Universidade Federal de Alfenas. Doutora em educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 

 

Referências

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Portaria nº 2.678 de 24 de setembro de 2002. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, 2002. Disponível em: <http://peei.mec.gov.br/arquivos/politica_nacional_educacao_especial.pdf>. Acesso em: 20 maio 2014

BRASIL. Decreto nº 6.094 de 24 de abril de 2007. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União Federal, em regime de colaboração com Municípios, Dis¬trito Federal e Estados, e a participação das famílias e da comunidade, mediante programas e ações de assistência técnica e financeira, visando à mobilização social pela melhoria da qualidade da educação básica. Brasília, 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ ato2007-2010/2007/decreto/d6094.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Carta para o Terceiro Milênio. Londres, 1999. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/carta_milenio.pdf>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra as Pessoas Portadoras de Deficiência (Convenção da Guatemala). Brasília, 1999. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. Brasília, 2008. Disponível em: . Acesso em/; 20 maio 2014.

BRASIL. Decreto nº 6949 de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Brasília, 2009. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007- 2010/2009/decreto/d6949.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Decreto nº 7611 de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ Ato2011-2014/2011/Decreto/D7611.htm#art11>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Decreto nº 3.298 de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência. Brasília, 1999. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/ d3298.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Decreto nº 5.296 de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta as Leis nos 10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. Brasília, 2004. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/decreto/ d5296.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Brasília, 2005. Disponível em: <http://www.planalto.gov. br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5626.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Brasileira. Lei nº 9394 de 20 de Dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Ministério da Educação. Brasília, DF, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm>. Acesso em 20 maio 2014.

BRASIL. Lei nº 10.172 de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação e dá outras providências. Brasília, 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/leis_2001/l10172. htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Lei nº 10.436 de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Brasília, 2002. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/ L10436.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Lei nº 12.764 de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3odo art. 98 da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Brasília, 2012. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12764.htm>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Lei nº 7.853 de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência - Corde, institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. Brasília, DF: 1989. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/leis/L7853.htm> Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Resolução CNE/CEB Nº 2. Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília, 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB0201.pdf>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº1/2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Brasília, 2002. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rcp01_02. pdf>. Acesso em: 20 maio 2014.

BRASIL. Resolução No. 4 CNE/CEB. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Brasília, 2009. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2014.

DECLARAÇÃO INTERNACIONAL DE MONTREAL SOBRE INCLUSÃO. Aprovada em 5 de junho de 2001 pelo Congresso Internacional "Sociedade Inclusiva", realizado em Montreal, Quebec, Canadá. Montreal, 2001. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquiÂ-vos/pdf/dec_inclu.pdf> Acesso em: 20 maio 2014.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

DELEUZE, Gilles. Crítica e clínica. São Paulo: 34, 1997.

DELEUZE, Gilles. A ilha deserta e outros textos. Edição preparada por David Lapoujade. Tradução brasileira. São Paulo: Iluminuras, 2004.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. v. 3. Tradução de A. G. Neto; A. L. de Oliveira; L. C. Leão; S. Rolnik. Rio de Janeiro: 34, 1996.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Kafka - para uma literatura menor. Lisboa: Minuit, 2003.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 2 ed. Rio de Janeiro: Graal, 1998.

FOUCAULT, M. Os anormais. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 30 ed. Petrópolis: Vozes, 2005.

ONU. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Políticas e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca, Espanha, 1994. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf>. Acesso em: 20 maio 2014.

UNESCO. Conferência Mundial de Educação para Todos. Declaração Mundial de Educação para Todos. Plano de Ação para Satisfazer as Necessidades Básicas de Aprendizagem. Jomtien, Tailândia, 1990. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por. pdf>. Acesso em: 20 maio 2014.

Downloads

Publicado

2017-08-30

Como Citar

Orrú, S. E. (2017). Possibilidades de (re)inventar a inclusão para os aprendizes do século XXI: : contribuições da Filosofia da diferença de Gilles Deleuze. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 31(62), 1127–1158. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v31n62a2017-p1127a1158