O conceito de saúde no livro IV da "República": Platão contra os hipocráticos?

Autores

  • Sussumo Matsui Universidade de Brasília
  • Gabriele Cornelli Universidade de Brasília

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v30n59a2016-p209a220

Palavras-chave:

Saúde. Política. Justiça. Alma. Corpo. Hipocráticos.

Resumo

* Mestre em Filosofia Antiga (Universidade de Brasília). Doutorando em Estudos Clássicos (Universidade de Coimbra).

** Doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), e Doutor em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP). Coordenador da Cátedra UNESCO Archai da Universidade de Brasília e Presidente da International Plato Society. Professor do Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília (UnB).

O conceito de saúde no livro IV da República: Platão contra os hipocráticos?

Resumo : O conceito de saúde trabalhado por Platão no Livro IV da República tem sido mal interpretado ao longo dos séculos. Para entender melhor quais seriam as colocações de Platão, é necessário entender e dialogar com o background da sua época. No caso do conceito de saúde é necessário um diálogo com a medicina hipocrática. Existe uma relação entre o conceito de justiça e saúde que não faz jus ao que está escrito. Platão, um hábil escultor de textos, faz um paralelo entre a alma e a cidade para descobrir o que é justiça e depois aplica ao indivíduo. Finda esta empresa, ele começa a delinear o que são atos de justiça. Tais atos são comparados com a saúde corporal. Isto é uma preparação para o discurso sobre os tipos de governo. Parece que o conceito de saúde não é o mesmo que encontramos desde Alcmeon até os hipocráticos, pois a temática da saúde se encontra em consonância com suas noções de política.

Palavras-chave: Saúde. Política. Justiça. Alma. Corpo. Hipocráticos.

The concept of health in Republic book IV: Plato against the hippocratic?

Abstract: The concept of health worked by Plato in Book IV of the Republic has been misunderstood for centuries. To better understand what are the statements of Plato, it is necessary to understand his background. In the case of health concept a dialogue with the Hippocratic medicine is needed. There is a relationship between the concept of justice and health unflattering to what is written. Plato, a skilled sculptor, texts draws a parallel between the soul and the city to find out what is justice and then applies to the individual soul. End this enterprise; it begins to outline what are acts of justice. Such acts are compared with bodily health. This is a preparation for the speech about the types of government. It seems that the concept of health is not the same, as we find from Alcmeon to the Hippocratic, because the health issue is in line with its policy notions.

Keywords: Health. Politics. Justice. Soul. Body. Hippocratic.

El concepto de salud en la República: libro IV:  Platón contra los hipocráticos?

Resumen: El concepto de salud trabajado por Platón en el libro IV de la República ha sido mal entendido largo de los siglos. Para entender mejor lo que sería la colocación de Platón, es necesario entender y dialogar con el background de su tiempo. En el caso del concepto de salud es necesario un diálogo con la medicina hipocrática. Existe una relación entre el concepto de la justicia y salud que no coincide con lo que está escrito. Platón, un experto escultor textos, establece un paralelismo entre el alma y la ciudad para descubrir qué es la justicia y luego aplicar al individuo. Finda esta empresa, comienza a esbozar lo que son actos de justicia. Tales actos se comparan con la salud corporal. Esta es una preparación para el discurso sobre los tipos de gobierno. Parece que el concepto de salud no es el mismo que encontramos desde Alcmeón a los hipocráticos porque el tema de la salud está en línea con sus nociones de política.

Palavras-clave: Salud. Política. Justicia. Alma. Cuerpo. Hipocráticos.

Data de registro: 22/07/2015

Data de aceite: 20/04/2016

Referências:

I) Fontes antigas

GALENO. On the doctrines of Hippocrates and Plato. Edição, tradução e comentário de Phillip de Lacy. 3 ed. Berlin: Akademie Verlag, 2005.

HIPÓCRATES. Tratados Hipocráticos. Edição de Garcia Gual. Madri: Editorial Gredos, 1993-2008, 8 v.

HIPÓCRATES. On ancient medicine. Tradução, introdução e comentário por M. J. Schiefsky. Boston: Brill, 2005.

______. Opere di Ippocrate. Tradução e introdução por Mario Vegetti. Torino: Tipografico Editrice Torinese, 1965.

______. L'ancienne médecine. Introdução e comentário por A.-J Festugière. Nova Iorque: Arno Press, 1979.

PLATÃO. A república. Introdução, tradução e notas de Maria Helena da Rocha Pereira. 9 ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. 2001.

TUCÃDIDES. História da guerra do Peloponeso. Brasília: Editora UnB, 2001.

II) Fontes modernas

AYACHE, L. Hippocrate. Paris: Presses Universitarires de France, 1992.

BURNET, J. O despertar da filosofia grega. São Paulo: Siciliano, 1994.

CORNELLI, G. Calcular a saúde: a saúde como equilíbrio de forças na tradição pitagórica. In.: PEIXOTO, M. C. D. A saúde dos antigos: reflexões gregas e romanas. São Paulo: Edições Loyola, 2009, p. 33-42.

GADAMER, H-G. O caráter oculto da saúde. São Paulo: Editora Vozes, 2011.

IRWIN, T. Plato's moral theory: the early and middle dialogues. Oxford: Oxford University Press, 1977.

JAEGER, W. Paidéia: a formação do homem grego. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

JOUANNA, J. Hippocrate. Paris: Fayard, 1992.

KEYT, D. Platão e a justiça. In: BENSON, H. (Org.). Platão. Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 318-332.

KIRK, G. S.; RAVEN, J. E.; SCHOFIELD, M. Os filósofos pré-socráticos. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1994.

KRAUT, R. A defesa da justiça na República de Platão. In: ______. (Org.). Platão. São Paulo: Ideias e Letras, 2013, p. 367-397.

LEVIN, S. Plato's rivalry with medicine: a struggle and it's dissolution. Oxford: Oxford University Press, 2014. http://dx.doi.org/10.1093/acprof:oso/9780199919802.001.000

LLOYD, G. E. R. Methods and problems in Greek science. Cambridge: Cambridge University Press, 1991.

LONGRIGG, J. Greek rational medicine: philosophy and medicine from Alcmeaon to the Alexandrians. London: Routledge, 1993. http://dx.doi.org/10.4324/9780203328354

MILLER, F. D. A alma platônica. In: BENSON, H. (Org.). Platão. Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 261-275.

REALE, G. Corpo, alma e saúde: o conceito de homem de Homero a Platão. São Paulo: Paulus, 2002.

ROBINSON, T. M. A psico logia de Platão. São Paulo: Edições Loyola, 2007.

SANTOS, J. G. T. Para ler Platão: alma, cidade, cosmo. São Paulo: Edições Loyola, 2009

VEGETTI, M. Guida alla lettura della Repubblica di Platone. 5 ed. Bari: Editora Laterza, 2011.

______. La medicina in Platone. Venezia: Il Cardo, 1995.

VLASTOS, G. The argument in the Republic that "justice pays". In:

______. The Journal of Philosophy, Canada, v. 65, n. 21, p. 665-674, Nov. 1968. http://dx.doi.org/10.2307/2024542

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sussumo Matsui, Universidade de Brasília

Doutorando em Estudos Clássicos (Universidade de Coimbra), Mestre em Filosofia Antiga (Universidade de Brasília), Especialista em Estudos Clássicos (Universidade de Brasília). Pesquisa atualmente a Medicina Antiga em Platão na cátedra Unesco Archai.

Gabriele Cornelli, Universidade de Brasília

Coordenador da Cátedra UNESCO Archai da Universidade de Brasília e Presidente da International Plato Society.

Downloads

Publicado

2016-11-08

Como Citar

Matsui, S., & Cornelli, G. (2016). O conceito de saúde no livro IV da "República": Platão contra os hipocráticos?. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 30(59), 209–220. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v30n59a2016-p209a220