A PROVA DA EXISTÊNCIA DA MULTIPLICIDADE DE CORPOS NA SEXTA MEDITAÇÃO

Autores

  • César Augusto Battisti Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25nEspeciala2011-09

Palavras-chave:

Descartes. Existência dos corpos. Multiplicidade de corpos. Ideias sensíveis. Causa formal.

Resumo

A prova da existência da multiplicidade de corpos na sexta meditação

RESUMO: Este artigo analisa a prova da existência dos corpos apresentada por Descartes na Sexta Meditação e defende a tese de que – se bem sucedida em outros aspectos nele não examinados – ela necessariamente prova a existência de uma multiplicidade de entidades materiais. Este texto nos convoca, portanto, a interpretar literalmente a conclusão da prova, quando ela afirma que “coisas corporais existem” (no plural). O argumento central pode ser assim sintetizado: 1) se há ideias sensíveis distintas é porque a mente se submete a coações distintas, em razão dos modos distintos pelos quais o poder causal é exercido; 2) embora tais modos distintos de exercício causal não requeiram múltiplas causas, a natureza formal da causa o exige: a individuação de cada ideia-efeito requer a individuação de cada entidade-causa.

Palavras-chave: Descartes. Existência dos corpos. Multiplicidade de corpos. Ideias sensíveis. Causa formal.

RÉSUMÉ: Cet article analyse la preuve de l’existence des corps, présentée par Descartes dans la Sixième Méditation, et soutient la thèse selon laquelle – si la preuve est bien faite en d´autres aspects ici non examinés – elle prouve nécessairement l’existence d’une multiplicité d´entités matérielles. L’article nous conduit donc à interpréter littéralement sa conclusion, quand elle affirme que “des choses corporelles existent” (au pluriel). L´argument central peut être ainsi synthétisé: 1) s´il y a des idées sensibles distinctes c’est parce que l’esprit se soumet à des contraintes distinctes, dues aux façons distinctes par lesquelles le pouvoir causal est exercé; 2) même si ces façons distinctes d´exercice causal ne requièrent pas de causes multiples, la nature formelle de la cause l´exige: l´individuation de chaque idée-effet requiert l´individuation de chaque entité-cause.

Mots clé: Descartes. Existence des corps. Multiplicité des corps. Idées sensibles. Cause formelle.

REFERÊNCIAS

ALQUIÉ, Ferdinand (Ed.). Œuvres philosophiques de Descartes. Paris: Classiques Garnier, 1988-89. 3 v.

DESCARTES, René. Discurso do método; Meditações; Objeções e respostas; As paixões da alma; Cartas. 3. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1983. (Os Pensadores).

__________. Meditações sobre filosofia primeira. Edição em latim e em português. Tradução de Fausto Castilho. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

__________. Œuvres de Descartes. Publiées par Charles Adam et Paul Tannery (AT). Paris: Vrin, 1996. 11 v.

__________. O mundo ou Tratado da luz; O homem. Apresentação, tradução e notas: César Augusto Battisti e Marisa Carneiro de Oliveira Franco. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

GARBER, Daniel. Descartes’ metaphysical physics. Chicago: The University of Chicago Press, 1992.

GUEROULT, Martial. Descartes selon l’ordre des raisons. Paris: Aubier—Éditions Montaigne, 1953. v. 2.

LANDIM FILHO, Raul. Evidência e verdade no sistema cartesiano. São Paulo: Loyola, 1992.

__________. Idealismo ou realismo na filosofia primeira de Descartes: análise da crítica de Kant a Descartes no IVº Paralogismo da CRP [A]. In: Analytica, 1997, v. 2, n. 2, p.129–159.

LENNON, Thomas M. The battle of the gods and giants: the legacies of Descartes and Gassendi, 1655-1715. Princeton: Princeton University Press, 1993.

ROCHA, Ethel Menezes. Princípio de causalidade, existência de Deus e existência de coisas externas. In: Cadernos de história e filosofia da ciência, jan./jun., 2000, v. 10, n. 1. p. 7-30.

RODIS-LEWIS, Geneviève. L´œuvres de Descartes. Paris: Vrin, 1971. v. 2.

SCHIRMER, César. A afirmação da existência dos corpos nas Meditações de Descartes: verdade e propensões incorrigíveis. 2003.

Dissertação de Mestrado – Programa de Pós-Graduação em Filosofia, Universidade Federal Do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2003.

Data de registro: 18/07/2011

Data de aceite: 24/08/2011

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

César Augusto Battisti, Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

Professor dos cursos de graduação e de mestrado em Filosofia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

E-mail: cesar.battisti@hotmail.com

Downloads

Publicado

2015-04-27

Como Citar

BATTISTI, C. A. A PROVA DA EXISTÊNCIA DA MULTIPLICIDADE DE CORPOS NA SEXTA MEDITAÇÃO. Educação e Filosofia, Uberlândia, v. 25, n. n.ESP, p. 181–214, 2015. DOI: 10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v25nEspeciala2011-09. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/30012. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Descartes e o Grande Século