Alegria e pensamento: repensando nossos afetos com Deleuze, Espinosa E Lacroix¹

Autores

  • Paola Sanfelice Zeppini Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v30n59a2016-p159a188

Palavras-chave:

Afetos. Pensamento. Encontro. Filosofia. Educação.

Resumo

* Mestre em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutoranda em Educação na Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), na área de Filosofia e História de Educação.

[1] Trabalho realizado durante período de desenvolvimento de missão de estudo/doutorado sanduíche na Universidade de la República do Uruguai, com apoio financeiro da Capes.

Apoio: CAPES. Silvio Donizetti de Oliveira Gallo. Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação. Enrique Puchet. Universidad de la República. Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación.

Alegria e pensamento: repensando nossos afetos com Deleuze, Espinosa E Lacroix

Resumo: Este artigo tem por objetivo repensar as maneiras como temos vivido e pensado as emoções na contemporaneidade a partir das análises e críticas levantadas por Michel Lacroix em sua obra O Culto da Emoçãoem ressonância com escritos deleuzeanos com Espinosa, sobretudo no que se refere às relações entre ideias e afetos. Trabalhar com a afirmação do corpo como potência do pensamento em meio a uma ética que nos ajude a realizar a seleção dos afetos de alegria e de tristeza, inquirindo os modos de existência e buscando critérios que possam operar, exigente e prudentemente, uma seleção também das próprias alegrias, mantendo sempre como ponto de atração as relações entre o exercício do pensamento e a criação da própria vida. Este percurso nos coloca também em meio a questões sobre a potência da educação como lugar de encontro e aprendizagem.

Palavras-chave: Afetos. Pensamento. Encontro. Filosofia. Educação.

Joy and Thought: rethinking our affects with Deleuze, Espinoza and Lacroix

Abstract: The purpose of this paper is to rethink the ways we have been living and thinking about the emotions in the contemporary period, based on the analyses and critiques raised by Michel Lacroix in his book The Cult of Emotion, all this in resonance with Deleuzian writings with Espinoza, especially in that which refers to the relations between ideas and affects. Working with the affirmation of the body as a power of thought amidst an Ethics which assist us in conducting a selection of the affects of joy and sadness, inquiring the modes of existence and searching for criteria which may operate, in a demanding and prudent fashion, a selection of one's own joys as well, ever keeping as attraction point the relations between the act of thinking and the creation of one's own life. This course also places us among issues which concern the potential of education as a place for both meeting and learning.

Keywords: Affects. Thought. Encounter. Philosophy. Education.

Alegría y Pensamiento: repensando nuestros afectos con Deleuze, Spinoza y Lacroix

Resumen :Este artículo tiene por objetivo repensar las maneras como hemos vivido y pensado las emociones en la contemporaneidad a partir del análisis y de las críticas planteadas por Michel Lacroix en su obra El Culto a la Emociónen resonancia con escritos deleuzeanos con Spinoza, especialmente en lo que se refiere a las relaciones entre ideas y afectos. Trabajar con la afirmación del cuerpo como potencia del pensamiento a través de una ética que nos ayude a realizar la selección de los afectos de alegría y de tristeza, investigando los modos de existencia y buscando criterios que puedan operar, exigente y prudentemente, una selección, también, de las propias alegrías, manteniendo siempre como punto de atracción las relaciones entre el ejercicio del pensamiento y la creación de la vida. Este recorrido nos coloca, a su vez, frente a cuestiones sobre la potencia de la educación como lugar de encuentro y aprendizaje.

Palabras clave: Afectos. Pensamiento. Encuentro. Filosofía. Educación.

Data de registro: 24/04/2014

Data de aceite: 16/09/2015

Referências:

DELEUZE, G. Spinoza - Philosophie pratique, Paris: Minuit, 1981.

______. Critique et clinique, Paris: Minuit, 1993.

______. Crítica e clínica. Tradução de Peter Pál Pelbart. São Paulo: Editora 34, 1997.

______. Espinosa - filosofia prática. Tradução de Daniel Lins e Fabien Pascal Lins. São Paulo: Escuta, 2002.

______. Espinosa e o problema da expressão, no prelo.

______. Cours Vincennes sur Spinoza, 1978-1981. Disponível em: <www.webdeleuze.com>. Acesso em: 17 Fev. 2014.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Qu'est-ce que la philosophie? Paris: Minuit, 1991.

______. O que é a filosofia? Tradução de Bento Prado Jr. e Alberto Alonso Muñoz, Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

DELEUZE, G.; GUATTARI, F. Mil Platôs. v.3. Tradução de Aurélio Guerra Neto. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1996.

GALLO, S. Deleuze & a educação, Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

FADIGAS, n. Inverter a educação: de Gilles Deleuze à filosofia da educação, Portugal: Porto Editora, 2003.

LACROIX, M. O culto da emoção. Tradução de Vera Ribeiro, Rio de Janeiro: José Olympio, 2006.

ORLANDI, L. B. L. Combater na imanência. Texto publicado originalmente como prefácio ao livro de Gilles Deleuze, Péricles e Verdi - A filosofia de François Châtelet. Tradução de Hortência S. Lencastre, Rio de Janeiro: Pazulin, 1999.

SPINOZA, B. Ética. Tradução de Tomaz Tadeu, Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paola Sanfelice Zeppini, Universidade Estadual de Campinas

Doutoranda em Educação pela Universidade Estadual de Campinas, sob orientação do Prof. Dr. Silvio Donizette de Oliveira Gallo. Possui mestrado em Filosofia e graduação em História, também pela mesma universidade. Realizou, no segundo semestre de 2013, período sanduíche na Universidad de la República - Uruguai, sob co-orientação de Andrea Días Genís, com patrocínio CAPES.

Downloads

Publicado

2016-11-08

Como Citar

Sanfelice Zeppini, P. (2016). Alegria e pensamento: repensando nossos afetos com Deleuze, Espinosa E Lacroix¹. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 30(59), 159–188. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v30n59a2016-p159a188