Estado

sociedade civil e luta hegemônica

Autores

  • Ana Maria Said Universidade Federal de Uberlandia (Uberlândia, MG, Brasil)

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v28n56a2014-p603-615

Palavras-chave:

Estado, Sociedade civil, Hegemonia, Consenso, Coerção

Resumo

Resumo: Procuraremos nesse artigo enfocar a complexa análise de Gramsci ao conceito de “Estado integral”, que Christine Buci Gluksmann denomina de “Estado ampliado”: sociedade política + sociedade civil, encouraçada de coerção. Para isso, não perderemos de vista a relação dialética entre Estado e sociedade que permeia a obra gramsciana. Na verdade, ao refletirmos sobre o alcance da obra gramsciana na compreensão do Estado e da luta pelo poder na sociedade contemporânea, não poderemos deixar de pensar o conceito de hegemonia neste pensador que se defronta e confronta com o fascismo e com as tendências autoritárias que incidem sobre a democracia nos tempos atuais.

Palavras-chave: Estado; Sociedade civil; Hegemonia; Consenso; Coerção.

 

Abstract: We seek in this article to focus on the complex analysis of Gramsci's concept of the "Integral State", which Christine Buci-Gluksmann calls "Extended State": political society + civil society, armored of coercion. For that, we must keep in mind the dialectical relationship between State and society that permeates Gramsci's work. In fact, when we reflect about the scope of Gramsci's work on the understanding of State and the fight of the contemporary society for power, we can't leave behind the concept of hegemony of this thinker, which faces and confronts the fascism and the authoritarian tendencies that affect democracy in current times.

Keyword: State; Civil society; Hegemony; Consensus; Coercion.

 

Data de registro: 10/03/2014

Data de aceite: 23/04/2014

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Maria Said, Universidade Federal de Uberlandia (Uberlândia, MG, Brasil)

Doutora em Educação, na área Educação, Sociedade, Política e Cultura pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP. Professora do Instituto de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia. Email: anasaid@ufu.br

Referências

BUCI-GLUCKSMANN, C. Gramsci e lo Stato: per uma teoria materialistica della filosofia. Roma: Editori Riuniti, 1976.

CROCE, B. Cultura e vita morale. Napoli: Bibliopolis, 1993.

FERRI, F.(Org.). Política e storia in Gramsci. Roma: Ed. Riuniti & Istituto Gramci, 1977.

GRAMSCI, A. Quaderni del Carcere: A cura di Valentino Gueratana. 2. ed.,. Edizione Critica dell'Istituto Gramsci. Torino: Ed. Einaudi, 1975.v. 1, 2, 3 e 4.

______. Cartas do Cárcere. Organização de Antonio A. Santucci. Palermo: Ed. Sellerio, 1996.

IZZO, F. Democrazia e cosmopolitismo in Antonio Gramsci. Roma: Carocci Ed., 2009.

LIGUORI, G. Roteiros para Gramsci. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2007.

MUSCATELLO, B. (Ed.). Gramsci e il Marxismo Contemporaneo. Tradução de Roberto Della Seta. Roma: Ed. Riuniti, 1990.

NARDONE, G. Il pensiero di Gramsci. Bari: De Donato, 1984.

VACCA, G. Vida e pensamento de Antonio Gramsci (1926-1937). Brasília: Fundação Astrojildo Pereira; Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

Downloads

Publicado

2014-09-24

Como Citar

Said, A. M. (2014). Estado: sociedade civil e luta hegemônica. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 28(56), 603–615. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v28n56a2014-p603-615

Edição

Seção

Dossiê: Filosofia Política - Atualidade de Marx e Gramsci