Diferença como abertura de mundos possíveis

aprendizagem e alteridade

Autores

  • Cíntia Vieira da Silva Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)
  • Kátia Maria Kasper Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v28n56a2014-p711a728

Palavras-chave:

Aprendizagem, Alteridade, Deleuze, Diferença, Outrem

Resumo

Resumo: Quais as relações possíveis entre aprendizagem e diferença? Circula entre nós, por exemplo, a ideia – de resto, muito pertinente – de que é preciso aprender a conviver com as diferenças. Este artigo desloca esta discussão, colocando-se em uma perspectiva segundo a qual só se aprende por meio do contato, nem sempre apaziguado, com a diferença. Aprender envolve ser levado a diferir de si através do contato com o outro, tendo muito pouco (ou nada) a ver com a imitação de um modelo ou a aplicação de um método. Procuramos expor o conceito de ‘outrem’, elaborado por Deleuze nos textos “Causas e razões das ilhas desertas” e “Michel Tournier e o mundo sem outrem. Percorremos também a recriação da história de Robinson Crusoé, Sexta-feira ou os limbos do pacífico, romance que é um dos intercessores na criação do conceito deleuziano de diferença.

Palavras-chave: Aprendizagem; Alteridade; Deleuze; Diferença; Outrem.

 

Resumé: Quels sont les rapports possibles entre apprentissage et différence ? L’ídée – d’ailleurs tout à fait pertinente – qu’il faut apprendre à vivre avec les différences – circule parmi nous. Cet article déplace la discussion en se plaçant dans une perspective selon laquelle on n’apprend qu’au moyen du contact, pas toujours paisible, avec la différence. Apprendre amène à différer de soi au travers du contact avec l’autre, et n’a que peu (ou rien) à voir avec l’imitation d’un modèle ou l’application d’une méthode. Nous cherchons à exposer le concept d’ «autrui» élaboré par Deleuze dans les textes «Causes et raisons des îles désertes» et «Michel Tournier et le monde sans autrui». Nous parcourons également la recréation de l’histoire de Robinson Crusoé, Vendredi ou les limbes du Pacifique, roman qui est l’un des intercesseurs de la création du concept deleuzien de différence.

Mots clé: Apprentissage; Altérité; Deleuze; Différence; Autrui.

 

Data de registro: 30/05/2013

Data de aceite: 20/11/2013

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cíntia Vieira da Silva, Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP)

Doutora em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professora Adjunta no Departamento de Filosofia e no Mestrado em Estética e Filosofia da Arte da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). E-mail: cintiavs@gmail.com

Kátia Maria Kasper, Universidade Federal do Paraná

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Professora do Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná (UFPR). E-mail: katiakasper@uol.com.br

Referências

DELEUZE, G. Diferença e repetição. 2. ed. rev. e atualizada. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro, Graal, 2006a.

______. Causas e razões das ilhas desertas. In: ______. A ilha deserta. Artigo citado: tradução de Luiz Orlandi. Vários tradutores. São Paulo: Iluminuras, 2006b. p. 17-22.

______. Michel Tournier e o mundo sem outrem. In: ______. Lógica do sentido. Tradução de Luiz Roberto Salinas Fortes. São Paulo: Perspectiva, 1998. p. 311-330.

______. Proust e os signos. Tradução de Antonio Piquet e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2003.

GALLO, S. Deleuze e a educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

ORLANDI, L. B. L. Deleuze- entre caos e pensamento. In: AMORIM, A. C.; GALLO, S.; OLIVEIRA JR., W. M. (Org.). Conexões: Deleuze e imagem e pensamento. Petrópolis: De Petrus; Brasília: CNPq, 2011. p. 145-154.

TOURNIER, M. Vendredi ou les limbes du pacifique. Paris: Gallimard, 1967.

______. Sexta-feira ou os limbos do Pacífico. 3. ed. Tradução de Fernanda Botelho. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

Downloads

Publicado

2014-09-25

Como Citar

Silva, C. V. da, & Kasper, K. M. (2014). Diferença como abertura de mundos possíveis: aprendizagem e alteridade. EDUCAÇÃO E FILOSOFIA, 28(56), 711–728. https://doi.org/10.14393/REVEDFIL.issn.0102-6801.v28n56a2014-p711a728